A primeira liga nacional de futebol surgiu na Inglaterra, ainda no século XXI, em 1888. De lá até aqui, o Campeonato Inglês acumulou histórias e cresceu em relevância, sendo hoje um dos torneios mais badalados do mundo, acompanhado por pessoas de todo o planeta. O ponto de virada, que permitiu que a competição virasse referência, aconteceu em 1992, quando a Premier League surgiu.

Após 104 anos da criação do primeiro campeonato, os ingleses vinham sofrendo com falta de estrutura e com a invasão dos hooligans, os torcedores violentos, em seus estádios. Duas tragédias escancararam a urgência de uma reformulação no futebol nacional: a de Heysel, na Bélgica, que foi palco de um confronto entre torcedores do Liverpool e da Juventus; e o desastre de  Hillsborough, com 95 pessoas mortas pisoteadas e/ou esmagadas nas grades do estádio.

Em 1992, foi criada, então, a Premier League, que tinha o objetivo de renovar o futebol inglês. Até aqui, foram 29 edições disputadas. A liga se tornou a mais rica do futebol, sendo o campeonato com maior receita no mundo. O último contrato de direitos de transmissão, firmado no ano passado, girou em torno de US$ 2,7 bilhões (cerca de R$ 14 bilhões) pelos próximos seis anos – saiba quanto os clubes recebem de premiação.

Com isso, a Inglaterra se tornou um dos destinos favoritos dos craques. Hoje a terra da rainha conta com diversos atletas que fazem parte constantemente da seleção brasileira: Alisson, Ederson, Gabriel Jesus, Richarlison, Phillipe Coutinho, Firmino e Fabinho. Mas não foi sempre assim. Por um período, as portas para os estrangeiros ficaram fechadas.

O cenário mudou nos últimos tempos, e os gringos ‘invadiram’ a Premier League – saiba como Mirandinha ‘desbravou’ o caminho para os brasileiros. Para se ter uma noção, das 29 edições disputadas até aqui, em apenas 11 oportunidades o artilheiro, goleador máximo do torneio, foi um jogador inglês – sendo que, seis vezes, logo nas seis primeiras temporadas. Mais recentemente, apenas Harry Kane e Jamie Vardy estiveram entre os principais goleadores.

Mesmo com toda essa discrepância, os dois jogadores que mais fizeram gols em uma só temporada são ingleses. Veja, a seguir, a lista dos maiores artilheiros.

30 gols

Em três oportunidades, o artilheiro da edição terminou o campeonato com 30 gols: o inglês Kevin Phillips, pelo Sunderland, em 1999/00; o francês Thierry Henry, pelo Arsenal, em 2003/04; e o holandês Robin van Persie, também pelo Arsenal, em 2011/12.

O feito de Henry certamente foi mais marcante, mas por outro motivo. Na temporada em que ele anotou 30 tentos em apenas 37 jogos, o Arsenal foi campeão da Premier League de maneira invicta. Os Gunners, comandados por Arsène Wenger e que contavam com o brasileiro Gilberto Silva, além do craque Bergkamp, tiveram 26 vitórias e 12 empates. A equipe ganhou o apelido de The Invincibles.

31 gols

A marca de artilharia com 31 tentos em uma única edição também foi atingida por três jogadores: o inglês Alan Shearer, pelo Blackburn, em 1995/96; o português Cristiano Ronaldo, pelo Manchester United, em 2007/08; e o uruguaio Luis Suárez, pelo Liverpool, em 2013/14.

Na temporada de 2007/08, o United, de Cristiano Ronaldo, foi campeão da Champions League, em final disputada contra o Chelsea. O astro português brilhou com a camisa dos Red Devils, e foi eleito melhor jogador do mundo naquele ano pela primeira vez.

32 gols

O egípcio Mohamed Salah, destaque do Liverpool, é o único jogador que foi artilheiro com 32 gols em uma edição de Premier League. O atacante conseguiu o feito na temporada 2017/18, quando o título ficou com o Manchester City, do técnico espanhol Pep Guardiola.

Naquele ano, o Liverpool foi apenas o quarto colocado, com 75 pontos – 21 vitórias, 12 empates e cinco derrotas em 38 jogos. Salah chegou a anotar um 'poker', quando o atleta faz quatro gols no mesmo jogo, em confronto contra o Watford, na vitória dos Reds por 5 a 0. Ele foi eleito o craque da competição.

34 gols

O maior artilheiro de uma única edição da Premier League fez 34 gols. O posto, porém, é dividido entre dois atletas: Andy Cole, pelo Newcastle, em 1993/94; e Alan Shearer, pelo Blackburn, na temporada seguinte, em 1994/95. As duas artilharias históricas aconteceram nos primórdios da Premier League, quando o torneio ainda era disputado por 22 equipes.

Andy Cole, que mais tarde viveria o auge no Manchester United, onde conquistou cinco títulos de Premier League e o título da Champions League de 1998/99, teve a única artilharia de Campeonato Inglês da carreira. Ele já havia atuado pelo Arsenal, e depois também passou pelo Manchester City, entre outros clubes.

Alan Shearer, por outro lado, teve o recorde na primeira das três temporadas em que foi artilheiro da Premier League. O inglês foi o goleador máximo também em 1995/96, com 31 gols, novamente pelo Blackburn; e 1996/97, com 25 gols, dessa vez pelo Newcastle. As três artilharias foram consecutivas.

A título de curiosidade, a artilharia com menos gols aconteceu com quase metade do recorde: 18 tentos. O posto foi dividido por Michael Owen e Dion Dublin em 1997/98, e repetido por Jimmy Hasselbaink em 1998/99.

Quem será o artilheiro da atual edição do Campeonato Inglês? Acesse nossa página e faça suas apostas na Premier League.