A história do futebol brasileira é longa. O esporte chegou ao Brasil no fim do século XIX, trazido por Charles Miller, que desembarcou aqui vindo da Inglaterra, com bolas e um livro de regras. A partir de 1902, no início do século XX, foi disputado o primeiro torneio estadual, o Campeonato Paulista. A era profissional começou pouco mais de 30 anos depois

Dos 12 clubes considerados grandes no país, apenas o São Paulo, fundado em 1930, ainda não atingiu o centenário. Palmeiras, Corinthians, Santos, Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo, Grêmio, Internacional, Cruzeiro e Atlético-MG já têm mais de 100 anos de fundação.

Em 1959, começaram a ser disputados dois torneios de âmbito nacional – Taça Brasil e Roberto Gomes Pedrosa – que mais tarde viriam a ser integrados aos títulos brasileiros. O Brasileirão, com o nome utilizado até hoje, foi disputado pela primeira vez em 1971. Em 2010, a CBF unificou essas competições, contabilizando todas as taças como títulos do Brasileiro.

De 2003 para cá, a competição passou a ser disputada no sistema de pontos corridos. Um novo século se iniciou em 2001, e com ele a competição também mudou e evoluiu. Veja, a seguir, uma lista dos artilheiros de cada um dos 12 grandes clubes neste século. O levantamento é do jornalista Rodolfo Rodrigues.

São Paulo (Luis Fabiano)

Luis Fabiano foi contratado pelo São Paulo em 2001, quando estava completando 21 anos. Revelado pela Ponte Preta, o centroavante chegou ao Morumbi no início do século, e, coincidentemente, tratou de se tornar o maior artilheiro do período no clube. 'Fabuloso', apelido que recebeu pelo bom desempenho em campo, ficou até 2005 no Tricolor. Depois de atuar na Europa, ele retornou ao clube paulista em 2011, onde ficou até 2015. Ao todo, foram 212 gols em 352 jogos.

Santos (Neymar)

Aquela história de que ‘um raio’ cai em Santos se repete com frequência. Se no século XX a disputa de maior artilheiro do clube foi engolida por Pelé, no século XXI outro 'Menino da Vila' conquistou o posto: Neymar. O craque surgiu na equipe profissional do clube em 2009. Apenas quatro anos – ele deixou o Peixe em 2013 – foram suficientes para que o então camisa 11 se tornasse o maior goleador. Foram 138 tentos anotados em 230 jogos.

Vasco (Romário)

O ‘Baixinho’ Romário fez história pelo Vasco. Foi pelo clube carioca que marcou o milésimo gol da carreira, que o rendeu até uma estátua em São Januário, casa da equipe. Foram quatro passagens pelo Gigante da Colina, onde foi revelado em 1985. Contando apenas os gols marcados no século XXI, foram 120 em 135 jogos, uma média de quase um por partida.

Atlético-MG (Diego Tardelli)

No Galo, o artilheiro é Diego Tardelli, campeão da Libertadores de 2013 e da Copa do Brasil de 2014, entre outras taças. Em três passagens, o centroavante marcou 112 gols em 230 jogos. Na temporada de 2009, foi o artilheiro do ano do Brasil, com 39 tentos.

Grêmio (Jonas)

Jonas, autor do segundo gol mais rápido da história da Champions League e ídolo do Benfica, é o maior artilheiro do Grêmio no século, com 78 gols em 148 jogos. O centroavante esteve no Tricolor gaúcho entre 2007 e 2011, tendo apenas um rápido empréstimo para a Portuguesa no período.

Internacional (Leandro Damião)

Leandro Damião surgiu para o futebol como uma grande esperança para o ataque da seleção brasileira. O centroavante subiu para a equipe profissional do Internacional em 2010, e ficou até 2013, quando foi vendido para o Santos. Depois, retornou ao clube gaúcho por empréstimo de pouco mais de um ano. Ao todo, em 226 jogos, fez 108 gols.

Botafogo (Dodô)

Dodô ficou conhecido na carreira como o 'artilheiro dos gols bonitos'. Mas não era só pintura que o atacante anotava. Revelado pelo Fluminense, ele teve duas passagens pelo Botafogo: entre 2001 e 2002, e 2006 e 2007. Mesmo com o curto período, anotou 90 gols em 124 jogos, e se tornou artilheiro do clube no século.

Fluminense (Fred)

Fred é um dos maiores ídolos da história do Fluminense. Se idolatria possui critério subjetivo, contra fatos não há argumentos: o centroavante é o maior artilheiro do clube no século XXI, e pode ampliar a marca, já que faz parte do elenco atual. Até março de 2022 já eram 197 tentos em 368 partidas.

Cruzeiro (Fred)

Não há erro no intertítulo. Fred é também o maior artilheiro do século no Cruzeiro, clube pelo qual brilhou no início de carreira e teve uma segunda passagem há pouco tempo, antes de voltar ao Fluminense. Na Raposa, o centroavante balançou as redes 78 vezes em 138 jogos.

Corinthians (Jô)

está na terceira passagem pelo Corinthians, clube pelo qual foi revelado e se tornou o jogador mais jovem a fazer um gol pelo Timão, quando tinha apenas 16 anos, três meses e 29 dias. No último ano, o centroavante ultrapassou Dentinho e se tornou o maior artilheiro da equipe no século XXI. Como faz parte do elenco atual, a marca pode aumentar. Até março deste ano, foram 61 gols em 273 jogos.

Palmeiras (Dudu)

Dudu é mais um jogador que ainda está em atividade. Com 30 anos, o atacante deve ampliar bastante a marca de maior artilheiro do século no Palmeiras. Até março deste ano, já eram 77 tentos em 344 jogos. O camisa 7 chegou ao clube em 2015, e se tornou símbolo de uma era no Alviverde – saiba quanto o Verdão gastou de salário na temporada passada

Flamengo (Gabigol)

O Flamengo também tem seu artilheiro do século ainda em plena atividade. Gabigol tem apenas 25 anos, e o nome já está marcado na história rubro-negra. Até março deste ano, o camisa 9 tinha anotado 112 gols em 156 partidas.

Quem vai levar a melhor nesta edição do Campeonato Brasileiro? Acesse a Betway e faça suas apostas no Brasileirão.