A Liga dos Campeões é o maior torneio de clubes do mundo por justamente envolver as maiores equipes do futebol mundial e jogadores de elite. Como são poucas as zebras na Champions League, é quase certo que a cada temporada haverá um grupo da ‘morte’ para aterrorizar a primeira fase e, vira e mexe, eliminar de forma precoce um gigante da competição.

Na temporada 2021/22, por exemplo, o Grupo A da Champions League coloca frente a frente duas grandes equipes do Velho Continente: Paris Saint-Germain e Manchester City, que ainda buscam um título inédito do torneio. Mas este não se trata necessariamente de um legítimo grupo da ‘morte’.

Em seu conceito básico, o grupo da ‘morte’ é uma chave em que se tenha mais times com certa tradição e qualidade técnica para brigar pela classificação do que o número de vagas disponíveis para o mata-mata. E isso na Liga dos Campeões, na Copa do Mundo ou em qualquer campeonato com este tipo de enfrentamento.

Neste caso, o grupo com City e PSG tem dois amplos favoritos, mas RB Leipzig e Club Brugge estão um pouco abaixo (ao menos em orçamento e expectativa no início da Champions). A mesma situação pode ser vista em Real Madrid, Inter de Milão, Shakhtar Donetsk e Sheriff.

Na atual temporada, porém, uma chave foi intitulada a da ‘morte’ antes de a bola rolar na Liga dos Campeões: Atlético de Madri, Milan, Porto e Liverpool, no Grupo B. Considerados grandes forças da Europa, os quatro brigam por duas vagas nas oitavas de final da Champions. Dois ficarão fora.

Só que o “problema” não é novo -- e está longe de terminar -- na Liga dos Campeões. Abaixo, a Betway lista alguns dos maiores grupos da ‘morte’ da história da Champions, com uma coincidência entre eles: em todos, um gigante do futebol europeu ficou pelo caminho na competição. Confira a seguir.

Champions 1998/99: Bayern, United, Barcelona e Brøndby

media Etsuo Hara/Getty Images

Apesar do modesto Brøndby, da Dinamarca, a Champions League 1998/99 viu o sorteio colocar três pedreiras no mesmo grupo: Bayern de Munique, Manchester United e Barcelona. Por uma conta básica e óbvia, um ficaria fora das oitavas, e quem caiu foi o time espanhol.

Campeão nacional e com o craque Rivaldo no comando da criação, o Barça não foi páreo aos rivais alemão e inglês, que, por coincidência, fizeram a final daquela Liga dos Campeões. A decisão, aliás, foi histórica: vitória de virada do United, com dois gols nos acréscimos.

Champions 2011/12: Bayern, Napoli, City e Villarreal

media Michael Regan/Getty Images

Ainda que não tenha muita tradição na Liga dos Campeões, o Manchester City sempre é uma pedra no sapato dos rivais depois que se tornou um clube milionário. Em 2011/12, o desafio dos ingleses era mostrar a força diante dos tradicionais Bayern de Munique, Napoli e Villarreal. Não deu certo.

A equipe, que tinha Balotelli, Tevez, Yaya Touré e Sergio Agüero, tropeçou no grupo e viu o clube bávaro e o Napoli avançarem. O Villarreal do brasileiro Nilmar também ficou pelo caminho.

Champions 2012/13: Dortmund, Real, Ajax e City

media sampics/Corbis via Getty Images

A Liga dos Campeões de 2012/13 foi palco para um grupo da ‘morte’ memorável. Simplesmente quatro campeões nacionais dividiram a chave: o Real Madrid, campeão espanhol, e o Borussia Dortmund, que havia conquistado a Bundesliga e foi vice daquela Champions, avançaram. O Ajax, que chegava com o título holandês, foi o terceiro. Já o City amargou a lanterna do grupo, apesar de conquistar a Premier League.

Champions 2013/14: Barcelona, Milan, Ajax e Celtic

media AOP.Press/Corbis via Getty Images

Barcelona e Milan tinham dois adversários difíceis pela frente na edição de 2013/14: Ajax e Celtic, campeões holandês e escocês, respectivamente. Os tradicionais clubes europeus conseguiram, com a ajuda de Neymar (pelo Barça) e Kaká (no Milan), eliminar as outras duas forças tradicionais do Velho Continente.

Champions 2017/18: Tottenham, Real, Dortmund e APOEL

media Power Sport Images/Getty Images

Com o Tottenham em ascensão e o Real Madrid liderado por Cristiano Ronaldo, as expectativas foram altas para a realização do grupo formado pelos dois times mais Borussia Dortmund e APOEL, na Champions de 2017/18. O grupo da ‘morte’ terminou com os ingleses na liderança e o Real avançando em segundo.

Reus, Götze e Sancho faziam parte do elenco alemão que não conseguiu bater de frente com os outros dois rivais.

Champions 2018/19: PSG, Liverpool, Napoli e Estrela Vermelha

media FRANCK FIFE/AFP via Getty Images

Recentemente, na edição da Liga dos Campeões de 2018/19, o grupo da ‘morte’ colocou PSG, Liverpool e Napoli para brigarem por duas vagas. O Estrela Vermelha, da Sérvia, era o time mais frágil da chave, ainda que já tenha conquistado a Europa, em 1991.

Na briga entre franceses, ingleses e italianos, pior para o Napoli. Depois de perder o título da Serie A Tim por uma diferença de quatro pontos, na temporada anterior, a equipe ganhou de “presente” duas pedreiras, e viu PSG e Liverpool irem para as oitavas. A equipe de Jürgen Klopp, inclusive, ficou com o título daquela Liga dos Campeões.

Você tem acesso a todos os jogos do maior campeonato de clubes do mundo na Betway. Visite o nosso site e aproveite para fazer suas apostas na Champions League.