Nessa época do ano, são comuns as matérias sobre quais os melhores lugares para passar o Ano Novo, com dicas que passam por diferentes lugares tanto do Brasil quanto da Europa. E tratando-se de viagens, você com certeza já escutou aquela frase que diz que “viajar para até para a Europa é mais barato do que para o Nordeste”. Mas será que isso é mesmo verdade?

Pensando em trazer essa ideia popular para uma análise na ponta do lápis, a equipe de roleta virtual da Betway elencou, com suporte de pesquisas oficiais realizadas por nomes relevantes do mercado como Decolar.com, Hoteis.com e ViajaNet, além de entrevistas exclusivas com a gerente de negócios da Befly e os CEOs das empresas Gracco Viagens e Turismo e Clube Turismo, diversos pontos sobre o assunto.

Os destinos mais procurados pelos brasileiros para curtir a virada do ano, segundo os especialistas da área, são Natal, Salvador, Fernando de Noronha, Jericoacoara, Maceió e Fortaleza, no Nordeste; Paris, Roma, Lisboa, Berlim, Madri e Londres, na Europa, não necessariamente nessa ordem, mas com algumas preferências em destaque.

Leia também:

Entre os destinos brasileiros, Maceió foi um dos mais citados entre os entrevistados e nas pesquisas consultadas, assim como Fortaleza. No continente europeu, o grande destaque vai para Paris. Lisboa também é bastante procurada para a celebração das festas. E, bom, nenhum desses lugares está entre os 3 mais caros da nossa análise.

Para descobrir se viajar para o Nordeste é, de fato, mais caro do que para a Europa, simulamos uma viagem com destino aos 6 lugares brasileiros e aos 6 lugares europeus favoritos listados nas pesquisas e nas entrevistas realizadas pela nossa equipe, mencionados acima.

Realizamos o cálculo a partir de uma viagem realizada do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com passagem econômica para 1 adulto e hospedagem de hotel 3 estrelas para 1 pessoa, em região turística. Os valores foram simulados nas plataformas Kayak, 123Milhas, Decolar.com e Hoteis.com, somados e depois divididos, a fim de encontrar um valor médio.

Foi assim que descobrimos que passar o fim de ano em alguns destinos do Nordeste exige valores mais altos, alguns na casa dos R$ 9.000. Com o investimento necessário para curtir o Ano Novo em Fernando de Noronha, por exemplo, você tem também dinheiro para passar o fim do ano 2x em Fortaleza, no Ceará. Confira o infográfico abaixo:

media

Então podemos dizer que viajar para o Nordeste é mais caro do que para a Europa, mas não de forma generalizada. As festas de fim de ano em Maceió podem sair até 120% mais baratas do que em Paris, e mesmo sendo o destino nordestino mais caro entre os analisados, Jericoacoara ainda assim sai em média 30% mais em conta do que a romântica cidade das luzes.

media

Alguns investimentos são mais próximos, e vale considerar que tipo de energia você quer para o seu fim de ano. Visitar Roma no fim do ano depende de um investimento apenas 7% mais alto do que conhecer a paradisíaca e ensolarada Noronha, e vale um passe para o inverno europeu, próximo ao Coliseu. “Eu achei bem diferente daqui. Ninguém com aquela coisa das roupas brancas, com muitos dos costumes que a gente tem de fim de ano”, conta a jornalista Mariane Martins, que passou um Ano Novo em Roma na companhia dos pais.

“O viajante que optou em passar um Reveillon pulando as três ondinhas na praia, certamente, vai passar a virada do ano em algum destino no Nordeste brasileiro. Neste caso, podemos identificar dois perfis, uma parcela de turistas jovens, que curtem essa ‘vibe’ mais livre, leve e solta das festas em região de praia e, também, muitos turistas que viajam em família e querem o descanso e a comodidade de uma festa de Ano Novo nas próprias dependências do hotel”, diz José Graco, fundador e CEO da Gracco Viagens e Turismo.

“Em contrapartida, o viajante que deseja passar o Réveillon no exterior são turistas com familiares em algum destino na Europa, casais e amigos que possuem este sonho de viagem e buscam conhecer o frio europeu, característico do período, ou turistas que prezam por um turismo de luxo”, explica.

Atualmente, a busca pelas viagens com destino à Europa estão em constante crescimento, explica Ana Virgínia Falcão, CEO da Clube Turismo. “Depois de dois anos sem poder fazer viagens internacionais, o mercado em 2022 para turismo aqueceu muito, as viagens internacionais já aumentaram consideravelmente. Para o Ano Novo esse crescimento é certo”. Porém, Noronha é o destino mais procurado pelos seus clientes para as festas de fim de ano.

Em um cenário ideal, o viajante poderia escolher o destino pelas suas suas características e pontos turísticos, porém, são os valores que muitas vezes falam mais alto. Segundo José Graco, isso é o que explica o destaque de nomes como Fortaleza e Salvador entre os destinos mais procurados: “já faz alguns anos que as tarifas aéreas determinam, de certa forma, o destino escolhido pelos viajantes que desejam viajar em dezembro e passar a virada de ano longe de casa. Apesar da alta temporada, Fortaleza e Salvador estão entre tarifas atrativas”, diz. Segundo ele, a palavra chave para uma viagem com investimento econômico é planejamento.

Jericoacoara é um dos destinos mais procurados por brasileiros e também por estrangeiros para as festas de fim de ano. Segundo Silvia Lage, gerente de negócios B2C na Belvitur (BeFly), os pacotes podem ultrapassar a marca dos R$40.000, com pacotes all inclusive de resorts para casais e famílias.

Dos 12 lugares analisados, os únicos com investimento na faixa ou abaixo dos R$6.000 são destinos nordestinos, contando com uma análise feita para alta temporada. E conseguindo economizar na passagem você também economiza muito mais na viagem, pois ficou nítido na análise que o mais caro nas viagens europeias (em todos os destinos analisados) é a parte aérea. Das 6 hospedagens europeias analisadas, 4 não passavam dos R$3.000 - considerando um hotel 3 estrelas em ponto turístico, é um ótimo custo-benefício.

Para passar o Ano Novo em Berlim, o investimento na passagem pode sair até 5x mais alto do que na hospedagem. A capital mostrou ser um dos destinos mais em conta para hospedagem segundo a análise realizada pela Betway, seguida por Madri, na Espanha.

Já nos destinos mais cobiçados do Nordeste, o que mais encarece alguns destinos são as hospedagens. Em Jericoacoara, a hospedagem pode sair até 39% mais cara do que as passagens aéreas, ida e volta. Na ilha de Noronha, o fato se repete: a hospedagem pode sair 2,5x mais cara do que as passagens aéreas de ida e volta.

Então agora, sempre que escutar essa frase, você sabe que ela pode até ser verdade, mas não escrita em pedra. A conversa vai ganhar um outro nível com os argumentos baseados em fatos numéricos. Afinal, sim, conhecer o Nordeste pode ser quase 10% mais caro do que a Europa, mas nada de generalizar: tudo depende de onde você quer conhecer. E aí, já decidiu o seu próximo destino?