Há um time se destacando e com uma boa série de invencibilidade na Itália, e não é a Juventus. Depois de anos em baixa, o Milan parece ter se encontrado, emplaca bons resultados em 2020 e dá sinais de que pode acabar com a hegemonia da Velha Senhora no Campeonato Italiano -- a Juve venceu as últimas nove edições da competição.

Comandado por Ibrahimovic, que parece não envelhecer mesmo aos 39 anos, o clube rossonero tem sido uma grata surpresa no futebol europeu. Mescla juventude com experiência, tem equilíbrio em campo e, à exceção da grande estrela sueca, jogadores promissores e que parecem comprar cada vez mais a ideia de Stefano Pioli.

O treinador italiano, de 55 anos, está na sua segunda temporada no clube. Depois de um bom 2019/20, a equipe vem colhendo alguns frutos neste início de temporada: ainda não perdeu, lidera o Italiano e vê Ibrahimovic manter boa média de gols mesmo próximo aos 40.

Modelo de jogo ajuda Ibra

É claro que o atacante não tem mais a mesma forma de anos atrás. E o Milan dá a entender que compreende as limitações de seu grande astro, Ibrahimovic. Pioli, por sinal, escala o time no 4-2-3-1, esquema tático em que o centroavante acaba não participando tanto da marcação, a não ser em algumas pressões na saída de bola adversária.

Desta forma, Ibra consegue resguardar-se e segurar condicionamento físico para decidir quando sua equipe ataca: nas primeiras cinco partidas que fez em 2020/21, balançou as redes sete vezes. Só na Serie A Tim, o camisa 11 iniciou o ano com seis gols nos três primeiros jogos.

Ainda assim, a idade deve ser impeditivo em alguns momentos, e o próprio treinador admitiu que Ibra terá de ser poupado às vezes. “Nunca é fácil marcar tantos gols no início da temporada, ele [Ibra] está me surpreendendo com sua condição física, até porque fez uma preparação especial”, disse Pioli “De vez em quando, ele também terá que recuperar o fôlego”, acrescentou.

Novos talentos do Milan

Se Pioli tem um time equilibrado e que corresponde com resultados, muito se deve aos jovens do elenco. Claro que Ibrahimovic tem seu peso dentro do elenco, seja em campo ou para suportar a pressão fora dele, mas há nomes promissores que merecem destaque e contribuem e muito para o Milan estar em ótima fase.

A começar por Romagnoli. O zagueiro, de 25 anos, domina o setor. É titular absoluto e capitão, mesmo com menos idade e experiência que Ibra. Sua segurança eleva o poder defensivo da linha mais recuada, que conta ainda com Calabria na lateral direita e Theo Hernández na esquerda. O canhoto camisa 19, por sinal, é quem atua mais avançado da dupla. Enquanto o companheiro da outra lateral segura mais, o francês vai ao ataque para valer e chega bem com cruzamentos.

No meio, é onde a engrenagem do Milan funciona. Entre os volantes, Bennacer e Kessié são os principais do time neste momento, já que ambos pegam firme na marcação e dão boa sustentação na saída de jogo.

Eles, inclusive, formam a base do meio de campo que, grosso modo, é formado por cinco jogadores. Os pontas, geralmente Saelemaekers e Rafael Leão, cumprem função defensiva, até para não sobrecarregar Ibra, e acabam participando bem ao longo dos 90 minutos.

Mais avançado no setor de meio, depois de Bennacer e Kessié, o Milan tem Çalhanoglu como principal nome e ‘camisa 10’. O turco de 26 anos, que é também um jogador leve, acaba contribuindo na marcação quando a equipe está sem a bola, mas demonstra bastante qualidade na hora de atacar. Na temporada, é o segundo artilheiro do time, com quatro gols, e um dos melhores garçons: são quatro passes para gol.

Sustentado com um meio de campo “pegador” e jovem, a equipe de Pioli pode abrir bem os pontas e explorar as jogadas pela linha de fundo. É o que faz, geralmente, e com bastante êxito, recentemente. Rafael Leão, centroavante português que vem sendo utilizado pelas beiradas, está cada vez mais encaixado no time. Ele tem dois gols no ano, mas está se revelando um bom armador. Já foram três assistências, e aos poucos o atleta de 21 anos vai ocupando um espaço na ponta esquerda.

Outros nomes que aparecem com frequência pelas beiradas são os de Saelemaekers e Brahim Díaz, ambos com dois gols cada até aqui. Sem espaço no Real Madrid, Díaz aparece como peça importante no elenco italiano. Nem sempre é titular, mas é utilizado com frequência já que a equipe tem a Serie A e a Liga Europa em disputa.

De olho em Sandro Tonali

Depois de esmiuçar os principais jogadores do meio de campo do Milan, é válido destacar Sandro Tonali, volante de apenas 20 anos. Cria do Brescia, o garoto foi contratado no início da temporada e de vez em quando ganha chances com Pioli. Ele chama a atenção pela semelhança com Pirlo, tanto na aparência, como no estilo de jogo. Por isso é uma das promessas da Itália, é chamado de “novo Pirlo” por lá e custou 32 milhões de euros aos cofres rossoneros. Vale destacar que até a trajetória é semelhante. Pirlo também iniciou a carreira no Brescia e depois foi para o Milan.

Juventus não está na melhor fase, isso pode ajudar

Se está em boa fase, a equipe rossonera pode ter outro trunfo para, quem sabe, acabar com a sequência de nove anos da Juventus vencendo o Italiano: a própria Juve. Sob o comando de Pirlo, a Velha Senhora ainda não engrenou na temporada e é uma ‘nuvem de incertezas’ em 2020/21. Isso porque o treinador, que apresenta boas ideias, faz seu primeiro trabalho profissionalmente e ainda gera dúvidas: será que conseguirá fazer o time jogar bem? Aguentará a pressão? Ainda é impossível ter as respostas, mas o que se sabe é que o Milan tem tradição suficiente para incomodar.

A equipe vem impressionando neste início de temporada: ainda não perdeu, lidera o Italiano e vê Ibrahimovic manter boa média de gols. Faça suas apostas no Campeonato Italiano.