Qual você acha que é o signo do Brasil? “Existe signo de país?”, talvez você se pergunte. A astrologia - estudo milenar que relaciona as posições dos corpos celestes com os comportamentos humanos e os acontecimentos do planeta – produz os mapas astrais. No caso do Brasil, o mapa de 7 de setembro de 1822, data em que “nascemos”, por conta de termos nos tornado um país de fato com nossa Independência.

Pode até ser coincidência que nosso país, virginiano, historicamente tenha candidatos políticos quase que majoritariamente do signo de Virgem. E se perguntar se existe uma relação direta entre esses dois fatos não é de se estranhar. Afinal, diversos povos historicamente sempre usaram a astrologia como ferramenta de como apostar nas eleições

No entanto, resumir qualquer pessoa ou acontecimento para um astrólogo apenas por seu signo o deixará em fúria. A realidade é que a astrologia é muito mais do que o que convencionamos como signo, isto é, a posição que a Terra forma em relação ao Sol em determinado momento. No entanto, é ele, o Sol, ou Signo Solar, o posicionamento astrológico de maior relevância ao analisar alguém. Essa análise é feita através do Mapa Astral – uma “foto” do céu de um momento específico.

Por isso, neste ano eleitoral, a equipe de apostas nas eleições da Betway analisou e compilou, juntamente com um cientista de dados especializado na área, um histórico astrológico dos políticos brasileiros desde as eleições de 1994* – que é o período disponível de dados completos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) das candidaturas que já tivemos.

2022 é ano de eleições e de Copa do Mundo! Veja também:

A ideia é entender: quais foram os signos solares que mais e menos se candidatam? Levantamos esses dados de forma total, mas também por cargos, por faixa etária, por estados brasileiros e por partidos políticos. O que os dados encontrados dizem sobre os nossos políticos? E mais importante: o que isso diz sobre as opções que temos como  eleitores?

Para isso, convidamos a astróloga Phanie Sampaio para analisar o que representam as tendências encontradas.

Olhar geral: quais signos mais se candidatam à política no Brasil?

media

Bem-humorados, festeiros, sem tempo ruim: esse estereótipo, frequentemente usado para descrever os brasileiros, não deixa de ser verdadeiro como generalização do nosso povo. Até poderia ser de se esperar que os brasileiros, portanto, buscassem políticos com essas características. Mas não é isso que mostra a realidade encontrada em nossa análise de dados. Esses adjetivos, que facilmente poderiam caracterizar os sagitarianos, aparentemente é o que os brasileiros menos querem ver em um político. Isto porque os próprios sagitarianos foram os políticos com menos candidaturas no Brasil desde 1994, de acordo com as informações coletadas. 

Enquanto isso, os virginianos, de características quase que completamente distintas dos sagitarianos, foram um dos signos com mais políticos no Brasil. Eles, usualmente mais rígidos, meticulosos, detalhistas, sérios, sem tempo pra gracinhas, quase foram os políticos com mais candidaturas nas eleições brasileiras – eles ficam em 2º lugar no ranking da nossa coleta de dados. Prova de que o brasileiro até pode ser carnavalesco, mas para a política, temos à nossa disposição para votar  quem faz acontecer, como um bom virginiano.

No entanto, foi outro o signo com mais políticos no Brasil, de acordo com a análise. São eles os cancerianos. E para isso, há explicação. Segundo a astróloga Phanie Sampaio, na Astrologia Mundial, braço da astrologia dedicado à relação com a política, o signo de Câncer, que é regido pela Lua, representa o povo. “E o povo é a origem de tudo, ele é quem fundamenta tudo”, explica. 

Ou seja, na prática, os cancerianos são pessoas com maior tendência a se conectarem com o emocional coletivo, como os anseios e emoções de um país – característica determinante que os movem a se candidatarem. 

Quais signos mais se candidatam por cargo

Apesar de os cancerianos serem, em geral, o signo da maioria dos políticos no Brasil, há diversidade entre quais signos mais ou menos se candidatam para cada cargo. Isto ocorre, pois, cada cargo demanda diferentes características que o eleitor pode desejar. Isso faz, por exemplo, com que cargos distintos tenham os mesmos signos como mais e menos candidatos e vice-versa. É o caso dos escorpianos e dos taurinos, por exemplo.

