Vencer o Campeonato Brasileiro não é tarefa fácil. Considerado um dos nacionais mais equilibrados do mundo, o Brasileirão costuma consagrar o time mais regular e balanceado da temporada, afinal o título fica com quem somar mais pontos em 38 rodadas.

Disputado desde 1959 com outros nomes (Taça Brasil e Torneio Roberto Gomes Pedrosa), o Brasileirão teve a primeira edição com este nome em 1971. A partir de 2003, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estabeleceu o formato por pontos corridos. Em 2006, o campeonato foi fixado com 20 times na elite.

Em mais de 60 anos de história, o Campeonato Brasileiro já foi palco para grandes equipes e momentos históricos do futebol nacional. Também foi no maior campeonato do país que alguns treinadores ganharam visibilidade e se creditaram para cargos na seleção brasileira ou em clubes de outros continentes.

Mas, em toda a história da competição nacional, tiveram alguns profissionais que conseguiram um feito significativo: conquistar o Brasileirão em campo e como técnico. Nove nomes do futebol brasileiro atingiram este feito.

Abaixo, veja quem conseguiu ser campeão do Campeonato Brasileiro como jogador e técnico.

Ênio Andrade (4 títulos)

O primeiro nome do futebol brasileiro a conquistar o Campeonato Brasileiro nas duas funções foi Ênio Andrade. Campeão com o Palmeiras da Taça Brasil de 1960, o meia se aposentou anos mais tarde e deu início a uma carreira de sucesso do banco de reservas.

Como técnico, Ênio Andrade ganhou mais títulos, em quantidade e relevância das taças, e maior notoriedade no futebol nacional. A consagração aconteceu em 1979, quando conduziu o Internacional ao título do Brasileirão de forma invicta. É o primeiro e único caso de troféu sem derrotas. Em seguida, ele repetia o sucesso vencendo a competição com Grêmio (1981) e Coritiba (1985).

Paulo César Carpegiani (4 títulos)

media MAURO PIMENTEL / AFP via Getty Images

Carpegiani tem uma rica trajetória no futebol brasileiro, e é o segundo nome da história a vencer a competição como jogador e técnico. Ele se destacou principalmente como atleta: o volante foi à Copa do Mundo de 1974 representando o Brasil. Na carreira, levou o bicampeonato com o Inter em 1975 e 1976 e venceu com o Flamengo (1980).

Como treinador, ele cravou seu nome no ranking com pouquíssima experiência. Como tinha uma relação próxima com o Fla, assumiu a equipe carioca em 1982 e foi o responsável pelo título naquela edição; obviamente o time que tinha Zico, Adílio, Tita, Nunes e outros craques contribuiu bastante para a conquista.

Carlos Alberto Torres (3 títulos)

media Focus On Sport /Getty Images Sport via Getty Images

Capitão na Copa do Mundo de 1970 no tri mundial da seleção brasileira, Carlos Alberto Torres foi um dos melhores laterais-direitos de todos os tempos. Em campo, ele venceu o Brasileirão com o Santos duas vezes (1965 e 1968), em um time com craques como Pelé, Pepe, Coutinho e outros nomes.

Como treinador, Carlos Alberto Torres pegou a boa sequência de trabalho de Carpegiani e, com o timaço do Flamengo de Zico, foi campeão do banco de reservas em 1983.

Pepe (7 títulos)

O poderoso time do Santos da década de 1960, liderado pelo Rei do Futebol, tinha outro craque histórico: Pepe. O Canhão da Vila, como era conhecido o ponta esquerda, conquistou incríveis seis títulos nacionais pelo Peixe (1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968).

Como técnico, Pepe atingiu o auge em um rival da equipe da Baixada. Ele venceu o Campeonato Brasileiro de 1986 com o São Paulo e se tornou o quarto nome do futebol nacional a vencer a competição nas duas funções.

Joel Santana (2 títulos)

media Buda Mendes / Latin Content WO via Getty Images

Da lista, Joel Santana é daqueles que fez mais sucesso como treinador do que como jogador. De todo modo, ele conseguiu um título em cada momento da vida, curiosamente ambos com o Vasco. Como jogador, o então zagueiro participou da campanha vitoriosa do Vasco em 1974; já no comando técnico, venceu a Copa João Havelange de 2000 (posteriormente reconhecida como o Brasileirão daquele ano).

Emerson Leão (5 títulos)

media RONALDO SCHEMIDT / AFP via Getty Images

Considerado um dos melhores goleiros do futebol brasileiro, Emerson Leão ganhou destaque na Segunda Academia do Palmeiras, time que ficou conhecido por um futebol ofensivo e clássico. Foi à Copa do Mundo, venceu a edição de 1970 e alguns troféus nacionais com o clube paulista: 1969, 1972 e 1973. Depois, como camisa 1 do Grêmio, participou do título brasileiro de 1981.

Como técnico, Leão colecionou polêmicas e atritos com jogadores por conta de seu temperamento forte, mas esteve no topo do Brasil uma vez. Levou o Santos de Robinho, Diego e companhia ao troféu em 2002.

Muricy Ramalho (5 títulos)

media Friedemann Vogel / Getty Images Sport via Getty Images

Hoje em cargo administrativo no São Paulo, Muricy Ramalho construiu uma bonita história no clube do Morumbi. Como jogador, foi um meia regular que participou do título são-paulino no Brasileirão de 1977.

No banco de reservas, Muricy virou ídolo. Treinado por Telê Santana para executar a função de técnico, ele se tornou um dos maiores do futebol brasileiro (e dos pontos corridos) com o tricampeonato consecutivo em 2006, 2007 e 2008. Após o sucesso no Tricolor paulista, ele levou mais um troféu do Brasileirão, em 2010, com o Fluminense.

Andrade (5 títulos)

media Marcelo Hernandez /Latin Contet WO via Getty Images

Volante do Flamengo histórico da década de 1980, Andrade levou três taças com o Rubro-negro no período, como jogador (1980, 1982 e 1983). Ainda teve tempo para conquistar outro troféu, com o Vasco, em 1989. Como técnico, Andrade foi promovido de interino para a função principal em 2009. De forma apertada e emocionante, levou o Fla de Adriano e Petkovic a mais uma conquista nacional, naquele ano.

Rogério Ceni (4 títulos)

media AFP/AFP via Getty Images

O último profissional a conquistar o Brasileirão nas duas funções foi Rogério Ceni. Ele se juntou ao grupo seleto e se tornou o nono a conseguir o feito depois de faturar o troféu de 2020, com o timaço do Flamengo de Gabigol, Arrascaeta, Bruno Henrique e companhia. Apesar do título, ele não resistiu à pressão e logo deixou o comando técnico da Gávea.

Ainda no começo da carreira como técnico, Rogério Ceni pode voltar a vencer a competição, claro, mas será muito difícil superar a sua história como goleiro, e do São Paulo. Embaixo do gol do time do Morumbi, Ceni liderou os companheiros no tricampeonato nacional (2006, 2007 e 2008), foi campeão mundial (2005) e da Copa do Mundo (2002).

O Campeonato Brasileiro está disponível para você dar os seus palpites na Betway. Visite o nosso site e faça suas apostas no Brasileirão.