No dicionário, artilheiro é o indivíduo que maneja peças de artilharia, isto é, os materiais de guerra, armas pesadas, canhões. No futebol, o significado é muito mais lúdico: o jogador que faz mais gols em uma partida ou campeonato.

Ser artilheiro de uma Copa do Mundo é uma marca importante para qualquer atleta.

O maior goleador dos Mundiais é, atualmente, o alemão Miroslav Klose, que fez 16 gols em quatro edições. O brasileiro Ronaldo, com 15 gols, é o segundo. O recorde de gols em uma única edição, porém, é do francês Just Fontaine, com 13 tentos em 1958.

Mas para além do pódio, diversos jogadores se consagraram como “os melhores do mundo” ao longo dessas décadas de Mundial - que, em 2022, tem seu início marcado para novembro.

Veja, a seguir, a lista dos artilheiros de cada uma das 21 Copas do Mundo disputadas até hoje.

Guillermo Stabile (Copa do Mundo de 1930)

O primeiro artilheiro de uma Copa do Mundo foi um argentino: Guillermo Stabile. O jogador, na edição disputada no Uruguai, fez oito gols em cinco jogos. O ótimo desempenho, porém, não foi suficiente para levar a seleção ao título, que acabou ficando com os donos da casa. Os argentinos foram vice-campeões.

Leia também:

Nejedly, Conen e Schiavio (Copa do Mundo de 1934)

Em 1934, na Itália, o torneio teve três artilheiros, todos com quatro gols marcados: o tcheco Nejedly, o alemão Conen e o italiano Schiavio. As três seleções fizeram quatro jogos. A Tchecoslováquia e a Itália chegaram à final – com os italianos sendo campeões –, e a Alemanha ficou em terceiro lugar.

Leônidas da Silva (Copa do Mundo de 1938)

O primeiro brasileiro a ser artilheiro de uma Copa foi Leônidas da Silva, o ‘Diamante Negro’, na edição de 1938, disputada na França e conquistada pelos italianos. O atacante, um dos mais importantes da história, fez oito gols. O Brasil fez quatro jogos na competição, e foi o terceiro colocado.

Ademir de Menezes (Copa do Mundo de 1950)

Depois de 12 anos sem Copa por conta da guerra, o Mundial voltou a ser disputado em 1950, no Brasil, e novamente um brasileiro foi o artilheiro. O atacante Ademir de Menezes fez nove gols, o recorde até então. O Brasil foi vice-campeão diante do Uruguai, no que ficou conhecido como Maracanazo.

Sandor Kocsis (Copa do Mundo de 1954)

A Hungria, que hoje não está entre as grandes seleções, brilhou na Copa do Mundo de 1954. O país, que tinha Puskas como grande craque, eliminou o Brasil e chegou à final da edição, sendo vice-campeão contra a Alemanha. O artilheiro do torneio foi húngaro: Sandor Kocsis, que fez 11 gols nos cinco jogos que o país disputou. A única partida em que ele não balançou as redes foi justamente na final.

Just Fontaine (Copa do Mundo de 1958)

Em 1958, o francês Just Fontaine foi o grande goleador, com 13 gols, o maior número já feito em uma só edição. A França ficou em terceiro lugar (foi eliminada na semifinal para o Brasil, que foi o campeão), e disputou seis jogos. Fontaine balançou as redes em todas as partidas – na disputa de 3º e 4º, inclusive, fez quatro gols.

Garrincha, Vavá, Albert, Ivanov, Jerkovic e Sanchez (Copa do Mundo de 1962)

A edição de 1962, no Chile, conquistada pelo Brasil, teve o maior número de artilheiros da história. Seis atletas dividiram o posto de goleador, cada um com quatro gols marcados. O Brasil teve dois: Garrincha e Vavá. Os outros foram o húngaro Albert, o soviético Ivanov, o iuguslavo Jerkovic e o chileno Sanchez.

Eusebio (Copa do Mundo de 1966)

O português Eusebio fez nove gols e foi o artilheiro da Copa do Mundo de 1966. Portugal disputou seis jogos, e foi o terceiro colocado. Na primeira fase, passou em primeiro lugar no grupo que tinha o Brasil, que foi eliminado. No confronto entre portugueses e brasileiros, Eusebio fez dois gols na vitória por 3 a 1.

Gerd Muller (Copa do Mundo de 1970)

O Brasil encantou o mundo na Copa de 1970, na seleção recheada de craques, como Pelé, Tostão, Rivellino e companhia. O artilheiro, porém, foi alemão: o centroavante Gerd Muller, um dos maiores da história, que fez 10 gols nos seis jogos da equipe.

