O Brasileirão Série B começou a ser disputado no formato de pontos corridos em 2006, quando o Atlético-MG terminou com o título, três anos após a implementação do sistema no Brasileirão Série A – foi só em 2006, porém, que a competição de elite fixou o número de 20 participantes por temporada.

O objetivo da mudança de formato foi modernizar o futebol brasileiro e fortalecer a CBF, que acabou com os torneios regionais – alguns deles voltariam anos depois, como a Copa do Nordeste, hoje o principal do país. No Brasileirão Série B, a mudança dificultou os chamados tapetões, quando times grandes se aproveitavam de regulamentos confusos para não serem rebaixados ou para subirem de divisão.

Apenas três equipes nunca foram rebaixadas para a Série B: Santos, Flamengo e São Paulo. O Fluminense nunca foi rebaixado por pontos corridos, mas caiu no formato anterior. Todos os outros grandes clubes passaram pela segunda divisão. Nem todos tiveram vida fácil, já que a competição é uma das mais disputadas.

Palmeiras (duas vezes), Botafogo (duas vezes), Vasco, Grêmio, Corinthians e Atlético-MG estão entre os grandes que já foram campeões. Cruzeiro e Internacional passaram pela Série B, mas não ficaram com a taça. Em 2022, Cruzeiro, Vasco e Grêmio estão na briga por uma vaga na Série A – saiba qual é a premiação para quem consegue o acesso.

Desde 2006, nos pontos corridos, o time de melhor campanha foi o Corinthians, em 2008, à época comandado por Mano Menezes, um dos técnicos consagrados que já foram campeões da segunda divisão nacional. Veja, a seguir, quais foram as melhores campanhas da história do Brasileirão Série B.

media

Corinthians (2008)

O Corinthians fez história no Brasileirão Série B. É claro que nenhuma equipe gosta de ser rebaixada, mas o Timão aproveitou a oportunidade para se reestruturar e, apenas quatro anos depois, ser campeão pela primeira vez da Libertadores e do Mundial de Clubes. Ainda em 2008, paralelamente à disputa da segunda divisão, o time foi vice-campeão da Copa do Brasil, o ‘torneio mais democrático do país’, em uma dolorosa derrota para o Sport na grande final.

Na Série B, a equipe comandada por Mano Menezes não deu chances aos adversários. Em 38 jogos, foram 25 vitórias, 10 empates e somente três derrotas, somando 85 pontos – 17 a mais que o Santo André, segundo colocado, que somou 68. Ao todo, o Alvinegro marcou 79 gols, sofreu 29 e teve um saldo de 50.

Portuguesa (2011)

A Portuguesa, histórico time da capital paulista, também fez história no Brasileirão Série B, em 2011. O time, comandado por Jorginho Cantinflas, brilhou tanto que ganhou o apelido de Barcelusa, em referência, claro, ao Barcelona, que dominava a Europa à época.

Aquele elenco tinha como goleiro Weverton, hoje ídolo do Palmeiras e frequentemente convocado para a seleção brasileira. Também tinha atletas que depois atuaram em times grandes, como o lateral Luis Ricardo, que foi contratado pelo São Paulo, o volante Guilherme, que foi para o Corinthians, e Edno, que também passou pelo Timão.

A Lusa sobrou na campanha, somando 81 pontos – 17 a mais que o Náutico, segundo colocado. A Lusa teve, em 38 jogos, 23 vitórias, 12 empates e somente três derrotas. Foram 82 gols marcados e 38 tentos sofridos, com um saldo de 44.

Palmeiras (2013)

Em 2013, o Palmeiras passou pelo Brasileirão Série B pela segunda vez em sua história. Na primeira vez, dez anos antes, em 2003, o formato ainda não era de pontos corridos, e o Verdão ficou com a taça. Na segunda oportunidade, o título também veio, em uma ótima campanha, a terceira melhor da história.

O Alviverde, comandado por Gilson Kleina, não teve uma distância tão grande para a Chapecoense, segunda colocada, com apenas sete pontos de vantagem. Mesmo assim, a pontuação foi boa: 79. Foram 24 vitórias, sete empates e sete derrotas. Os palmeirenses sofreram 28 gols e balançaram as redes 71 vezes.

Goiás (2012)

A campanha do Goiás em 2012 teve 23 vitórias, nove empates e seis derrotas. A equipe, que era comandada por Enderson Moreira, técnico com mais títulos de Série B na história (também foi campeão em 2017, com o América-MG, e em 2021, com o Botafogo), somou 78 pontos. O saldo de gols foi de 38 – 75 marcados e 37 sofridos.

O elenco tinha Iarley, campeão mundial com o Internacional e com passagens por Real Madrid B e Boca Juniors, além de Walter, que se destacou na equipe, e Ricardo Goulart, que depois foi bicampeão brasileiro com o Cruzeiro.

Vasco (2009)

Dos times grandes, o Vasco é o que mais vezes foi rebaixado: quatro. Nas três primeiras quedas, o time cruz-maltino subiu para a Série A já no ano seguinte. No último rebaixamento, porém, os vascaínos não conseguiram o acesso, e por isso, em 2022, disputam a segunda divisão pela quinta vez – veja prognósticos do Brasileirão.

Em 2009, a equipe carioca conquistou a única taça da Série B, e foi a quinta melhor campanha da história. Comandado pelo técnico Dorival Júnior, o elenco, que contava com Fernando Prass, Fagner, Philippe Coutinho e Carlos Alberto, somou 76 pontos – em 22 vitórias, 10 empates e seis derrotas. O saldo de gols, com 58 marcados e 29 sofridos, foi de 29.

Algum time da edição atual é capaz de bater o recorde do Corinthians na segunda divisão? Aproveite e faça suas apostas no Brasileirão Série B.