O futebol é um esporte muito dinâmico. O prestígio das ligas e campeonatos ao longo da história varia muito. Na Europa, por conta do poderio financeiro, o esporte se desenvolveu e atraiu atletas de todo o planeta. Hoje, os melhores jogadores estão reunidos no Velho Continente, que possui, por exemplo, a Champions League, maior torneio de clubes. Desde as categorias de base, os atletas sonham em atuar nos times europeus de ponta.

Na década de 80, a Itália era o destino preferido dos principais craques. Dos jogadores brasileiros, Zico, Sócrates, Júnior e Falcão, destaques da seleção brasileira, foram parar no país da bota. Com o passar dos anos, o futebol italiano foi deixando de ser protagonista, mesmo que ainda tenha os adeptos. A liga ‘sensação’ da Europa atualmente é a da Inglaterra, a Premier League, que é a mais rica do mundo

Na última década, porém, o futebol espanhol foi o grande centro das atenções. Os times da Espanha tiveram grande destaque nos torneios europeus nos últimos anos. De 2012 para cá, o Barcelona foi campeão da Champions League em 2015. O Real Madrid, recordista de títulos, em 2014, 2016, 2017 e 2018. O Atlético de Madrid, apesar de não ter vencido, foi finalista em 2014 e 2016 – veja os clubes com mais vices na história da competição. Na edição atual, Real Madrid e Valencia chegaram juntos às semifinais – veja os prognósticos de futebol para a temporada.

Além das disputas entre equipes, os espanhóis viram de perto os dois principais jogadores deste século, que estão também entre os maiores da história: Messi e Cristiano Ronaldo. Apesar de não serem nativos, os dois foram os grandes destaques na Espanha de 2009 a 2018. O argentino Messi, revelado pelo Barcelona, deixou o clube em 2021. O português Cristiano Ronaldo chegou ao Real Madrid em 2009 e, em 2018, foi para a Juventus.

No período em que estiveram juntos em solo espanhol, os dois, além de brigarem pelos títulos, foram protagonistas nas disputas pelos prêmios de melhor jogador do mundo. Cristiano Ronaldo foi premiado pela primeira vez em 2008, quando ainda atuava pelo Manchester United. De lá até 2017, o prêmio não saiu da mão dos dois atletas. A sequência foi quebrada em 2018, quando Modric foi o escolhido. O croata também atuava na Espanha, pelo Real Madrid. Em 2019, Messi voltou a vencer. Somente em 2020 um atleta que atuava em outra liga foi vencedor: Lewandowski, do Bayern de Munique.

De 2009 a 2020, portanto, jogadores de La Liga dominaram a premiação de melhor do mundo, que até 2015 era feita em conjunto entre a Fifa e a revista France Football, que organiza a Bola de Ouro. Em 2016, a parceria foi rompida, e a Fifa passou a organizar a premiação The Best, que será usada como base neste levantamento. Foram 12 anos de domínio do futebol espanhol, mesmo sem nenhum jogador nascido na Espanha tendo vencido.

Veja, a seguir, como se deu o domínio nas premiações de melhor jogador do mundo.

Messi

O argentino Lionel Messi abriu a sequência de conquistas do ‘melhor do mundo’ por atletas da La Liga, em 2009, quando tinha apenas 22 anos. O feito é ainda mais impressionante se considerarmos que foi apenas a quarta temporada do meia como jogador profissional. Messi fez a estreia na equipe principal do Barcelona em 2004. Ele atuava pelo clube catalão desde os 13 anos de idade, quando saiu de Rosário, na Argentina, para brilhar na Europa.

O camisa 10 blaugrana encantou os amantes de futebol. Em 2010, foi novamente eleito o melhor jogador do planeta – feito que se repetiu em 2011 e 2012. Foram quatro anos no topo do esporte mais popular. Em 2008/09 e 2010/11, conduziu o Barça aos títulos da Champions League, levando para casa, também, o Mundial de Clubes. No mesmo período, conquistou La Liga por três vezes consecutivas (2008/09, 2009/10 e 2010/11), além da Supercopa da Uefa em 2009 e 2011.

Messi voltou a ser eleito o melhor do mundo em 2015, quando novamente conquistou a Champions League, dessa vez ao lado de Neymar e Suárez, que formaram, com ele, o trio MSN, um dos maiores da história. O argentino foi o artilheiro da competição, dividindo o posto com Neymar e Cristiano Ronaldo. Levou novamente o Mundial de Clubes e conduziu a seleção argentina ao vice da Copa América.

A sexta premiação veio em 2019, um ano, em relação aos títulos, com menos glórias para o jogador, que conquistou ‘apenas’ La Liga na temporada.

Cristiano Ronaldo

O português Cristiano Ronaldo foi eleito melhor do mundo pela primeira vez em 2008, ainda pelo Manchester United. A primeira premiação atuando em solo espanhol aconteceu em 2013, já pelo Real Madrid. O astro quebrou a sequência de Lionel Messi. O feito se repetiu em 2014, quando CR7 comandou o time madrilenho ao título da Champions League e bateu o recorde de gols em uma edição.

Em 2016, após mais um título na competição europeia, novamente Cristiano Ronaldo esteve no topo do futebol mundial. Foi a primeira taça das três consecutivas que o clube merengue conquistou. Em 2017, o The Best foi outra vez do português, que chegava ao quarto prêmio na Espanha, o quinto da carreira.

Modric

O croata Luka Modric, do Real Madrid, foi o único no período a interromper a sequência de Messi e Cristiano Ronaldo. Em uma premiação polêmica, o meio-campista levou o The Best em 2018, na temporada em que os merengues conquistaram o terceiro título de Champions League consecutivo. Mais do que isso: naquele ano, o craque foi um dos destaques da seleção croata vice-campeã da Copa do Mundo, sendo derrotada pela França na final.

Os jogos do Campeonato Espanhol estão sempre disponíveis na Betway. Acesse nossa página La Liga bets e faça suas apostas.