Se antes o apoio a um time de futebol era medido pela presença de público nos estádios, atualmente existem outras formas de fazer essa medição, e a internet é uma das mais importantes. O número de seguidores e engajamento nas páginas dos clubes passou a ser essencial para divulgação de marca, venda de programa de sócio-torcedor, busca por patrocinadores e, consequentemente, ganhos financeiros.

As equipes investem cada vez mais em uma boa comunicação digital, a fim de aumentar o número de seguidores nas redes sociais e criar um “laço virtual” com a torcida – o que é um modo de estar mais próximo do maior ativo que um clube possui, seus torcedores. Os principais clubes brasileiros possuem páginas no Facebook, Twitter, Instagram, Tiktok e YouTube, onde mostram, principalmente, bastidores de jogos, imagens de vestiário e papos exclusivos com os atletas.

media

Segundo dados do Ibope Repucom de janeiro deste ano, o clube brasileiro com mais seguidores, somando as cinco redes sociais citadas anteriormente, é o Flamengo, com mais de 44,5 milhões de pessoas acompanhando o dia a dia do time. O número é quase o dobro do Corinthians, segundo colocado, que tem mais de 27,2 milhões.

Um dos motivos que fazem o Flamengo se distanciar no ranking é a quantidade de seguidores no TikTok, rede social de vídeos curtos, ainda pouco explorada pelas equipes. O Mengão tem mais de 4,2 milhões de seguidores nessa plataforma. Para se ter uma ideia, em janeiro, apenas mais dois clubes haviam batido a marca de um milhão: Corinthians e Palmeiras.

O YouTube é outra rede social que mostra o destaque do Rubro-negro. São mais de 6,3 milhões de inscritos no canal Fla TV, que além de mostrar bastidores da preparação do elenco profissional masculino, possui quadros que interagem com os torcedores, como Resenha do Craque, De Carona com Smigol e Pratique Flamengo, e passou a transmitir jogos do time principal.

Times paulistas também se destacam

Os quatro grandes times de São Paulo estão entre segundo e quinto lugares no ranking digital de janeiro do Ibope Repucom. Os paulistas se destacam no engajamento nas redes sociais. Em seguidores, a ordem fica: Corinthians (mais de 27,2 milhões), São Paulo (mais de 17,7 milhões), Palmeiras (mais de 14,7 milhões) e Santos (mais de 9,8 milhões).

O Timão se destaca, principalmente, no Facebook, onde possui quase 11 milhões de seguidores. Por outro lado, o Santos, relevante nos conteúdos do YouTube, fica devendo no TikTok, com cerca de 400 mil. Já a realidade do Palmeiras mostra como campo e digital têm ligação: bicampeão da Libertadores em 2021, o Verdão cresceu no ano com 2,4 milhões de inscrições. O crescimento é quase o dobro dos rivais.

Essa proximidade dos times paulistas no ranking destoa do que acontece com os cariocas. Depois do líder Flamengo, uma equipe do Rio de Janeiro aparece apenas na 8ª posição, com o Vasco. O Fluminense fica em 12º, e o Botafogo em 14º.

Times de fora do eixo

Das equipes fora de Rio de Janeiro e São Paulo, o Grêmio é a que aparece melhor colocada. Agora na Série B, o Tricolor gaúcho é o sexto do ranking, com mais de 9,5 milhões de inscritos. Ele é seguido pelo Atlético-MG, atual campeão brasileiro e da Copa do Brasil, com mais de 8,7 milhões.

A Chapecoense é a 'intrusa' no grupo dos 12 times grandes do país. A equipe catarinense fica na 11ª colocação, com mais de 5,8 milhões, à frente, por exemplo, de Fluminense e Botafogo. Dos considerados grandes, o Glorioso é o pior na lista: pouco mais de 3,9 milhões de seguidores. O Athletico Paranaense, campeão da Sul-Americana, aparece em 16º, com 3,1 milhões.

Os clubes menores que mereceram destaque no Ibope Repucom de janeiro foram Red Bull Bragantino e Cuiabá, ambos da Série A. O Dourado, time do Mato Grosso, fez a estreia na elite em 2021 e anotou um crescimento anual de 154% na base de seguidores, chegando a quase 500 mil. Já o Bragantino, com um projeto que permitiu ao clube chegar ao vice-campeonato da Sul-Americana e se classificar para a Libertadores deste ano, teve um crescimento de 145%, passando da marca de 1 milhão de seguidores.

Engajamento é o que importa

Quem entende de redes sociais sabe que apenas número de seguidores não basta. Para conseguir se destacar e ter divulgação, é necessário um bom engajamento das pessoas que acompanham o perfil, com curtidas e comentários nas postagens. Nesse quesito, o Flamengo também tem se destacado.

Em janeiro, o clube carioca, que possui 12,5 milhões de seguidores no Instagram, foi o líder de interações na rede social entre os clubes da América do Sul, com 52,3 milhões, segundo levantamento do Deportes&Finanzas. O Corinthians, em segundo, teve 26,4 milhões. O River Plate ficou em terceiro, seguido por São Paulo, Palmeiras, Santos e Atlético-MG.

Vale destacar: o Grêmio, que vive o terceiro rebaixamento da história, possui mais seguidores no Instagram que o Santos. O Peixe, no entanto, é o quinto brasileiro com mais interações. Já o clube gaúcho não aparece nem entre os 10 primeiros brasileiros da lista.

No Facebook, o Flamengo também liderou as interações na América do Sul em janeiro, com mais de 3 milhões, mas a ordem entre os brasileiros mudou, mesmo ainda sendo seguida apenas de clubes paulistas: Palmeiras, São Paulo, Santos e Corinthians, respectivamente.

Em 2021, o Rubro-negro foi, considerando todas as redes sociais e todos esportes, o clube mais popular da América do Sul, no levantamento da Deportes&Finanzas. Na Europa, para efeito de comparação, esse posto ficou com o Manchester United.

Entre seguidores e engajamento, o mais importante é como cada clube consegue converter esses números para a própria realidade, angariando novos torcedores, patrocinadores, sócios e recursos financeiros.

Qual equipe vai conquistar ‘o título’ de mais engajamento em 2022? Na Betway, você tem acesso a todos os jogos do futebol nacional. Acesse a página e faça as suas apostas na Copa do Brasil.