Se analisarmos quais são os signos que mais se candidatam à Presidência no Brasil, vemos que os escorpianos ganham de lavada. Segundo a astróloga, isto acontece porque eles possuem a forte habilidade de conexão com o inconsciente coletivo, ou seja, conseguem compreender quais são as reais frustrações e intenções de um grupo de pessoas – característica essencial para a posição de um presidente da República, que mais do que em qualquer outro cargo, precisa ser capaz de entender os desejos e se comunicar com um amplo grupo de pessoas – a população brasileira.

Enquanto isso, os taurinos (signo de características opostas e complementares ao Escorpião) exalam honestidade e praticidade em relação ao que acreditam que precisa ser feito, segundo Phanie. Por isso, pode parecer curioso, mas nem sempre a população quer escutar a realidade - habilidade-chave de um taurino - de um político como ela diz querer, mas quer se sentir escutada e tocada – habilidade que os escorpianos exercem com maestria. 

No entanto, essa situação se inverte quando analisamos os prefeitos com mais candidaturas no Brasil. Se tratando da gestão das cidades, a população quer soluções reais, rápidas e eficientes – características que o pragmatismo taurino é capaz de proporcionar, enquanto a compreensão emocional escorpiana deixa a desejar.

“Signos como Câncer, Libra e Escorpião sabem compreender melhor suas emoções, e por isso, conseguem compreender a dos outros também. Por isso, compreendem politicamente o que o outro quer e precisa”, comenta a astróloga.

A forte presença canceriana também se dá nas candidaturas dos vereadores e deputados estaduais. De acordo com a astróloga, a tendência pode ser explicada pois Câncer representa a casa e a família.  Esses políticos são aqueles que mais precisam estar em seus locais de origem, como suas cidades ou bairros para conseguirem atuar, ou seja, eles precisam estar mais próximos de seus domicílios eleitorais. Os temas que trabalham, muitas vezes, também têm maior relação doméstica que em qualquer outro cargo. 

Quais signos mais se candidatam por faixa etária

É notório em nossa análise que há maior proporção de pessoas mais velhas que mais novas se candidatando no Brasil. Mas se engana quem diz que a maioria são de  cabeças brancas, já que a maior parte dos políticos no Brasil têm entre 45 a 54 anos, seguidos dos de 35 a 44 anos. 

Idade importa?

E como mudamos ao longo da vida, muda de faixa etária para faixa etária quais signos mais se candidatam. Apesar disso, há um signo que se destaca em mais de uma faixa etária. É o caso dos arianos. Entre os 18 aos 24 anos, precisam do pioneirismo e da impulsividade ariana para se candidatarem - por não possuírem a maturidade que maiores idades trazem. No entanto, na faixa etária dos 45 a 54 anos, também são os arianos a maioria. O que explica? A independência e o senso de liderança ariano são bem-vindos para ser político.

Quais signos mais se candidatam por estado

Como mostra a análise, os cancerianos e virginianos são a maioria política de forma generalizada e o mesmo acontece quando analisamos estado a estado brasileiro. Portanto, vale colocar uma lupa: por que alguns estados tendem a ter mais políticos de determinados signos?

Os virginianos, por exemplo, são maioria no AM, GO, MG, PR, SC, SE, SP e TO. Alguns desses estados são conhecidos politicamente por uma mentalidade e histórico mais conservador. Esse conservadorismo pode estar atrelado a diversas características virginianas, como uma visão mais crítica do que precisa ser feito politicamente. Por ser um signo de terra, também pode estar associado ao cuidado com o que importa, a alta prioridade ao trabalho (como é uma tendência de SP, por exemplo) e também da relação com a própria terra, que é central economicamente em vários desses estados.

“Esses são estados que sempre estão querendo caminhar para frente nessa questão de produtividade, sabe?”, explica a astróloga sobre a relação virginiana com a produtividade.

os cancerianos se destacam no AC, AL, BA, ES, MS, PA, PB, PE e RS, ou seja, com forte tendência em estados do Norte e Nordeste brasileiros, que são regiões que historicamente preferem políticos de caráter de alta ligação com o povo, como é característico deste signo.

Podemos destacar também a forte presença dos arianos no DF, região que é sede dos poderes federais no Brasil e por isso, tem a aura política de guerra – símbolo que na astrologia, representa bem os arianos, que são regidos por Ares, na mitologia grega, deus da guerra. 

