O Campeonato Mundial de sinuca é o evento mais tradicional da modalidade, mas fica muito restrito a europeus, especialmente os britânicos. O esporte é levado a sério profissionalmente pelos ingleses, que inventaram a partida, enquanto no Brasil a sinuca é muito jogada em bares e no âmbito amador, entre amigos.

A modalidade, que não é difundida no país como na Europa e não conta com campeonatos estruturados ou referências muito definidas, poderia ser ainda menos conhecida ou banalizada se não fossem duas personalidades: Rui Chapéu e Baianinho de Mauá.

Em especial o primeiro, Rui Chapéu. O talento fora do comum para encaçapar bolas o levou para a televisão aberta em uma época em que sinuca era coisa de desocupado em bares. Ele brilhou na tela da TV Bandeirantes entre as décadas 1980 e 1990 e fez a vida com o taco na mão, suja de giz.

Abaixo, conheça a história de Rui Chapéu, que morreu em 2020 vítima de um infarto, e de seu sucessor, Baianinho de Mauá. Em comum, o talento absurdo para jogar sinuca e a simplicidade. Os maiores jogadores da história da sinuca brasileira preferem eventos com cachês e contato com o público a campeonatos profissionais e regras de “snooker”.

Rui Chapéu: quem é?

Nascido na cidade de Itabuna, na Bahia, José Rui de Mattos Amorim teve uma infância muito pobre e trabalhou como caminhoneiro antes de ganhar fama pela sinuca. O contato com a modalidade veio desde cedo, quando tinha acesso a mesas e tacos no local onde nasceu.

Ele deixou para trás a profissão de caminhoneiro quando começou a apostar dinheiro nas mesas de bilhar. O talento, claro, lhe dava uma quantia necessária para tocar a vida, mas a transformação veio aos 44 anos. Já na fase adulta, ele foi contratado pela Band para fazer apresentações e exibir o talento sobrenatural na sinuca.

Ele fez sucesso no “Show do Esporte”, apresentado pelo narrador esportivo Luciano do Valle. No programa, ele era desafiado por jogadores brasileiros e até estrangeiros (veja no vídeo abaixo uma edição dos anos 1980). As partidas rendiam quantias a Rui Chapéu e uma audiência satisfatória para a emissora paulista.

Como Rui Chapéu ganhou o apelido?

“A sinuca é um esporte de pessoas pobres. O cara que saiu 4h de casa para trabalhar e se estressou o dia todo chega para dormir no máximo às 22h. Mas ele tem na porta da sua casa um boteco. Então ele vai, toma sua cervejinha, joga sua sinuca e vai embora para começar tudo de novo no dia seguinte”, disse Rui Chapéu, ainda em vida, para sintetizar o que representa a sinuca na vida do brasileiro.

O jogador ganhou o apelido antes de chegar à televisão, quando sempre era visto jogando nos bares com um chapéu. Quando chegou à Band, porém, substituiu os chapéus por boina, que, além de virar uma marca registrada, não atrapalhava a visibilidade e o desempenho na mesa.

Rui Chapéu rejeitou convites de ir para a Europa

Rui Chapéu começou a trabalhar aos 12 anos, já que tinha mais cinco irmãos e o pai abandonou a família quando ele ainda tinha 7 anos. Criado apenas pela mãe, ele conheceu a dura realidade do brasileiro e logo começou a trabalhar.

Na televisão, ele ganhou fama e dinheiro, mas nunca abandonou o jeito simples: para ele, a sinuca era algo popular, acessível e um refúgio para o trabalhador. Na tela da Band, ele fazia questão de reafirmar o perfil de ‘malandro’ e o estilo debochado.

Esse pretexto o fez rejeitar duas possibilidades de fazer ainda mais dinheiro com a sinuca. O que poucos sabem é que Rui Chapéu foi convidado para jogar fora do país. O inglês Steve Davis, maior campeão mundial, tentou convencê-lo mais de uma vez a ir treinar na Inglaterra e jogar o verdadeiro “snooker”, mas ele recusou. A TV japonesa também o convidou para repetir o modelo de sucesso do “Show do Esporte”, mas ele negou. Quis seguir no Brasil, ensinando e construindo um legado para a sinuca.

Baianinho de Mauá: o sucessor de Rui Chapéu

Baianinho de Mauá é considerado o sucessor de Rui Chapéu na sinuca brasileira. Aos 47 anos, o ex-servente de pedreiro nasceu no interior da Bahia, na cidade de Paula Afonso, e logo veio para São Paulo. Foi na grande SP, em Mauá, que ele ganhou fama nos bares e nas mesas de sinuca por conta do talento. Veja o craque em ação no vídeo acima.

Josué Ramalho da Silva, conhecido como Baianinho de Mauá, ganhou popularidade ainda nos anos 1990 após vídeos com ele em ação ‘bombarem’ no YouTube. Canais especialistas em sinuca explodem quando o conteúdo envolve o melhor jogador do Brasil no esporte.

Atualmente, morando no interior de SP, ele segue caminho parecido de seu antecessor: ganha dinheiro com cachês e convites para exibir o talento impressionante no bilhar, e rechaça o “snooker” profissional.

“Hoje recebo cachê para participar de torneios. Cobro cerca de R$ 3 mil para fazer uma apresentação e brincar com os melhores da cidade. Em toda minha vida, eu sobrevivi da sinuca, desde muito novo Já faz tempo, começou quando eu tinha uns 19 anos”, contou Baianinho de Mauá em entrevista ‘A Gazeta’.

“Quero comprar uma casa para mim e uma casa para os meus dois filhos. Depois, tudo é lucro”, destacou Baianinho em entrevista ao Tab, do UOL.

Todos os principais torneios esportivos do mundo estão na Betway. Aproveite para conhecer os campeonatos de sinuca, visitar a nossa página sinuca bets e fazer as suas apostas.