Quem gosta de futebol com certeza já se imaginou jogando uma partida de Libertadores ou de Champions League. As duas competições são as mais importantes para as equipes de seus continentes –América do Sul e Europa, respectivamente. Conquistar um torneio dessa magnitude não é uma tarefa fácil.

Se ser campeão em um continente já é difícil, vencer em dois é uma honra para poucos. Todos os jogadores que conseguiram o feito de erguer os troféus da Libertadores e da Champions League são sul-americanos, apenas brasileiros e argentinos. Os dois países costumam exportar atletas para o velho continente –por outro lado, são raros os europeus que vêm atuar por aqui.

Veja, a seguir, quais atletas conquistaram Libertadores e Champions League na carreira.

Dida

Dida é um dos maiores goleiros da história do Brasil, e também esteve entre os principais do futebol mundial. Em 1997, ainda nas primeiras temporadas da carreira, foi campeão da Libertadores pelo Cruzeiro. Apenas seis anos depois, já no Milan, onde brilhou, conquistou a Champions League de 2002/03. O goleiro também levantou a 'orelhuda' em 2006/07. A carreira de Dida, extremamente vencedor, ainda teve o troféu da Copa do Mundo de 2002 com a seleção brasileira.

Roque Junior

Roque Junior tem, nesse quesito, uma trajetória bem parecida com a de Dida. O zagueiro foi campeão da Libertadores de 1999 pelo Palmeiras, o primeiro clube grande de sua carreira. Um ano após o título, foi para o Milan, onde, ao lado do goleiro, conquistou a Champions League de 2002/03. Foi peça importante na seleção brasileira campeã mundial em 2002.

Cafu

Cafu é mais um craque do penta da amarelinha que foi campeão da Libertadores e da Champions League. O capitão conquistou a América duas vezes, ambas pelo São Paulo, onde foi revelado, em 1992 e 1993. O título europeu também veio pelo Milan, mas na temporada de 2006/07, já perto do fim da carreira, repleta de taças.

Ronaldinho Gaúcho

Ronaldinho Gaúcho é mais um atleta que ergueu troféus por onde passou. Depois de conquistar a Copa do Mundo de 2002 com o Brasil, o craque foi para o Barcelona, onde se tornou ídolo. Eleito duas vezes o melhor jogador do mundo com a camisa blaugrana – os times de LaLiga dominaram a premiação nos últimos anos –, Ronaldinho comandou o Barça ao título da Champions League de 2005/06. Anos depois, já de volta ao Brasil e perto do fim da carreira, o meia foi primordial para o título da Libertadores de 2013 do Atlético-MG, a primeira da história do clube, e também virou lenda para os torcedores do Galo.

Tevez

Tevez é conhecido dos brasileiros. Ídolo no Corinthians, onde foi campeão nacional em 2005, o argentino ganhou a Libertadores de 2003 pelo Boca Juniors, quando tinha apenas 19 anos. O atacante foi campeão europeu com o Manchester United algumas temporadas depois, em 2007/08, erguendo a taça da Champions League.

Samuel

Samuel é outro jogador argentino marcante. O zagueiro, ídolo da Inter de Milão, foi campeão da Champions League de 2009/10 pelo time italiano. Anos antes, pelo Boca Juniors, onde também foi bem, havia conquistado a Libertadores de 2000 em final disputada diante do Palmeiras.

Danilo

Danilo chegou ao Santos em 2010, vindo do América-MG, onde foi revelado no ano anterior. No Peixe, ganhou destaque e foi peça-chave no título da Libertadores de 2011. As boas atuações o levaram à Europa. Em 2015/16 e 2016/17, levantou a taça da Champions League pelo Real Madrid, o maior campeão da história da competição.

Rafinha

Rafinha fez o caminho inverso ao da maioria dos brasileiros que ganharam os dois títulos. Tendo saído do país ainda jovem, o lateral venceu a Champions League de 2013 com o Bayern de Munique, onde atuou por oito anos e ergueu sete edições de Bundesliga, um dos campeonatos mais especiais da Europa. Logo no retorno ao Brasil, em 2019, brilhou pelo Flamengo, sendo campeão e um dos destaques da Libertadores daquele ano.

Neymar

Neymar foi campeão da Libertadores de 2011 com o Santos. Destaque da equipe, o então camisa 11 também foi eleito o craque da competição. Em 2015, pelo Barcelona, conquistou a Champions League, sendo um dos artilheiros do torneio, com 10 gols, ao lado de Messi e Cristiano Ronaldo – veja brasileiros que já foram goleadores máximos da competição. Neymar teve a chance de conquistar outra orelhuda em 2020, pelo PSG, mas a equipe francesa perdeu a final para o Bayern de Munique.

Ramires

Ramires era um dos pilares do Chelsea que foi campeão da Champions League de 2011/12. Em 2020, o volante atuou em sete partidas do Palmeiras na Libertadores, mas deixou o clube antes do título. Mesmo assim, foi lembrado pelo técnico Abel Ferreira na entrevista após a taça, quando o português disse que ele 'fez falta para a equipe'.

Solari

O ex-meia argentino Santiago Solari fez parte do elenco do River Plate que foi campeão da Libertadores de 1996. Pouco depois, em 2001/02, esteve no Real Madrid campeão da Champions League.

Caballero

O goleiro argentino Willy Caballero teve a honra de ser campeão da Libertadores e da Champions League mesmo sem atuar. Em 2001 e 2003, ele fazia parte do elenco vencedor do Boca Juniors. Em 2021, na última temporada, era terceiro goleiro no Chelsea, que faturou o torneio europeu. A edição atual, vale destacar, será decidida entre Real Madrid e Liverpool – veja os melhores palpites de futebol e saiba quanto o campeão vai embolsar

Sorín

Juan Pablo Sorín, velho conhecido dos brasileiros, é considerado o primeiro atleta a ter os dois títulos – e ambos foram conquistados na mesma temporada. Contratado pela Juventus, ele pouco atuou na conquista da Champions de 1996, mas, no mesmo ano, foi emprestado para o River Plate, onde ganhou a Libertadores.

Os jogos da Libertadores e Champions League estão na Betway. Acesse nossa página e faça suas apostas de futebol.