Atual campeã do mundo, a França possui uma geração preciosa que já teve a oportunidade de levantar o troféu da Copa: carregado por Mbappé, o grupo de jovens que venceu o torneio na Rússia ainda conta com Pogba, Pavard, Kimpembe, Lucas Hernández, Benjamin Mendy, Lemar e Dembélé. Todos eles, em condições, têm ao menos mais dois ciclos pela França na competição máxima de seleções de futebol.

Mas há, ainda mais nova, uma outra geração surgindo por lá. E ela é liderada por Eduardo Camavinga, volante do Rennes e grande sensação do Campeonato Francês desde a temporada 2019/20. O garoto de 17 anos já frequenta a seleção principal e até bateu um recorde recentemente.

Na vitória francesa diante da Croácia, por 4 a 2 -- mesmo placar da final da Copa do Mundo de 2018 --, em setembro, pela Liga das Nações, Camavinga substituiu Kanté aos 17 minutos do segundo tempo e fez história.

Com 17 anos e 303 dias de idade, ele se tornou o jogador mais jovem a atuar pela seleção principal da França desde 1914 -- o recorde geral ainda pertence a Maurice Gastiger. A participação contra os croatas foi satisfatória, em termos de desempenho, e serviu para realizar um sonho de criança do jogador.

“Não é o mais importante [o recorde]. Primeiro, é preciso fazer uma boa preparação e depois tentar permanecer [na seleção] o maior tempo possível. Seria um sonho [entrar em campo com a camisa da seleção principal], um sonho de infância, mesmo que eu ainda seja uma criança. Seria algo fabuloso, sobretudo para meus amigos e familiares, algo que eu desejo desde pequenininho”, afirmou o atleta, assim que se apresentou à seleção primeira vez.

Natural de Angola, o garoto vive na França desde pequeno e decidiu defender a seleção local já nas categorias de base. Ele é volante e, apesar de ser canhoto, escuta muitos torcedores o chamarem de “novo Pogba” por lá. Mas Camavinga prefere evitar comparações, principalmente quando o assunto é com Pogba ou Mbappé, e a ascensão meteórica vem à tona.

“Não gosto de comparações”, afirmou o jovem, quando perguntado sobre as semelhanças com o astro do Manchester United. Ele disse que os principais jogadores do país servem como inspiração. “O Kylian estabeleceu o sarrafo bem alto, mas é uma fonte de inspiração para todos os jovens jogadores, com certeza.”

Camavinga: como joga e as principais características

Magro (69 kg) e alto (1,82 cm), Eduardo Camavinga é considerado um volante moderno. Não é aqueles jogadores de muita força e pegada. Pelo contrário. Neste início de carreira no Rennes, o jogador desponta mais como um segundo homem no setor de meio, que controla e distribui a bola e dá passes para os companheiros mais avançados.

Tanto é que fazer gol não é a principal característica de Camavinga. O camisa 10 tem o passe como ponto forte, e não a marcação ou a chegada como elemento surpresa na área. Em toda a carreira, deu três assistências e balançou as redes duas vezes, em 52 partidas como profissional, até o momento.

Na França, se continuar tendo sequência no meio de campo, pode ser um concorrente direto a Pogba, mas a outros nomes do setor também. Tanto que Didier Deschamps o colocou na vaga de Kanté, volante mais recuado e de marcação em sua estreia. Ainda que se apresente como um jogador técnico, é válido ressaltar que o jogador sabe marcar e participa ativamente das ações de proteção à zaga.

Números de Camavinga

Se tem poucos gols (2) e assistências (3) em cerca de uma temporada e meia como profissional, Camavinga é daqueles garotos valorizados no mercado da bola. Pelo status que tem, como grande nome da geração 2002 francesa, o jogador tem preço lá em cima. Para tirá-lo do Rennes, seu clube formador, é preciso desembolsar ao menos 50 milhões de euros (dado do Transfermarkt).

Titular do Rennes, o camisa 10 tem média de 53 passes por jogo, além de 91% de eficiência no atributo, de acordo com o Sofascore. Defendendo, tem 0,8 interceptação e 2,5 desarmes de média por jogo no Campeonato Francês.

Outro ponto interessante sobre a atuação do jogador é o seu mapa de calor em 2020/21. Camavinga é um jogador tático, ou seja, cumpre as funções com maturidade em campo, apesar da pouca idade, e corre por todo o meio de campo. Ele também não tem o hábito de cair mais pela esquerda por ser canhoto: ‘morde’ de forma equilibrada por ambos os lados. 

O mapa do atleta no gramado, inclusive, aponta para uma maior presença no campo ofensivo ao longo de 90 minutos, na construção do jogo.

Quais clubes têm interesse em Camavinga

Naturalmente, quando surge uma promessa no futebol europeu os gigantes crescem o olho pela contratação do jogador. Com Camavinga não é diferente, e o Real Madrid parece o clube mais interessado e ‘avançado’ em sua compra.

De acordo com a imprensa espanhola, a presença do técnico francês Zidane influencia no desejo de contar com a joia, mas há outro motivo para que o Real tente contratá-lo já na próxima janela de verão (em julho de 2021): o fato de o camisa 10 do Rennes ser visto, ao menos para a direção merengue, como um possível substituto para Casemiro (28 anos). Obviamente que a troca não seria imediata, mas há o desejo de trabalhar Camavinga para o futuro.

Por outro lado, os espanhóis podem ter a concorrência de Juventus, PSG e Manchester United, clubes que, de acordo com a imprensa europeia, monitoram o jogador. Ainda que esteja no campo da especulação, Eduardo Camavinga tende a ser uma das principais cobiças da próxima janela de transferências na intertemporada.

De olho para ver como o jogador reage ao ‘assédio’ mundial a seus primeiros passos como profissional e como ele atuará na segunda temporada em que participa desde o início pelo Rennes. Faça suas apostas no Campeonato Francês.