Uma coisa que esta geração de fãs de esporte talvez não se dê conta, é de como são sortudos de viver no início do século XXI e ver, em diversas modalidades, alguns dos melhores atletas que já passaram por estes esportes e até pelo esporte como um todo.

Somos sortudos por poder ver as carreiras inteiras de Messi e Cristiano Ronaldo no futebol, por poder ver Tom Brady e o já aposentado Peyton Manning duelarem no futebol americano.

Pudemos ver Michael Phelps se tornar o maior atleta olímpico de todos os tempos, vimos pelo menos boa parte da carreira de Michael Schumacher e estamos vendo a ascensão de Lewis Hamilton na Fórmula 1.

No basquete, ainda que tenhamos visto pouco de Michael Jordan, vimos muito de Kobe Bryant e estamos vendo Lebron James entrar cada vez mais nesta conversa.

Enfim, já deu para entender que estamos vivendo os anos dourados do esporte, com atletas atingindo níveis de performance jamais vistos.

Mas e no tênis, é diferente? A resposta, obviamente, é não. No feminino, Serena Williams reina absoluta como a maior de todos os tempos. Para muitos, inclusive, ela é a maior atleta de todos os tempos, independente de gênero ou modalidade.

No masculino, no entanto, há uma série de grandes nomes com argumentos decentes para colocá-los no topo da história. Nós selecionamos aqueles que acreditamos serem os 5 melhores tenistas da história e mostramos o que pode ser dito para que eles defendam seu direito de serem considerados “o melhor de todos os tempos”.

O que nós não fizemos, no entanto, foi dizer qual é o melhor. Portanto, não se apegue à ordem de apresentação dos nomes, pois é você quem decidirá quem foi o melhor.

Pete Sampras

media Fonte: Getty Image

  • Nascimento: 12 de agosto de 1971
  • Potomac, Maryland, EUA
  • Ano de profissionalização: 1988
  • Ano de aposentadoria: 2002
  • Total de prêmios em dinheiro: US$ 43.280.489
  • Títulos na carreira: 64
  • Títulos de Grand Slam Simples: 14 (2 Aberto da Austrália, 7 Wimbledon, 5 US Open)
  • Ano de introdução no Hall da Fama do Tênis: 2007

É difícil julgar o lugar de Sampras na história do tênis, pois ele venceu apenas três dos quatro eventos do Grand Slam ao longo de sua carreira. Claramente mais confortável em pisos duros e gramados, como decidimos o lugar de uma pessoa quando ela domina em uma superfície e sofre em outra? Quando Sampras se aposentou em 2002, ele era considerado o melhor jogador de todos os tempos, embora alguns contestassem isso. Ele foi o número 1 no ranking mundial por seis anos consecutivos e seus 14 títulos de Grand Slam foram um recorde na época. Quem pode esquecer suas batalhas épicas com Andre Agassi, que fizeram da década de 90 uma grande década para o tênis? Sampras ficou no topo quando venceu o US Open de 2002, seu último torneio de Grand Slam. Mas, sem um título do Aberto da França, ou mesmo uma final, como decidimos seu lugar na lista dos melhores de todos os tempos?

Novak Djokovic

media Fonte: Getty Images

  • Nascimento: 22 de maio de 1987
  • Belgrado, Sérvia
  • Ano de profissionalização: 2003
  • Total de prêmios em dinheiro: US$ 134.979.120
  • Títulos na carreira: 75
  • Títulos de Grand Slam simples: 16 (7 Aberto da Austrália, 5 Wimbledon, 3 US Open, 1 Aberto da França)

Colocar Novak Djokovic nessa lista foi uma decisão fácil, mas onde colocá-lo não é. Aos 32 anos e ainda no auge de sua carreira, Djokovic é claramente o melhor jogador do mundo no momento e tem potencial para ganhar muitos outros títulos de Grand Slam. Com 16 títulos de Grand Slam já garantidos, ele certamente tem potencial para superar os 20 de Federer. Mas, no mundo altamente competitivo do tênis, ele também pode sucumbir a lesões e perder alguns dos melhores anos restantes, então o júri ainda está no seu melhor lugar na história do tênis.

Com seu título no Aberto da França de 2016, Djokovic se tornou o oitavo homem a garantir um todos os Grand Slams durante a carreira. Seu desempenho dominante no Aberto da Austrália de 2019 e sua vitória épica de 5 sets contra Roger Federer no Campeonato de Wimbledon de 2019 deixam claro que Djokovic é o melhor jogador do mundo no momento. Mas, seu corpo de trabalho até hoje e seu status como o número atual 1 são suficientes para conceder a ele o maior status de todos os tempos?

