Uma competição de pontos corridos, em formato logo, como é o caso da Série B do Brasileirão, que reúne 20 equipes que se enfrentam em turno e returno, exige muita preparação, tanto física quanto psicológica. Há quem diga que um bom time pode vencer uma partida, mas que é um bom elenco que vence um campeonato.

A segunda divisão é disputada nesse sistema desde 2006. Ao fim das 38 rodadas, as quatro melhores classificadas garantem vaga para a Série A da temporada seguinte. As quatro últimas, porém, amargam o rebaixamento e passam a disputar a Série C

Veja, a seguir, quais foram, ao longo da história, as piores campanhas na Série B do Brasileirão. Todas as equipes terminaram, claro, na última colocação.

TIME ANO PONTOS
Duque de Caxias 2011 17 pontos
Brasil de Pelotas 2021 23 pontos
Mogi Mirim 2015 23 pontos
CRB 2008 24 pontos
Portuguesa 2014 25 pontos

Duque de Caixas (2011) - 17 pontos

O Brasileirão Série B de 2011 foi vencido pela Portuguesa, que somou 81 pontos, na segunda melhor campanha da história da era dos pontos corridos – a primeira foi do Corinthians, em 2008, com 85; veja o ranking completo. Na parte de baixo da tabela, porém, o Duque de Caxias, da região metropolitana do Rio de Janeiro, fazia a pior campanha já vista desde 2006, quando o formato começou. O time havia disputado as duas edições anteriores da segundona, sendo, inclusive, oitavo colocado em 2009. Em 2011, porém, tudo desandou. 

Em 38 jogos disputados, a equipe teve apenas duas vitórias, contra o ABC, por 1 a 0, e contra o ASA, por 2 a 1. Foram 11 empates e 25 derrotas, somando, ao fim do campeonato, apenas 17 pontos. Ao todo, o time balançou as redes 32 vezes, e sofreu 84 gols, com um saldo negativo de 52 – saiba qual é o maior artilheiro de uma edição. O elenco foi rebaixado à Série C e nunca mais voltou para a segunda divisão. 

Brasil de Pelotas (2021) - 23 pontos

A segunda pior campanha da história dos pontos corridos na Série B aconteceu na última temporada, em 2021, com o Grêmio Esportivo Brasil, mais conhecido como Brasil de Pelotas. O time do Rio Grande do Sul somou apenas 23 pontos ao fim das 38 rodadas. 

A campanha teve quatro vitórias, além de 11 empates e 23 derrotas. O time fez somente 23 gols, tendo sofrido 52 bolas na rede. O saldo foi negativo, de 29. A distância para o Londrina, primeiro time fora da zona de rebaixamento, foi de 21 pontos.

Mogi Mirim (2015) - 23 pontos

A campanha do Mogi Mirim em 2015 foi praticamente idêntica ao desempenho do Brasil de Pelotas na última temporada – saiba quais são os critérios de desempate do Brasileirão. O time do interior de São Paulo também somou 23 pontos, também com quatro vitórias, 11 empates e 23 derrotas. O que difere as equipes, porém, é o número de saldo de gols. O Mogi teve um saldo negativo de 37, tendo colocado 32 bolas na rede e sofrido 69 tentos.

Até a distância da lanterna para o 16º colocado, primeira equipe dentre as que evitaram a queda, também foi de 21 pontos. No caso, quem ocupou a posição foi o Oeste, que somou 44 de pontuação. 

CRB (2008) - 24 pontos

Em 2008, na terceira temporada da era dos pontos corridos na Série B do Brasileirão, o CRB entrou para a história com um desempenho muito abaixo da média. O time de Alagoas somou, nas 38 rodadas da segundona, apenas 24 pontos. Foram somente cinco vitórias, além de nove empates e 24 derrotas. 

O saldo de gols, claro, foi negativo, de 37, tendo anotado 35 tentos e sofrido 72. Assim como os últimos colegas de ranking, ficou a 21 pontos de distância para o primeiro time fora da zona de rebaixamento, que, no caso, foi o Fortaleza, com 45 somados.

Em 2022, o CRB está novamente na disputa da segundona, em busca de uma vaga na elite do futebol. Os quatro primeiros colocados, além de subirem, também receberão, de premiação, um valor total de R$ 1,5 milhão.

Portuguesa (2014) - 25 pontos

Se em 2011 a Portuguesa fez a segunda melhor campanha da história dos pontos corridos na Série B e levou o título – saiba quais são os maiores campeões –, em 2014 a Lusa teve o quinto pior desempenho da competição. Em 2011, pelo bom futebol, o time ficou conhecido como Barcelusa, em referência clara ao Barcelona, então melhor time do mundo. Já em 2014, a equipe encarava a segundona depois de ter sido rebaixado na Série A com uma polêmica na temporada de 2013, tendo escalado um jogador de forma irregular.

Na última rodada, o meio-campista Héverton entrou em campo pela Portuguesa contra o Grêmio. Ele havia sido suspenso, dois dias antes, pelo STJD. Pelo fato de ter atuado, o time, nos tribunais, perdeu quatro pontos e acabou indo para a zona de rebaixamento.

O episódio gerou uma 'avalanche' para a equipe paulista. Depois de chegar à Série C, o clube foi rebaixado, em 2016, para a Série D, a última do Brasileirão. Desde então, há quase dez anos, a Lusa não retornou para a elite do futebol nacional.

Na Série B de 2014, a campanha foi pífia. Foram apenas 25 pontos somados em 38 rodadas. A equipe teve somente quatro vitórias, além de 13 empates e 21 derrotas. O saldo de gols foi de -30 (29 gols marcados e 59 tentos sofridos). A distância foi de 21 pontos para o Bragantino, que terminou em 16º, e foi o primeiro acima da zona de rebaixamento.

A disputa da segundona de 2022 está a todo vapor. Acesse nossa página e faça suas apostas na Série B.