Maior categoria do automobilismo mundial, a Fórmula 1 movimenta milhões de dólares a cada temporada. Seja em gastos das equipes com os carros e novas tecnologias, ações de marketing da FIA e direitos de transmissão ou nos salários dos principais pilotos, a F1 é uma competição bilionária.

Para se ter uma ideia, em 2021 a organização da Fórmula 1 estabeleceu que cada equipe pode gastar até 147,5 milhões de dólares na temporada, sem embutir neste valor os salários dos pilotos e dos três funcionários mais bem pagos, marketing e custos de manutenção das sedes das empresas.

O valor, que é alto, era ainda maior antes do teto financeiro. As principais equipes do grid, como Mercedes, Ferrari e Red Bull, tinham orçamentos que se aproximavam de 400 milhões de dólares até o ano passado.

Dentro deste cenário, chegar à Fórmula 1 para um piloto é atingir o auge, esportiva e financeiramente. Até mesmo os pilotos de teste (que rodam e fazem experimentações nos carros ao longo do ano) ganham muito dinheiro ao prestar serviço para uma equipe da categoria.

A seguir, veja quanto os principais pilotos do grid de Fórmula 1 receberão pela temporada 2021. Os salários da F1 foram revelados pelo site RacingFans.

media

Sebastian Vettel e Daniel Ricciardo: $ 15 milhões

media Fonte: Lars Baron /Getty Images Sport via Getty Images

Após deixar a Ferrari, o alemão Sebastian Vettel, quatro vezes campeão da Fórmula 1, fechou contrato com a Aston Martin. Apesar da idade elevada (34 anos), ele se mantém em alta na categoria e tem o quarto maior salário: 15 milhões de dólares. O tetracampeão estreou na F1 em 2007, já participou de mais de 260 GPs, com 53 vitórias no currículo.

Hoje na McLaren, o australiano Daniel Ricciardo divide o posto de quarto piloto mais bem pago da Fórmula 1 ao lado de Vettel. A quantia relevante tem relação com a experiência do piloto (32 anos), que está na categoria desde 2011 e já participou de quase 200 corridas ao longo deste período. Ricciardo está entre os destaques do maior torneio de automobilismo e também recebe de sua equipe 15 milhões de dólares.

Fernando Alonso: $ 20 milhões

media Fonte: Lars Baron / Getty Images Sport via Getty Images

Abrindo o top-3 aparece Fernando Alonso, um dos maiores pilotos de todos os tempos da Fórmula 1. O espanhol de 40 anos, que estreou na categoria em 2001, retornou ao grid para representar a Alpine. Todo o peso de seu nome, as mais de 300 largadas na categoria e a mídia que o espanhol atrai renderá 20 milhões de dólares no ano.

Max Verstappen: $ 25 milhões

media Fonte: Mark Thompson /Getty Images Sport via Getty Images

Grande concorrente de Lewis Hamilton no momento, Max Verstappen faz por merecer um salário milionário na Fórmula 1. Aos 23 anos, o piloto da Red Bull Racing briga forte pelo título mundial e exibe muito talento nas pistas. Sendo assim, a multinacional de energéticos abre os cofres para mantê-lo na equipe: somente em 2021, o belga receberá 25 milhões de dólares.

Lewis Hamilton: $ 30 milhões

media Fonte: Lars Baron / Getty Images Sport via Getty Images

Maior campeão da Fórmula 1 com sete títulos ao lado de Michael Schumacher, Lewis Hamilton é um dos maiores esportistas do mundo na atualidade: além do talento em sua modalidade, o piloto tem uma representatividade muito forte fora das pistas. Antes da temporada vigente, houve uma grande ‘novela’ para saber se o britânico renovaria seu contrato com a Mercedes, e por quanto milhões o acordo seria fechado.

Apesar do suspense, a maior e mais estruturada equipe do grid nos últimos anos acertou um vínculo de um ano com o piloto por 30 milhões de dólares. No time alemão, Hamilton (36 anos) não só tem o maior salário da F1, como luta para chegar ao oitavo título mundial. Caso ele confirme o favoritismo, se tornará o maior vencedor da história.

A temporada 2021 da F1 está muito acirrada? Quem vai terminar com o título mundial? Visite o site da Betway e faça apostas na Fórmula 1!