Grzegorz Lato (Copa do Mundo de 1974)

Se em 2022 o melhor jogador do mundo é o polonês Lewandowski, quem encantou o planeta em 1974 foi o compatriota Grzegorz Lato, que fez sete gols na edição da Copa do Mundo. A Polônia ficou em terceiro lugar, vencendo a disputa contra o Brasil, por 1 a 0, com gol, claro, de Lato.

Veja também:

Mario Kempes (Copa do Mundo de 1978)

O argentino Mario Kempes fez seis gols na campanha do primeiro título do país e foi o artilheiro da disputa. O centroavante, inclusive, foi decisivo na final contra a Holanda, fazendo dois gols na vitória por 3 a 1.

Paolo Rossi (Copa do Mundo de 1982)

O artilheiro da Copa de 1982 é um velho conhecido e carrasco dos brasileiros: Paolo Rossi. O italiano, que fez três gols na Tragédia do Sarriá, que eliminou o Brasil da competição, foi o goleador máximo da edição conquistada pelo país da bota, com seis bolas na rede.

Gary Lineker (Copa do Mundo de 1986)

Em 1986, a Inglaterra foi eliminada ainda nas quartas de final da Copa, contra a Argentina, com show de Maradona. Mesmo assim, o artilheiro do torneio foi o inglês Gary Lineker, com seis gols – o último foi na derrota por 2 a 1 para os argentinos.

Salvatore Schillaci (Copa do Mundo de 1990)

A Itália ficou em terceiro lugar na segunda Copa do Mundo que sediou, em 1990, conquistada pelos alemães. Os italianos, ao menos, tiveram o artilheiro do torneio, o atacante Schillaci, que fez seis gols. Vale destacar que o jogador começou o Mundial como reserva, mas entrou e fez história.

Stoichkov e Salenko (Copa do Mundo de 1994)

Depois de 32 anos, a Copa do Mundo voltou a ter mais de um jogador na artilharia. Em 1994, na edição conquistada pelo Brasil, o búlgaro Stoichkov e o russo Salenko dividiram o posto de goleador, com seis gols cada. A Bulgária disputou sete jogos, e foi a terceira colocada. A Rússia, porém, caiu na primeira fase, depois de apenas três partidas – Salenko fez cinco gols na partida contra Camarões, um recorde, e um contra a Suécia.

Davor Suker (Copa do Mundo de 1998)

A Croácia foi terceira colocada na Copa de 1998, na França, e teve também o artilheiro da edição. O atacante Suker fez seis gols na disputa. No mesmo ano, foi eleito o terceiro melhor jogador do mundo.

Ronaldo (Copa do Mundo de 2002)

Quem viveu a Copa do Mundo de 2002 não se esquece de Ronaldo com o ‘corte cascão’ e a narração de Galvão Bueno gritando ‘Ronaldinho’ com o ‘r’ puxado. O centroavante foi artilheiro daquela edição, com oito gols marcados em sete jogos, e conduziu o Brasil ao pentacampeonato.

Em clima de Copa:

Klose (Copa do Mundo de 2006)

O alemão Miroslav Klose, considerado o maior artilheiro de todas as Copas do Mundo, com 16 gols nas quatro edições que disputou, foi o goleador máximo do Mundial de 2006, disputado na Alemanha, com os anfitriões ficando com o terceiro lugar. O atacante balançou as redes cinco vezes no torneio.

Muller, Villa, Sneijder e Forlán (Copa do Mundo de 2010)

A Copa de 2010, a primeira disputada no continente africano, na África do Sul, teve quatro artilheiros, cada um com cinco gols: o alemão Muller, o espanhol Villa, o holandês Sneijder e o uruguaio Forlán, que foi eleito também o craque da competição. Curiosamente, os goleadores representaram os quatro países semifinalistas.

James Rodríguez (Copa do Mundo de 2014)

Se na primeira edição disputada no Brasil, em 1950, o artilheiro foi um brasileiro, o mesmo não aconteceu em 2014. O goleador, dessa vez, foi o colombiano James Rodríguez, com seis gols. A Colômbia foi eliminada ainda nas quartas de final, após cinco jogos, justamente diante dos brasileiros.

Harry Kane (Copa do Mundo de 2018)

O artilheiro da última edição da Copa do Mundo foi o inglês Harry Kane, que balançou as redes seis vezes na campanha da Inglaterra, quarta colocada no Mundial da Rússia. O atacante é um dos principais palpites no artilheiro da edição de 2022, que será disputada no Catar entre novembro e dezembro.

Quem será o artilheiro da edição de 2022 do Mundial? Acesse nossa página e faça suas apostas na Copa do Mundo.