Roland Garros é um dos principais torneios de tênis em uma temporada. O evento francês é um dos quatro Grand Slam do ano, ao lado de Australian Open, Wimbledon e US Open. A grande diferença do campeonato em Paris para os demais é que ele é disputado no saibro, enquanto Wimbledon acontece na grama e os outros dois no piso duro.

Os quatro eventos, que dominam o calendário – veja a agenda completa do primeiro semestre de 2022 --, são mais longos que os outros campeonatos (em número de sets), valem mais pontos para o ranking mundial e também oferecem as maiores premiações aos tenistas. Veja quanto o tradicional torneio de Wimbledon paga para os campeões na grama sagrada.

No tênis, pelas características de cada piso, que influencia na velocidade da bolinha, no pingo em quadra e na aceleração do jogo, como um todo, há jogadores especialistas para cada formato. São raras as exceções de tenistas completos e que conseguem explorar o máximo do talento em todas as quadras – Novak Djokovic é um exemplo de atleta versátil.

Os outros craques da modalidade ao lado do sérvio há mais de década possuem uma característica mais definitiva. Rafael Nadal é o maior jogador de todos os tempos no saibro, e o desempenho do espanhol em Paris é extraordinário. Já Roger Federer se destaca na grama.

Outro atleta de muito talento que levava vantagem na terra batida era Gustavo Kuerten. Guga, que é o maior ídolo brasileiro no tênis, chegou ao topo do ranking mundial brilhando justamente neste tipo de competição. Ele foi tricampeão em Roland Garros e virou número 1 do mundo. Foi no saibro, também, que ele viveu algumas das glórias em solo brasileiro e sul-americano.

Ainda assim, Guga não figura entre os cinco maiores campeões de Roland Garros no simples masculino em toda a história. A seguir, veja quais são os tenistas que mais venceram na capital francesa em todos os tempos.

Maiores campeões em Roland Garros na história

Masculino: Rafael Nadal – 13 títulos

O espanhol Rafael Nadal é simplesmente impressionante na terra batida de Paris. Eliminado na semifinal da edição de 2021 por Djokovic, o canhoto desperdiçou a chance de conquistar o 14º título de Roland Garros. Agora, volta ao páreo como um dos favoritos.

O número de conquistas é extraordinário, e o aproveitamento do Toro Miúra no saibro francês também. Antes do torneio de 2022, Nadal tinha apenas três derrotas em 108 partidas em Roland Garros. Em 2009, Nadal foi derrotado pelo sueco Robin Soderling, e em 2015 por Djokovic. Como venceu o adversário no ano passado, o sérvio se tornou o único a bater duas vezes o "rei do saibro" no Grand Slam francês.

Desta forma, Nadal soma mais de 100 vitórias em Roland Garros. Ele é o único com essa marca no torneio. O segundo maior vencedor de partidas na história do saibro da França é Djokovic, com 74 triunfos.

Como é praticamente imbatível no local, Nadal coleciona conquistas do slam. Ele venceu em 2005, 2006, 2007, 2008, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2017, 2018, 2019 e 2020, com um pentacampeonato seguido e dois tetras em séries. É um desempenho avassalador do maior campeão de Grand Slam da história (21 títulos).

“Na história, todos grandes tenistas tiveram aproveitamento melhor em um evento. Federer venceu Wimbledon oito vezes. Djokovic conquistou Melbourne oito vezes. Que o domínio de Rafa em Roland Garros seja maior que o de seus rivais em outros torneios... apenas aumenta os méritos do espanhol”, analisa Alexandre Cossenza, jornalista especializado em tênis, em seu blog no UOL.

Feminino: Chris Evert – 7 títulos

O cenário é semelhante no feminino. Chris Evert, que brilhou nas décadas de 1970 e 1980, foi dominante na terra batida e coleciona os principais recordes de Roland Garros entre as mulheres. Evert entrou no circuito em 1971, aos 16 anos. Ela teve desempenho surpreendente no US Open, se tornando a jogadora mais jovem a jogar as semifinais do slam americano.

A americana, que venceu 125 partidas seguidas no saibro entre 1973 e 1979, finalizou a carreira com sete títulos em Roland Garros: 1974, 1975, 1979, 1980, 1983, 1985 e 1986. “O que mais lembramos é sua mentalidade de ‘aço’ e seu lendário backhand de ‘duas mãos’. Chris Evert revolucionou o tênis feminino”, escreve o próprio site de Roland Garros. No total, ela venceu 18 títulos de Grand Slam.

Duplas masculinas: Roy Emerson – 6 títulos

O australiano Roy Emerson foi um dos principais nomes do tênis de duplas na era amadora, antes de 1968. Com mais de um parceiro, o tenista mostrou talento na terra batida e charmosa de Paris. Venceu seis vezes o torneio, sendo o recordista na modalidade. Os títulos aconteceram de forma consecutiva, entre 1960 e 1965.

O circuito mundial de tênis não para, e os principais campeonatos do ano estão na Betway. Visite o nosso site e faça as suas apostas no tênis.