Se anda meio sumido do octógono, Marvin Vettori sempre faz questão de ser lembrado quando concede entrevistas. Direto e contundente nas respostas, o italiano não foge a nenhuma pergunta, e de forma tranquila conta como está o período de treinamentos, promete uma ‘nova versão’ nas lutas do UFC, crava que dominará o peso-médio (84 kg) do Ultimate e ainda provoca o youtuber Jake Paul.

Em entrevista à Betway, o polêmico lutador italiano afirmou que vem treinando forte e evoluindo os seus tipos de luta. Sem participar de um combate oficial desde outubro de 2021, quando derrotou o brasileiro Paulo Borrachinha, Vettori enfrentaria Robert Whittaker em junho deste ano, em Cingapura, mas o neozelandês se lesionou e desistiu do combate.

Os tops do peso-médio do UFC, entretanto, não perderam o interesse pelo enfrentamento, e ele deve acontecer em Paris, provavelmente em setembro. A organização ainda não confirma oficialmente a data – aproveite e faça as suas apostas no UFC.

Como não encontrou nenhum oponente para substituir Whittaker neste momento, Marvin Vettori aceitou esperar para lutar somente no segundo semestre. Ele intensificará os treinamentos com o objetivo de desafiar novamente Israel Adesanya, dono do cinturão da divisão dos médios.

“Sendo um lutador de MMA, estou constantemente melhorando no boxe, no jiu-jitsu, no wrestling. Eu amo o wrestling, então estou sempre em melhoria contínua, independentemente do esporte. Também acho que melhorei muito depois da última luta [contra o Borrachinha]. Mal posso esperar pelo próximo encontro, para provar isso. Vocês vão ver a nova versão do Marvin Vettori. Aquele que vai reinar por muito tempo na categoria dos médios”, afirmou o italiano, em entrevista à Betway.

O plano é ousado se tratando do peso-médio. Afinal, a categoria do UFC é dominada há um tempo por Israel Adesanya. O nigeriano, que fará a quinta defesa do cinturão dos 84 kg em 2 de julho, contra Jared Cannonier, no UFC 276, já bateu o desafiante italiano, em decisão unânime em 2021, e tem um cartel temido no Ultimate: 22 vitórias e apenas uma derrota. Na divisão, são 11 triunfos e nenhum revés de Adesanya.

Vettori provoca Jake Paul e convida youtuber para duelo

Outro tema da entrevista com o lutador italiano foi a ascensão do youtuber Jake Paul. O popstar iniciou a carreira no boxe, emplacou vitórias no ringue e ganhou o noticiário. Além do desempenho nas lutas, Paul tornou-se conhecido por declarações polêmicas e provocações –no ano passado, por exemplo, chegou a desdenhar da carreira de Vitor Belfort, afirmando que o brasileiro ‘não é um nome tão grande’.

Na visão de Vettori, as declarações de Jake Paul por vezes desrespeitam o MMA. O italiano, que não poupa palavras, convidou o youtuber para uma luta e disse que daria ‘uns socos’ no americano.

“Acho que ele [Jake Paul] é um cara muito inteligente, porque entrar em um ‘jogo’ completamente novo, com sucesso, vencendo duas ou três lutas e ganhando uma boa grana, ou pelo menos valores decentes –não tanto quanto ele diz que ganhou, mas ainda assim é um bom dinheiro--, é uma coisa muito boa”, iniciou o italiano.

“Acho que ainda tem muito trabalho a ser feito, ele ainda precisa melhorar. Mas está treinando da maneira certa. O que eu não gosto é que ele desrespeitou o MMA, então eu gostaria de socar um pouco ele. Eu o convidei para lutar comigo, nós dois moramos em Los Angeles. ‘Vem cá, meu amigo. Vamos lutar e eu vou te mostrar algumas coisinhas (risos)’”, provocou Marvin Vettori.

