O clima de Natal está no ar. E mais do que luzes, cores e presentes, ele desembarca também na TV. São novos filmes temáticos, reprises de clássicos, especiais, maratonas e episódios natalinos das séries mais amadas. E isso, claro, tem um motivo: o Natal é universal.

“Ambientar as histórias nestas épocas de festa é uma ferramenta de identificação muito forte com os espectadores, que em sua maioria também vivenciam estas comemorações”, conta a Doutora em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), Fernanda Manzo Ceretta à Betway.

Como a maioria das pessoas ama o Natal, o time de roleta online da Betway resolveu analisar os episódios natalinos de cinco das séries de TV mais populares, Friends, Como Eu Conheci Sua Mãe (How I Met Your Mother), Big Bang: A Teoria (The Big Bang Theory), The Office e Os Simpsons. 

Quer saber quem é o personagem mais gastão, o mais pão-duro ou o mais beberrão? Qual foi o presente mais caro? Ou o que eles usam nas suas decorações natalinas? A gente responde isso (e muito mais!).

Os presentes

Dar presentes é um aspecto fundamental do Natal, que une duas tradições estruturantes deste feriado: cristianismo e consumismo. Por um lado, a prática vem desde que os Três Reis Magos levaram ouro, incenso e mirra para celebrar o nascimento de Jesus. Por outro, representa as práticas da vida social, comercial e urbana ligadas ao capitalismo ocidental pós-industrial. 

Óbvio que tamanha tradição seria também representada nos episódios das séries de TV.

media

Barney (How I Met Your Mother), o personagem mais gastão, acaba se empolgando com o bônus de fim de ano e compra para si mesmo um terno com diamantes (US$ 75.000,00), em “Positivo por engano” (E12, T06). 

O segundo mais gastão, Michael Scott (The Office), compra duas passagens para a Jamaica com tudo incluso (US$60.000,00), em “Um Natal no Benihana” (E10-11, T06).

Homer Simpson, o medalhista de bronze, compra um carro (US$ 15.490,00), em “Milagre de Natal” (E10, T09), com o dinheiro que a cidade tinha doado para sua família.

Mas nem só de personagens gastões e/ou caridosos vivem as séries. Têm muitos os que são pães-duros ou que preferem economizar. 

A primeira colocada é Penny, de The Big Bang Theory, que diz ao namorado que o presente de Natal é ela mesma, enquanto ele responde que já ganhou esse presente no ano passado em "A extração Cooper" (E11, T07).

Em segundo temos a Tia Selma, irmã de Marge Simpson, que em “Milagre de Natal” (E10, T09), dá uma nota de 1 dólar a Bar, que celebra beijando o presente e dizendo: “sempre com suas 5 pratas”. 

A medalha de bronze vai para Belsnickel, de The Office, que sempre presenteia com artigos baratos, como conjunto de borrachas para potes em conserva, ratoeira, potinhos e estilingue. 

A característica da economia pode ser observada na sociedade também. Brian Earl, do podcast e blog Christmas Past, contou exclusivamente à Betway que “enquanto o consumismo, materialismo e outras formas de excesso entram em conflito com outros elementos da temporada, o Natal é muitas coisas para muitas pessoas e a experiência do Natal de cada um é diferente”.

As bebidas

Os excessos não estão só nas compras de bens materiais, mas também no comportamento desses personagens. Foram analisados os maiores beberrões durante as festas natalinas e este foi o resultado.

media

Perceba que nem o Homer Simpson, que foi expulso de casa na noite de véspera em “Um Natal Sem Família” (E09, T26) ao perder a noção de tempo no bar do Moe, conseguiu competir com as festas em The Office. A série preencheu o TOP 10 com 7 beberrões e coroou Meredith como a rainha da bebida,. Ela, inclusive, chegou a atear fogo no próprio cabelo em “Natal Marroquino” (E11, T05) depois de ter bebido (pelo menos) 4 drinks criados pelo seu chefe Michael, que batizou de “um de cada” e leva uísque, gin, absinto, rum, vermute, triple sec e dois pacotes de adoçante.

O cartão natalino dos Simpsons, no fim do episódio que trocou a família pelo bar, traz escrito que “O lugar para se ficar bêbado é em casa”. É nesta situação que observamos a 2ª e 3ª colocadas, Penny e Robin. Nos episódios "A Hipótese do Kit de Banho como Presente" (E11, T02) e “Sinfonia da Iluminação” (E12, T07), respectivamente, mais renderam pontos em unidades alcoólicas para cada, ambas descontavam as suas frustrações bebendo sozinhas uma garrafa inteira de destilado misturado com eggnog.

Por falar em eggnog, ou gemada, em português, ela é uma das bebidas prediletas dos personagens nos episódios natalinos. O drink que leva gema de ovo batida com leite e açúcar é muito popular nas festividades, só não aparecendo em Friends. Ela pode ser feita de forma caseira ou também é vendida em qualquer supermercado e as pessoas misturam com o destilado alcoólico de preferência.

Apesar do eggnog ser um costume um tanto estranho para a realidade brasileira, a universalidade do Natal nos une com muitos outros costumes observados nos EUA. Os pensadores Eric John Ernest Hobsbawm e Terence Ranger, em A invenção das tradições (Paz e Terra, 1997), indicam que as tradições são um conjunto de práticas que inserem “certos valores e normas de comportamento através da repetição”, o que explica tantas semelhanças entre os episódios vistos nas séries com a nossa própria realidade.

A historiadora, dona do blog Christmas TV History e autora de diversos livros sobre o tema, Joanna Wilson admite à Betway que a cultura do Natal na TV foi criado e se mantém “para atrair os espectadores a prestar atenção nos comerciais”, ou as plataformas de streaming para atrair assinantes. No entanto, esses valores se tornam ainda mais interessantes quando as histórias de Natal desafiam o consumismo. 

Esses especiais de TV e cinema, portanto, nos ajudam a manter as tradições vivas, afinal nos inspiram a mantê-las. Além disso, é claro, de nos proporcionar muita diversão. Que venham, cada vez mais, episódios especiais de Natal.