Quais signos mais se candidatam por partido

Assim como em relação aos estados, há um destaque natural dos signos que mais se candidatam de forma generalizada entre alguns partidos**. Entretanto, também há razões astrológicas que explicam esses sucessos a partir das características desses partidos.

Novamente em relação ao signo de Áries, por exemplo, é o caso de partidos como PSB, PSDB, PSOL e PSD, que apesar de bastante distintos entre si em suas ideologias e práxis políticas, se destacam entre os 32 partidos que temos atualmente no Brasil. Isso pode ser explicado pela alta quantidade de arianos que esses partidos possuem, por se imporem e frequentemente serem independentes aos demais dos campos políticos que compõem.

Os librianos, por exemplo, famosos pelo equilíbrio, diplomacia e busca pela justiça, têm essas características como primordiais na política. Não é à toa que em todos os vieses analisados nesta reportagem - cargos, partidos, faixa etária, estados brasileiros - eles se mantêm com uma alta quantidade de candidatos. E é esse o signo da maior parte das candidaturas do antigo DEM (atual União Brasil) – que hoje é o partido majoritário no Congresso Nacional, mostrando a relevância que os ponderadores librianos possuem para o cenário político.

Já os cancerianos – sim, eles novamente – são maioria no MDB, que têm sua importância histórica, uma vez que, durante a Ditadura Militar, foi o único partido democrático apto a disputar as eleições indiretas. Para a astróloga Phanie Sampaio, essa presença do MDB é o que faz com que o partido seja recorrente na vida e na memória do brasileiro. Essa conexão popular é o que explica o porquê “o povo sempre o escolhe, é aquele que está sempre ali, é a casa do povo”. Não coincidentemente, a Câmara dos Deputados – casa legislativa que o MDB foi o partido que mais ocupou – é conhecida como “a casa do povo”. 

Por pouco, o PT também não tem os cancerianos como maioria. Apesar disso, sua alta quantidade de candidaturas deste signo pode ser explicada pela inegável relação do partido com o povo. Nascido em 1979 a partir de grandes greves de operários e militantes sindicais, a conexão popular está na base da criação do partido e se mantém até hoje.

Com baixa diferença, no entanto, são os virginianos os maiores candidatos pelo PT – razão que pode explicar o porquê o partido foi o que mais governou o executivo federal desde 1994 (ano do início desta análise). Esta forte atuação pode ter ligação com o alto pragmatismo, criticidade e vontade de realização que Virgem possui, e que são características intrínsecas aos governantes.

Analisando o mapa astral do Brasil com a astróloga Phanie Sampaio

E por fim, quais são os signos que predominam entre os políticos eleitos no Brasil?

media

Os signos que mais se elegem no Brasil também são os cancerianos. Ou seja, a questão da conexão com o povo não é só algo que pessoas que querem se tornar políticos prezam, mas a sociedade também os escolhem para, de fato, se empossarem do cargo.

Já em relação aos cargos de grande poder, como os presidentes e os governadores, na hora de escolher quem irá governar, a história é diferente. 

No caso dos presidentes, a situação fica empatada entre os escorpianos, sagitarianos e geminianos - signos bem diferentes uns dos outros, o que mostra, inclusive, uma busca incessante por um estilo diferente de liderança em cada momento.

Já em relação aos governadores, surpreendentemente, o signo com o maior número de eleitos é Peixes. Apesar de terem fama de serem signos avoados e muito sonhadores, os piscianos também têm como característica a empatia, algo bem importante para os políticos. 

Fica evidente por esta análise que há características que mais fazem com que as pessoas queiram se tornar políticas ou não.  Os críticos virginianos são maioria – espelhando a própria crítica constante dos brasileiros à política. Mas aqueles que imperam mesmo são os cancerianos, com seu senso do que está no coração do povo. Pois política, no final do dia, é sobre compreender o que está no coração da população e depositar esforços inimagináveis para tocar esses corações – característica que os cancerianos dominam.

*Não foi possível analisar os dados dos estados do PR, MT e RJ na eleição de 1996, pois na época, os estados não eram obrigados a divulgar as fichas eleitorais dos candidatos. Essa regra mudou em uma decisão de 2000 do TSE, que abriu os dados de 1998 em 2003. 

**Foram analisados somente alguns partidos políticos e não todos existentes.