A personalidade forte faz com que Vettori não tenha muitos amigos dentro do MMA. Um dos lutadores que possuem o respeito do italiano é Beneil Dariush, seu companheiro de equipe. Na visão do peso-médio, o iraniano tem chances de levar o cinturão dos leves. “Eu respeito o meu amigo e companheiro de equipe. Ele é um lutador devastador e mal posso esperar para vê-lo conquistar o título dos leves, o Beneil Dariush. Acho que ele é um lutador incrível e ainda não recebeu o respeito que merece”, afirmou.

Mudar de categoria não está nos planos de Vettori

Consolidado no peso-médio (84 kg), Marvin Vettori tem o sonho de conquistar o cinturão da categoria, hoje dominada por Israel Adesanya. O italiano, que mostra muito foco nos treinamentos, está disposto a investir na divisão. No momento, segundo o próprio revelou, não está nos planos mudar de categoria no UFC.

“Pensei em –talvez um dia-- subir de categoria, para 205 lb (92 kg). Acho que tenho uma chance muito boa de ganhar o título. É que comecei com 185 lb (84 kg) e vou ganhar mais cedo com esse peso. Depois eu penso. Da última vez, foi só porque esse cara [Borrachinha] era tão pesado que eu tive que fazer isso [mudar o peso]. Não é um problema para mim, porque eu sempre luto com os pesos máximos. Então, eu não me importo com o peso. Mas, não, isso [mudar de categoria] não está nos meus planos agora. Vamos ver o que acontece no futuro”, destacou.

Outros trechos da entrevista de Marvin Vettori

O que faria da vida se não fosse atleta de MMA?

“O que eu teria feito se não fosse atleta? É uma pergunta que eu me faço às vezes. Sinceramente, não sei, mas com a mentalidade que tenho, eu poderia ter tomado um caminho certo ou errado. Eu teria me tornado alguém importante com certeza, porque, pela obstinação que tenho, teria chegado a algum lugar de qualquer maneira. Não sei se no sentido positivo ou negativo.”

Vettori cita admiração por Giga Chikadze e Ngannou

“Existem muitos ‘reis’ do MMA, como o Giga Chikadze, que é grande amigo meu e eu o respeito muito. Olhando o que aconteceu recentemente, tem muitos lutadores [respeitados]. Por exemplo, eu realmente gostei de como o [Francis] Ngannou administrou sua última luta. Todos achavam que ele estava perdido ou achavam que ia perder para o Cyril [Gane]. Ele foi lá e venceu, para falar a verdade, dominando brilhantemente.”

Vettori vê evolução no MMA feminino

“Acho que o MMA feminino cresceu muito. Quando você entra no top 3 de cada divisão, há lutadoras muito, muito fortes. Muito boas tecnicamente também. Você ouve um monte de coisas, do tipo ‘as mulheres não devem lutar’, mas as mulheres são loucas, e algumas sabem brigar de verdade (risos). Eu estava lá no duelo entre a Joanna [Jedrzejczyk] e a Zhang Weili, e foi uma loucura, foi melhor do que muitas lutas masculinas. Então não podemos dizer que as mulheres não podem lutar, nada disso.”

Itália ainda não tem boa estrutura no MMA, avalia Vettori

“Acho que eles [italianos] estão fazendo mais... você sabe, falam mais sobre isso [MMA] agora provavelmente porque eu estou aqui. Eu não acho que esteja crescendo em termos de qualidade. Não acha que exista um sistema que possa treinar atletas de elite que possam competir no mais alto nível, infelizmente. Então vai precisar de alguém que faça o que eu fiz, no sentido de sair, insistir, tentar treinar fora e, eventualmente, até mudar de país para atingir níveis mais altos. Eu realmente espero que isso aconteça rapidamente, mas vai demorar um pouco até que o MMA na Itália possa criar atletas de elite.”

Italiano pensa em abrir uma academia no futuro

“Espero que, no futuro, eu abra uma academia, mas agora eu não penso nisso, porque acredito que se você é atleta, deve investir 100% da sua energia em ser atleta, pelo menos até quando você for um atleta. E então, eventualmente, se você quiser ser um treinador, investirá 100% da sua energia em ser um treinador. Neste momento, isso [abrir uma academia] não está nos meus planos. Agora não penso nisso.”