O conceito de Recopa, onde equipes campeãs de dois torneios importantes – tanto nacionais como internacionais – se enfrentam, é famoso no mundo inteiro. Seja em duelo único ou ida e volta, a competição chama atenção de torcedores e geralmente é usada como um termômetro para os times ‘medirem força’ e terem uma grande conquista.

No Brasil, por exemplo, foi recriada recentemente a Supercopa do Brasil, que coloca frente a frente o campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. A taça, neste caso, é definida em jogo único. A edição de 2022, disputada entre Flamengo e Atlético-MG, gerou grande repercussão pelo belo futebol apresentado – o mesmo havia acontecido no ano anterior, entre Flamengo e Palmeiras, que estão entre os clubes com mais engajamento nas redes sociais no país

Na América do Sul, é disputada a Recopa Sul-Americana, que reúne o campeão da Copa Libertadores e o campeão da Copa Sul-Americana. A primeira edição aconteceu em 1989. À época, além do campeão da Libertadores, o dono do título da Supercopa Libertadores, que já não existe mais, garantia uma vaga. O campeão foi o Nacional, em duelo contra o Racing, da Argentina. Os uruguaios haviam vencido a Liberta em 1988.

A Recopa aconteceu nesse mesmo formato até 1998. No período, São Paulo (duas vezes), Grêmio e Cruzeiro estiveram entre os vencedores. De 1999 a 2002, não houve disputa. A competição foi retomada em 2003, e, desde então, coloca frente a frente os campeões da Libertadores e da Sul-Americana.

A edição atual, de 2022, reúne o Palmeiras, que conquistou a Libertadores em 2021, e o Athletico-PR, que conquistou a Sul-Americana no ano passado – veja quais foram todos os campeões no Brasil na última temporada. Uma curiosidade que une as equipes é que ambas as finais dos torneios continentais foram decididas entre equipes brasileiras. O Verdão derrotou o Flamengo; o Furacão, o Red Bull Bragantino.

O Palmeiras disputou a Recopa Sul-Americana apenas uma vez, justamente na temporada passada. O Alviverde também vinha como campeão da Libertadores, mas foi derrotado pelo argentino Defensa y Justicia. Em 2000, quando o time paulista era o atual campeão continental, não houve disputa.

O Athletico-PR também tem uma final de Recopa no currículo, e, assim como o Palmeiras, foi vice. A disputa do time paranaense aconteceu em 2019, contra o River Plate. O Furacão era o atual campeão da Sul-Americana.

Os dois finalistas da edição atual da Recopa chegaram em momentos distintos na competição continental. O Palmeiras iniciou a temporada antes, pois disputou, no começo de fevereiro, o Mundial de Clubes, que lhe rendeu uma premiação de 4 milhões de euros. Além disso, a equipe vem encarando o Campeonato Paulista – veja os veteranos famosos que estão na disputa

O Athletico, por outro lado, começou o estadual com uma equipe de aspirantes, como é de praxe no clube. O Verdão se reapresentou para a pré-temporada em 5 de janeiro; o Furacão, com o time principal, só no dia 17 do mesmo mês.

Quanto o campeão da Recopa Sul-Americana de 2022 vai embolsar?

Quem levar a melhor ao final das duas partidas da decisão da Recopa Sul-Americana de 2022, entre Palmeiras e Athletico-PR, vai receber um total de 1,6 milhão de dólares (na cotação atual, cerca de R$ 8,23 milhões). O vice ficará com metade do valor: 800 mil dólares (R$ 4,11 milhões).

A premiação atual é maior que a da edição anterior, quando o Defensa y Justicia levou a melhor sobre o Palmeiras. O time argentino embolsou 1,25 milhão de dólares (R$ 6,43 milhões). O Alviverde, por outro lado, levou 750 mil dólares (R$ 3,8 milhões).

Quais são os maiores campeões da Recopa Sul-Americana?

O Brasil é o país com mais títulos na história da Recopa Sul-Americana. São 11 taças para os clubes brasileiros, e a coleção, claro, vai aumentar neste ano -- tanto a de títulos, quanto a de vices, que são, até aqui, nove.

A Argentina tem 10 troféus e nove vice-campeonatos. A discrepância entre brasileiros e os ‘hermanos’ para os outros países é enorme. Em terceiro e quarto no ranking de maiores campeões estão Equador e Paraguai, com dois cada. Colômbia, Chile, Peru e Uruguai têm apenas um time campeão.

Maiores vencedores entre os clubes

Considerando por equipes, os dois maiores campeões são argentinos: Boca Juniors, com quatro títulos (1990, 2005, 2006 e 2009), e River Plate, com três (2015, 2016 e 2019).

Na sequência, três brasileiros conquistaram o troféu duas vezes: São Paulo (1993 e 1994), Internacional (2007 e 2011) e Grêmio (1996 e 2018). Completam a lista, também com duas taças, Olimpia-PAR (1991 e 2003) e LDU-EQU (2009 e 2010).

Entre os clubes com apenas uma conquista estão Independiente (1995), Vélez Sarsfield (1997) e Defensa y Justicia (2021), da Argentina; Atlético Nacional (2017), da Colômbia; Nacional (1989), do Uruguai; Colo-Colo (1992), do Chile; Cienciano (2004), do Peru; e Santos (2012), Corinthians (2013), Atlético-MG (2014) e Flamengo (2020), do Brasil.

Chapecoense, Botafogo, Athletico-PR e Palmeiras foram os clubes brasileiros que bateram na trave e ficaram com o vice.

Onde assistir à Recopa?

A Recopa Sul-Americana de 2022 tem transmissão exclusiva da Conmebol TV. O canal da entidade foi criado em 2020 e funciona no sistema de pay-per-view. Esse esquema de transmissão já havia ocorrido na última disputa.

Palmeiras ou Athletico-PR: quem será o campeão inédito da Recopa Sul-Americana de 2022? Acesse nossa página Soccer Bets e faça suas apostas.