A maior rivalidade do voleibol feminino mundial é vinda de Brasil contra Rússia. Sempre é a espera de um jogo intenso, provocativo, longo e bonito. A rivalidade entre as duas seleções completa 10 anos em 2014 e agora o To Fly lembra momentos épicos para os dois lados.

24 x 19

Tudo começou ali: match point para o Brasil. Mari erra 3 vezes, Virna é bloqueada, Walewska invade, Venturinni encurta as bolas. Tudo dá errado e a Rússia constrói uma virada épica. No tie-break, com um erro de Mari, vira o set e leva o jogo, classificando-se para a final olímpica. Bom, é melhor esquecer isso...

Para de gritar na cara, sua filha da p...

Quem você pensa que é? Depois de um bloqueio em Fabiana, a russa Yulia Merkulova exagerou na provocação contra a central brasileira. O sangue corrente de Ana Moser e Márcia Fú pulsou nas veias e Fabiana foi a procura de briga com a gigante. Junto a Sassá, entoavam ofensas em português a Merkulova. Cogitando a possibilidade da russa nada entender, Fabiana decidiu usar o dedo médio em uma ofensa de linguagem universal.

Um novo algoz

Faltavam dois pontos em mais um tie-break para o título inédito do Brasil. Gamova contra-atacou, Sheilla atacou pra fora, Akulova bloqueou Jaqueline, Mari errou o passe: 4 pontos consecutivos que acabaram com o sonho da nação brasileira e consagraram a Rússia como campeã mundial.

Finalmente, a nossa vez

As russas nem viram a cor da bola em Pequim. Foram completamente atropeladas pela seleção brasileira em um 3x0 épico. A Rússia caiu pra China nas quartas de final e o Brasil reinou de vez no cenário do voleibol.

Adeus fantasma. Ou não...

Mais uma final entre Brasil e Rússia no mundial e o mais inacreditável: tie-break novamente. Tudo muito equilibrado em uma diferença mínima de 2 pontos. Mas Gamova desequilibrou e cravou o bi consecutivo.

A seleção que Gamova mais gosta de enfrentar

É o Brasil! Gamova disse publicamente. Muitos interpretaram mal como se a oposta dissesse que não gostava da seleção brasileira, mas a explicação da gigante é que ela prefere o clássico, o jogo pegado.

Uma nova vingança

Se a Rússia era bi-mundial, o Brasil tentaria o bi-olímpico. A Rússia liderava o grupo e o Brasil quase não se classificou. Mas clássico é clássico e as duas equipes se enfrentaram nas quartas de final. O Brasil salvou 6 match points, Sheilla chamou a responsabilidade e na china mortal de Fabiana, o sonho russo morreu. O nosso não!

A depressão de Ovchinnikov

A imprensa russa afirmou que caiu sobre o técnico Sergey Ovchinnikov a culpa sobre a eliminação para o Brasil. O técnico teria entrado em depressão profunda e não suportou: aos 43 anos, semanas depois da derrota russa, o técnico cometeu suicídio.

A boca de Marichev

Com a chegada do novo técnico, muitos brasileiros não gostaram de suas declarações. Dentre elas, o técnico disse ao site volleyball.ru que não importava se o jogo do Brasil era perfeito, até o melhor do mundo poderia ser quebrado.

Caminhões de dinheiro a Gamova

O técnico brasileiro José Roberto Guimarães afirmou que Gamova teria recebido caminhões de dinheiro para o retorno a seleção. A oposta russa não gostou nada do comentário e respondeu ironicamente com um convite a doses de caipirinha no Brasil com Zé Roberto. O técnico se desculpou publicamente para a estrela.

Sheilla x Gamova

A discussão entre fãs das opostas brasileira e russa é antiga: qual é a melhor jogadora do mundo? As opiniões variam, mas de fato, é um dos focos do enfrentamento entre as duas seleções.

Brasil e Rússia, acompanhados dos EUA, sem dúvidas as maiores e melhores seleções da atualidade. Tudo que podemos esperar de um jogo como esse em um mundial ou uma olimpíada são 5 sets, muita tensão, bolas e viradas incríveis e um choque de feras... Boa sorte Brasil!

 

Acesse nossa página de apostas em vôlei para curtir os melhores jogos dos circuitos nacional e internacional!