Possivelmente, uma das maiores diversões para os fãs de futebol é apostar em quem será o próximo Pelé, ou o próximo Maradona, ou até mesmo o próximo Messi ou Cristiano Ronaldo.

Às vezes, nem precisamos ir logo nos maiores jogadores. Todos os anos, garotos são filmados na base de algum time pequeno, de uma liga ainda menor, e torcedores do mundo inteiro já começam a se empolgar com o futuro de jogadores que ainda não tem 10 anos de idade. Na era das redes sociais, isso se tornou cada vez mais claro e frequente, com uma chuva e novos Ronaldos, Pelés e Maradonas todos os anos. No entanto, o que se vê na maior parte do tempo, são jogadores com grande apelo da mídia e de torcedores, taxados como os grandes craques do futuro, mas que ficam aquém de qualquer previsão, não conseguindo brilhar em grandes equipes, e eventualmente sendo relegados a jogadores não tão fundamentais, em times médios. As eternas promessas que não vingaram. São tantos possíveis, que nós selecionamos só alguns. Vamos a uma lista de 6 jogadores que poderiam, pelo menos, ter sido muito mais do que são hoje, mas que decepcionaram, pelo menos um pouco.

1- Alexandre Pato

Em 2006, os grandes noticiários esportivos anunciaram um jovem atacante na base do Internacional de Porto Alegre. Antes mesmo de se tornar maior de idade, foi rotulado como o “novo Ronaldo Fenômeno”. Apresentadores de programas não esperaram o garoto completar 2 jogos nos profissionais antes de darem seu veredito sobre a qualidade do atacante. Porém, após um bom início no Milan, Pato sofreu com uma carreira repleta de lesões, altos e baixos, vendo suas esperanças de ser o camisa 9 da seleção brasileira pós-Ronaldo minguarem. Após uma passagem pela China, ele voltou ao São Paulo este ano, em busca de maior projeção nacional. Com quase 30 anos, Pato está longe de ser um jogador ruim, mas definitivamente decepcionou quem esperava o novo Ronaldo.

2- Drenthe

Fosse pelo futebol veloz, forte e habilidoso, fossem pelos dreadlocks cumpridos que ostentava, o holandês Drenthe foi rapidamente comparado ao craque holandês Edgar Davids. A história que se firmou depois disso foi bem diferente. Com apenas 20 anos, foi para o Real Madrid, disputar posição com ninguém menos que Marcelo, também recém contratado. O que se viu, no entanto, não foi nada perto do que se esperava, e o atleta acabaria dispensado pelo Real Madrid, após alguns anos sem qualquer lampejo de qualidade. Drenthe acumulou passagens sem brilho por Inglaterra, Turquia e Emirados Árabes Unidos até anunciar sua aposentadoria em 2016. Porém, após uma carreira sem sucesso na música, o lateral esquerdo holandês retornou aos gramados em 2018, jogando na segunda divisão holandesa.

3- Defederico

Contratado pelo Corinthians em 2009, Matías Defederico chegou ao Timão como o “novo Lionel Messi”. Era argentino, baixinho, habilidoso e tudo mais. Ou era? O que se viu no Corinthians foram partidas fracas tecnicamente e uma das grandes decepções para a fiel torcida na década passada. Foram 40 jogos pelo time de Parque São Jorge, e apenas 3 gols. Após rodar por Argentina, Chile, Turquia e Índia, Defederico defende o Apollon, da Grécia. É seguro dizer que não apenas Defederico não se consagrou como um substituto ou colega à altura de Messi, sua carreira não teve nenhum momento de grande destaque para credenciá-lo como um jogador de alto nível.

4- Odegaard

Esse ainda tem tempo de mostrar algo diferente, mas é bom ele começar logo. O norueguês Martin Odegaard apareceu pela primeira vez para o mundo em 2014, com vídeos feitos em sua época como meia da base do Stromsgodset, da Noruega. Com habilidade fora do comum, ele rapidamente entrou no radar dos grandes clubes do mundo, que buscaram sua contratação. Chelsea, Barcelona, Manchester United e Bayern de Munique tentaram, mas o Real Madrid levou a disputa pela promessa. Só que Odegaard já tem mais de 20 anos de idade e, pelo menos até o momento, não mostrou nos profissionais o nível que se espera de um grande jogador. Com apenas duas partidas no Real Madrid e alguns empréstimos para ganhar milhagem, Odegaard até fez uma temporada mais consistente este ano, jogando pelo Vitesse, mas ainda não fez nada que o credencie a uma vaga no elenco madrilenho. Ainda é possível apostar em um sucesso do atleta no futebol, mas as chances estão cada vez menores.

5- Freddy Adu

Se tem um jogador que frustrou expectativas, é Freddy Adu. O refugiado ganense se naturalizou americano e chamou a atenção do mundo com apenas 14 anos. Apelidado de Pelé do século XXI, Adu rodou por mais de 13 times do mundo, passando, inclusive, pelo Bahia. O fracasso foi retumbante em todos esses clubes, e Adu joga atualmente em um time de ligas inferiores nos Estados Unidos.

6- Bojan Krkic

Outro que era visto como alguém capaz de ter o nível de Lionel Messi, Bojan subiu junto com o argentino da base para os profissionais do Barça. Filho de um antigo craque do clube catalão, Bojan decidiu jogar pela seleção espanhola, apesar da ascendência sérvia. O nível apresentado na base, no entanto, não se repetiu nos profissionais, e Bojan, hoje com 28 anos, não tem mais nenhum holofote em sua carreira, que segue um declínio sem fim. Nesta temporada, foram apenas 14 jogos pelo Alavés, marcando um único gol.

 

A temporada europeia está no fim, mas não deixe de apostar em jogos de futebol na Betway. Acesse nossa página de apostas em futebol e confira outros países, como o Brasil, onde os jogos não param, e faça suas apostas!