Diante de problemas políticos e escândalos no país no âmbito público, o torcedor brasileiro de futebol reafirma uma máxima a cada rodada do Brasileirão Série A que já virou meme: “a única lei que funciona no Brasil é a do ex”. Mas, afinal, o que é a Lei do Ex? Como ela funciona? Ela é realmente eficiente? E quando surgiu?

Essas são algumas das principais perguntas sobre um assunto que é revisitado em quase todo fim de semana de rodada do Brasileirão Série A: na dúvida, tem alguma Lei do Ex acontecendo pelos gramados do país. Ela é praticamente implacável.

Como meme e zoação entre torcidas do Brasil, a Lei do Ex coloca frente a frente jogadores e ex-clubes e ex-companheiros. Aí, claro, a internet não perdoa. Abaixo, veja o que é a lei que ‘rege’ o futebol nacional, como ela surgiu e números do conceito mais cruel, e engraçado, do mundo da bola atualmente.

media Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

O que é a Lei do Ex?

Antes de mais nada, é preciso contextualizar que a Lei do Ex é algo informal, extraoficial e bastante alimentado por torcedores. Ou seja: não é algo sério e regulamentado como o nome ‘lei’ pode sugerir.

Mas, voltando para o campo da bola, a Lei do Ex tem entendimento simples. Basicamente é quando um jogador enfrenta e faz um gol em um ex-time, um clube em que já representou na carreira.

Como funciona a Lei do Ex?

Problemas para fazer gols? Chama a Lei do Ex. Ela entra em vigor sempre que um jogador faz um gol em um ex-clube. E parece que os atletas têm maior inspiração para enfrentar os times que já conhecem bem, viu?

Quando surgiu a Lei do Ex?

É difícil precisar quando a Lei do Ex se tornou uma das marcas do futebol brasileiro, afinal é um conceito mais ligado a torcedores e redes sociais. Mas, como a regra está cada vez mais presente no debate esportivo, a mídia tem dado mais espaço para a brincadeira na produção de reportagens e produtos televisivos, seguindo as tendências da internet. Essa pode ser, aliás, uma explicação para o fato de que a lei esteja cada vez mais presente e popular nos jogos do Brasileirão.

Ainda assim, em levantamento feito pelo ge, as primeiras procuras pelo termo tem registros de 2007. O aumento pela busca da Lei do Ex, porém, aconteceu somente dez anos depois, em 2017, segundo o Google Trends.

Desta forma, dá para dizer que o conceito existe há quase 15 anos, mas não tem nem cinco temporadas que ele está amplamente difundido e no imaginário do torcedor. Atualmente, já dá para cravar: é muito difícil uma pessoa que acompanha o Brasileirão não conhecer a regra.

A Lei do Ex acontece com frequência?

Ninguém nunca havia feito um estudo profundo sobre a Lei do Ex porque, além de ser recente, é um assunto informal e que demorou, até certo ponto, para virar motivo de análises de dados e embasadas. Mas, antes do início do Brasileirão Série A 2021, o ge mapeou o campeonato nacional de 2010 a 2020 para responder uma pergunta bastante feita: a Lei do Ex acontece com frequência?

De acordo com a análise do veículo de imprensa, na década passada, de 2010 a 2020, foram 759 gols marcados por jogadores contra ex-times. A edição do Brasileirão que mais contou com o conceito foi justamente a do ano passado, que teve 86 bolas nas redes de atletas diante de ex-clubes. O levantamento, porém, indica que a Lei do Ex não é algo tão frequente como muitos torcedores e páginas especializadas repetem nas redes sociais.

O Brasileirão 2020 teve um total de 944 gols marcados. Ou seja, 858 gols não contaram com a Lei do Ex. Ainda de acordo com o estudo, de 559 atletas com pelo menos três jogos contra ex-times no Brasileirão, 62% têm desempenho melhor contra equipes que nunca defenderam na carreira.

No ano passado, Diego Souza foi responsável por quase 10% dos gols de ex: o atacante, hoje no Grêmio, marcou oito gols contra ex-equipes. Pesa a favor do experiente centroavante o fato de que ele já é veterano e tem uma rodagem alta por vários clubes do país desde 2003, quando foi revelado pelo Fluminense. Ele também já defendeu Palmeiras, Flamengo e São Paulo.

Além do levantamento inédito feito pelo portal da Globo, existe uma página no Instagram que difunde a Lei do Ex pelo Brasil e divulga números e dados em tempo real da regra (veja na publicação a seguir): é a @leidoex_oficial, com mais de 30 mil seguidores.

EMBEDAR: Instagram

Por que a Lei do Ex é tão popular?

Como levantado pela Globo em estudo de uma década de Brasileirão, a Lei do Ex não é tão frequente assim, em números totais, como aparenta. Mas a repercussão de cada episódio da regra é que faz a popularidade ser alta. A divulgação de conteúdos neste sentido é tão grande que dá uma impressão mesmo de ser maior do que parece.

Ainda assim, no mundo dos boleiros, existe uma mobilização para quem enfrenta um ex-clube. Essa é a visão de Caio Ribeiro, ex-jogador de futebol com passagens por São Paulo, Flamengo e Santos e hoje comentarista da TV Globo. Na visão do analista, a motivação pesa bem mais do que o conhecimento sobre o adversário na hora de um profissional aplicar a Lei do Ex.

“O principal é a motivação. É o fato de o jogador querer voltar para aquele lugar e dar uma resposta mostrando que tem bola para voltar ao clube. Ou dar um ‘cala boca’ no sentido de 'eu saí, mas não devia ter saído porque ainda jogo para caramba'. Acho que é muito mais o lado motivacional do que o conhecimento do adversário”, pontuou Caio Ribeiro, quando abordado sobre o assunto.

O Brasileirão está emocionante e a Lei do Ex pode fazer mais vítimas. Visite o site da Betway e aproveite para fazer as suas apostas Brasileirão.