Rod Laver

media Fonte: Getty Images

  • Nascimento: 8 de agosto de 1938
  • Rockhampton, Queensland, Austrália
  • Ano de profissionalização: 1962
  • Ano de aposentadoria: 1979
  • Total de prêmios em dinheiro: US$ 1.565.413
  • Títulos na carreira: 200
  • Títulos de Grand Slam simples: 11 (3 Aberto da Austrália, 2 Aberto da França, 2 US Open, 4 Wimbledon)
  • Títulos de Pro Slam simples: 9 (3 US Pro, 4 Wembley Pro, 1 French Pro, 1 Wimbledon Pro)
  • Ano de introdução ao Hall da Fama do Tênis: 1981

É difícil avaliar como Rod Laver se sairia contra os jogadores de hoje, mas suspeito que o australiano ruivo teria se saído bem. Ele foi classificado como número um no mundo por sete anos consecutivos (1964 - 1970) e possui mais títulos na carreira do que qualquer um na história do jogo, com incríveis duzentas conquistas

Ele é o único jogador a vencer duas vezes o Grand Slam, fazendo-o uma vez como amador em 1962 e novamente como profissional em 1969. Se Laver não fosse excluído dos torneios de Grand Slam durante um período de cinco anos em meados da década de 1960 , quem sabe quantos ele teria ganho? Durante esse período, na era que precedeu os “Abertos”, os torneios de Grand Slam eram apenas para amadores. A “era aberta” no tênis não começou até 1968, quando os profissionais foram finalmente autorizados a competir nos eventos do Grand Slam. Dado que Laver foi classificado como número 1 no mundo durante esse período de cinco anos, é provável que ele tivesse vencido muitos outros títulos de Grand Slam.

Roger Federer

media Fonte: Getty Images

  • Nascimento: 8 de agosto de 1981
  • Basileia, Suíça
  • Ano de profissionalização: 1998
  • Total de prêmios em dinheiro: US$ 126.340.700
  • Títulos na carreira: 102
  • Títulos de Grand Slam simples: 20 (6 Aberto da Austrália, 1 Aberto da França, 5 US Open, 8 Wimbledon)

É difícil não escolher Roger Federer como o melhor de todos os tempos. Seus 20 títulos recordes de Grand Slam falam por si e, mesmo aos 38 anos, ele ainda está ganhando e competindo nos níveis mais altos. Suas 310 semanas classificadas como número um no mundo são um recorde da era dos “abertos”. De 2004 a 2008, Federer passou 237 semanas consecutivas, ficando em primeiro lugar no mundo, um recorde que provavelmente jamais será superado. Embora os jogadores mais jovens agora estejam encontrando uma maneira de vencê-lo, seu nível consistente de jogo ao longo de seus vinte anos de carreira é uma prova de seu condicionamento e habilidade.

Ganhar o Aberto da Austrália de 2018 depois de sua excelente temporada de 2017, que o levou a vencer Wimbledon e o Aberto da Austrália, prova sem dúvida que Roger Federer é um argumento fortíssimo para sua causa pelo título de melhor de todos os tempos. Se ele conseguir se manter saudável, Federer continuará sendo uma força a ser reconhecida por muito tempo. Sua dramática derrota de 5 sets para Novak Djokovic em Wimbledon em 2019 prova que, mesmo com quase 38 anos de idade, ele ainda pode competir com qualquer um. Roger certamente teve suas chances de garantir o Grand Slam número 21, uma perda que o assombrará, já que ele não tem tantas oportunidades restantes, mas ele está estabelecendo um novo nível de excelência em uma idade em que a maioria dos jogadores já se aposentou.

Rafael Nadal

media Fonte: Getty Images

  • Nascimento: 3 de junho de 1986
  • Manacor, Maiorca, Ilhas Baleares, Espanha
  • Ano de profissionalização: 2001
  • Total de prêmio em dinheiro: US$ 115.178.858
  • Títulos na carreira: 84
  • Títulos de Grand Slam simples: 19 (1 Aberto da Austrália, 12 Aberto da França, 4 US Open, 2 Wimbledon)
  • Medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim

Não fosse a tendinite recorrente nos joelhos e as lesões no pulso, Rafael Nadal poderia muito bem ter mais alguns títulos de Grand Slam em seu já impressionante currículo. Aos 33 anos, o craque conhecido como Rafa e "O Rei do Saibro", já possui 19 títulos de Grand Slam e certamente tem o potencial de pegar Roger Federer. Rafael é considerado o maior jogador de quadra de saibro de todos os tempos, embora os fãs de Bjorn Borg possam contestar essa alegação. Seu recorde de 12 títulos no Aberto da França em 2019, de maneira dominante, certamente dificulta a busca por alguém melhor no saibro.

Embora seja difícil fazer comparações de jogadores de diferentes gerações, Nadal provou que merece ser considerado um dos melhores e, possivelmente, o melhor de todos os tempos. Ganhar 2 Grand Slams em 2019, incluindo sua vitória de cinco sets no US Open, certamente aumenta a possibilidade de ele alcançar e potencialmente passar Roger Federer na cobiçada corrida para conquistar mais títulos de Grand Slams.

 

Agora é com você. Decida quem é o melhor de todos os tempos e defenda sua tese. E não deixe de acessar nossa página de apostas em tênis para se divertir conosco!

 

Search templates (CTRL+Space)