A Inter de Milão é um dos maiores clubes da Itália. Com 19 títulos nacionais (Serie A) e três troféus da Uefa Champions League, a equipe nerazzurra tem uma rica história no futebol local com ídolos como Giuseppe Meazza, Giuseppe Bergomi, Sandro Mazzola, Baresi e companhia, mas também tem uma relação estreita com jogadores de outras localidades do Velho Continente e sul-americanos, principalmente.

Desde que o futebol passou por uma ampla globalização, que começou na década de 1990 justamente na Itália, a Inter de Milão, bem como os rivais Milan e Juventus, diversificou bastante seu elenco com atletas de outras nacionalidades. No caso do lado vermelho de Milão, a receptividade parece ser ainda maior com brasileiros.

Se o Milan se dá muito bem com brasileiros, por lá brilharam Kaká (melhor do mundo vestindo a camisa do clube italiano), Dida, Cafu e outros craques do futebol nacional, a Inter de Milão costuma ter uma relação ainda mais estreita com os ‘hermanos’. Isso não quer dizer, no entanto, que brasileiros não sejam considerados ídolos no clube da Itália – situação parecida pode ser vista no PSG ou na Espanha.

Além de argentinos e brasileiros, por sinal, a Inter de Milão tem em sua galeria de ídolos alguns astros da Espanha, Alemanha e outros centros do futebol europeu. A seguir, veja quais são os principais ídolos não italianos, ou seja, estrangeiros, da equipe nerazzurra.

Esteban Cambiasso

O primeiro nome da lista de ídolos da Inter de Milão nascidos fora da Itália é Esteban Cambiasso. O argentino caiu nas graças da torcida por diversos fatores: em 10 anos defendendo a camisa azul de Milão, o volante sempre foi um dos mais aguerridos do meio de campo e demonstrou muita vontade em campo.

O talento para iniciar as jogadas também colaborou bastante para a aceitação de Cambiasso, que completou, ao todo, 431 jogos pela Inter. Ele venceu a Liga dos Campeões (uma vez), o Campeonato Italiano (cinco vezes), a Copa da Itália (quatro vezes), a Supercopa da Itália (quatro vezes) e o Mundial de Clubes, em 2010.

Júlio César

O primeiro brasileiro da lista é Júlio César. O goleiro revelado pelo Flamengo completou redondas 300 partidas pela Inter de Milão e fez defesas magníficas debaixo da trave do clube italiano. Também fez parte da equipe que levou a Champions League em 2009/10 e participou do pentacampeonato consecutivo de 2005 a 2010, sendo um dos protagonistas do time.

Luis Suárez

O espanhol Luis Suárez está simplesmente na lista dos maiores jogadores da história da Inter de Milão, entre estrangeiros e italianos. Depois de brilhar e ser eleito o melhor jogador do mundo pelo Barcelona, o meio-campista desembarcou em Milão em 1961, onde permaneceu até 1970.

Em uma equipe recheada de craques como Sandro Mazzola, Giacinto Facchetti, Jair da Costa e Mario Corso, Suárez dominou o meio de campo e foi o líder técnico do setor em um dos períodos mais vitoriosos da história do clube. Tem no currículo dois títulos da Copa dos Campeões, nome antigo da Champions League, dois Mundiais de Clubes, além de três conquistas da Serie A. Depois de se aposentar, o espanhol ainda teve passagens na equipe técnica da Inter, e foi um dos responsáveis pela contratação de Javier Zanetti (guarde este nome).

Lothar Matthäus

Se tem um time que está na memória do torcedor mais antigo da Inter de Milão é o de 1988/89, campeão italiano depois de um longo jejum de 17 anos sem o troféu. E lá estava o alemão Lothar Matthäus.

O meio-campista permaneceu na Inter de 1988 a 1992 e, além de comandar novamente o clube ao título da Serie A, vencido com recordes e desbancando rivais bem mais badalados, ele ganhou quase todos os prêmios individuais possíveis. Venceu a Copa do Mundo, foi eleito o melhor jogador do planeta, venceu a Bola de Ouro e integrou a lista ‘Fifa 100’, dos melhores jogadores de todos os tempos, enquanto fazia história na Itália.

Ronaldo

Em cinco anos de Inter de Milão, Ronaldo teve apenas uma temporada completa na Inter: atrapalhado pela lesão no joelho que quase o tirou do futebol para sempre, o Fenômeno foi uma ‘máquina’ enquanto esteve com saúde e por isso integra a lista de ídolos da Inter de Milão fora da Itália.

Com força física, velocidade, dribles plásticos e faro de gol, Ronaldo colocou 59 bolas na rede em 99 partidas pelo clube italiano, e venceu apenas um título: a Copa Uefa. Ele fez parte de uma geração que bateu ‘na trave’ diversas vezes, mas colecionou prêmios individuais após as atuações pelo time nerazzurri. Bola de Ouro, melhor do mundo pela Fifa e jogador do ano (1997) foram algumas das conquistas do brasileiro à época.

Javier Zanetti

O lateral-direito Javier Zanetti não é só o maior estrangeiro da história da Inter de Milão, como é considerado por muitos torcedores como o maior ídolo do clube. O argentino, que permaneceu no time italiano por 20 anos, bateu quase todos os recordes possíveis vestindo a camisa nerazzurra e nunca defendeu outra agremiação na Europa. Este é um caso de ‘fidelidade’ semelhante às carreiras de Giggs (Manchester United) e Totti (Roma).

Zanetti tem as seguintes marcas no currículo pela Inter: é o jogador com mais títulos conquistados pelo clube (16), o que mais vezes vestiu a camisa (858 partidas) e o que mais jogou consecutivamente como titular (137 vezes). Chama a atenção o fato de ele ter conseguido tudo isso sendo argentino, e os números não param por aí.

É o estrangeiro com mais jogos no Campeonato Italiano, e o segundo que mais vezes entrou em campo na competição no total (618 jogos). A liderança é do italiano Paolo Maldini.

Nomeado vice-presidente da Inter de Milão em 2014, Zanetti permanece no cargo até os dias atuais e é muito respeitado pela comunidade e pelos torcedores. Em campo, ficou conhecido como o ‘Trator’, por conta da força física, raça e velocidade na lateral. Ele ganhou todos os principais títulos, foi capitão por 15 anos e teve a camisa 4 aposentada, quando parou de jogar, como forma de homenagem do próprio clube.

A disputa na Itália segue acirrada, e as próximas rodadas estão disponíveis na Betway. Visite nosso site e faça suas apostas na Série A.