Maior campeão da Copa do Mundo com cinco troféus e único país a disputar todas as 21 edições do evento, o Brasil ostenta uma das histórias mais ricas no torneio organizado pela Fifa e nas fases classificatórias, com as Eliminatórias Sul-Americanas.

Conhecido por ser o país do futebol justamente por ser a única seleção pentacampeã do mundo, o Brasil acaba sobrando nas Eliminatórias diante dos países vizinhos. É por isso que a equipe verde e amarela nunca ficou fora de um Mundial desde a primeira edição, em 1930.

Prestes a carimbar mais um passaporte para a Copa do Mundo, desta vez para a competição do Qatar, que acontece a partir de novembro de 2022, o Brasil é também um dos países com mais gols em Mundiais. Ronaldo Fenômeno foi, até 2014, o maior artilheiro da história do evento -- ele acabou ultrapassado pelo alemão Miroslav Klose (16 gols contra 15 do brasileiro).

Atualmente, o brasileiro com mais gols em Copa é Neymar. O atacante do PSG balançou as redes em 6 oportunidades no Mundial e pode, portanto, se aproximar dos atacantes históricos da seleção amarelinha. A próxima edição da Copa é daqui a cerca de um ano, no Qatar.

Abaixo, veja quais são os maiores artilheiros brasileiros em edições de Copa do Mundo.

media

Careca – 7 gols

media Fonte: Alessandro Sabattini / Getty Images Sport via Getty Images

O primeiro da lista é Antônio de Oliveira Filho, popularmente conhecido por Careca. O centroavante, que brilhou nas décadas de 1980 e 1990, é um dos melhores que o futebol brasileiro já produziu e exportou para a Europa. De 1987 a 1992, o ex-jogador fez dupla de ataque com Diego Armando Maradona no Napoli, venceu a Liga Europa e se tornou um dos maiores ídolos do clube italiano.

Em solo brasileiro, não foi diferente. Careca brilhou com as camisas do Guarani e do São Paulo. Ele tem duas taças do Campeonato Brasileiro (em 1978, com o time de Campinas, e em 1986, com o Tricolor do Morumbi) e um prêmio de artilheiro da competição nacional, no ano em que levantou o troféu com o time da capital.

Com a seleção brasileira, Careca viveu um drama em 1982. Uma lesão o tirou da Copa do Mundo da Espanha, e ele só conseguiu representar a equipe canarinha quatro anos depois, em 1986, no México. Apesar da eliminação para a França nas quartas de final, o centroavante saiu valorizado do Mundial. Ele fez cinco gols no torneio, atrás apenas do inglês Gary Lineker (6).

Já na Copa de 1990, Careca brilhou logo na estreia. Fez dois gols diante da Suécia, garantiu a vitória por 2 a 1 e somou um total de sete gols pelo Brasil em Copas.

Leônidas da Silva e Rivaldo – 8 gols

media Fonte: Claudio Villa / Getty Images Sport via Getty Images

Ídolo do São Paulo e conhecido por ter inventado a bicicleta no futebol, Leônidas da Silva foi um dos melhores jogadores do Brasil no início da era profissional do esporte, na década de 1930. O ‘Diamante Negro’ esteve nas Copas de 1934 e 1938 e, apesar de derrotas da seleção tupiniquim, foi um espetáculo em campo. Em apenas cinco jogos de Copa do Mundo, Leônidas anotou oito gols. Isso lhe dá uma média impressionante de 1,60 gol por partida em Mundiais, a melhor marca entre todos os brasileiros.

Empatado com o craque da década de 1930 aparece Rivaldo. Campeão do mundo em 2002, o canhoto meia-atacante viveu momentos especiais com a camisa verde e amarela. Além de ser decisivo no penta, ao lado de Ronaldo e Ronaldinho, teve participação importante no vice-campeonato de 1998, na França. Apesar de não ser um atacante de ofício, Rivaldo decidiu muitos jogos para o Brasil e tem oito gols em 14 partidas de Mundiais (nas duas vezes em que foi à Copa, disputou os sete jogos).

Ademir de Menezes, Vavá e Jairzinho – 9 gols

media Fonte: STAFF / AFP via Getty Images

O triste episódio do ‘Maracanazo’, quando o Uruguai venceu o Brasil (2 a 1) de virada na decisão da Copa de 1950 e calou um Maracanã com quase 200 mil pessoas presentes, marcou uma geração de craques no futebol brasileiro. Não faltavam craques ao time, como Friaça, Zizinho e Bauer. Havia também um camisa 9, atacante do Vasco da Gama, com um faro de gol absurdo: Ademir de Menezes.

O pernambucano marcou nove gols só na edição da Copa de 1950. Ele atingiu o feito disputando seis partidas (média de 1,50 tento por jogo).

Em 1958 e 1962, edições do bi consecutivo e inédito para o Brasil, Vavá foi extremamente decisivo. Ele fez nove gols em 10 partidas, o suficiente para se credenciar como um dos melhores atacantes de todos os tempos no esporte.

Quem também brilhou com gols e título foi Jairzinho. Campeão em 1970, no México, em um dos melhores times da história do futebol, ele tem nove tentos em 16 jogos de Mundial. O feito mais interessante é que Jairzinho marcou ao menos um gol em cada um dos seis jogos naquela Copa, algo inédito na história do torneio.

Pelé – 12 gols

media Fonte: Alessandro Sabattini / Getty Images Sport

Quinto maior artilheiro da história da Copa do Mundo, o Rei do futebol foi um absurdo disputando Mundiais. Conquistou o primeiro troféu ainda aos 17 anos -- e como protagonista do time --, na Suécia. Ele também participou das Copas de 1962 (campeão), 1966 (eliminado na fase de grupos) e 1970 (campeão e com show do camisa 10).

Pelé é um dos grandes nomes da Copa do Mundo por tudo que fez e conquistou dentro da competição. No total, o maior jogador de todos os tempos fez 12 gols em 14 partidas disputadas. Entre títulos, dribles, lances de efeitos, lesões e muitas faltas sofridas, o eterno camisa 10 brasileiro terminou com uma média de 0,86 gol a cada 90 minutos em Mundiais.

Ronaldo – 15 gols

media Fonte: Mark Leech/Offside / Offside via Getty Images

Ronaldo tem algo em comum com Pelé: também disputou quatro Copas do Mundo, de 1994 a 2006. O Fenômeno, que participou de duas campanhas vitoriosas (1994, ainda jovem, e 2002, quando foi o grande destaque do Brasil), não só superou os números do Rei do futebol, como se tornou o maior goleador da história da Copa.

Uma grave lesão no joelho quase tirou Ronaldo do futebol para sempre, mas o atacante conseguiu uma recuperação improvável e, em dois anos (de abril de 2000 para junho de 2002), conduziu a seleção ao pentacampeonato. O talento absurdo, e potencializado quando vestia a camisa do Brasil, é representado em números: são 15 gols em 19 partidas de Copa, com média de 0,79.

Ronaldo permaneceu por oito anos como o maior artilheiro das Copas, mas foi ultrapassado por Klose em 2014. O alemão disputou incríveis 28 partidas em Mundiais e chegou a 16 gols.

A página soccer bets traz todos os jogos das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa; Visite-a e saiba mais.