O 2º Split dos torneios profissionais de League of Legends (LoL) em 2021 está seguindo um padrão pelo mundo inteiro, com alguns campeões sendo a grande preferências dos pro players por conta de uma força desbalanceada, além das diversas opções de escolhas flexíveis.

Para você entender um pouco de como o meta (most efficient tactics available) está funcionando, veja algumas das principais escolhas no competitivo de LoL, incluindo dados das principais ligas competitivas, incluindo as de Tier 1 como China e Coreia do Sul e também de Tier 2, como Brasil e Rússia.

Os 3 mais usados de cada rota

Utilizando os dados do 2º Split das principais ligas ao redor do mundo, com dados do site estatístico Games of Legends até 7 de julho, veja quais são os 3 campeões mais usados em cada rota.

Topo

A líder entre os pro players na rota do topo atualmente é a Gwen, com 140 vezes em que foi escolhida e 233 banimentos (66% de presença). Sendo uma das campeãs mais novas do jogo, a Gwen atualmente não tem um counterpick, ou seja uma escolha que é forte contra ela. Ela possui um kit completo, com muito dano, mobilidade, alcance, sustentabilidade e invulnerabilidade com uma de suas habilidades, tornando a campeã uma das prioridades da grande maioria dos jogadores.

Logo em seguida vem Sett, com 124 vezes em que foi escolhido e 185 banimentos (54% de presença) ele é um campeão flexível que pode ser usado em três rotas (topo, meio e suporte) e tem 124 aparições só na rota do topo. Um dos motivos de aparecer tanto é que Sett tem uma lane um pouco menos sofrida contra outros campeões do topo, como Gwen, Nocturne e Lee Sin, conseguindo até vantagem quando usado por jogadores habilidosos.

Em terceiro lugar, Lee Sin aparece com 113 vezes em que foi escolhido e 225 banimentos (59% de presença). Similar ao Sett, ele funciona como flex também para selva e meio, mas a força do campeão é totalmente extraída na rota do topo, principalmente por ter grandes chances de gerar snowball, mesmo após os nerfs, por estar muito forte com um único item para pico de força, que é o Hemodrenário.

Selva

Liderando a selva, Rumble apareceu 225 vezes e sofreu 153 banimentos (72% de presença). Após receber um grande buff no meio do ano, Rumble era a principal escolha na selva e acabou sendo nerfado por isso. Mesmo assim, o campeão é muito viável pelo potencial de dano durante combate, além de ter um duelo 1vs1 muito bom caso esteja na vantagem de itens e level – algo muito fácil de realizar pelo Rumble conseguir limpar a selva rápido.

Já Diana aparece em uma crescente dos caçadores de poder de habilidade, principalmente após os nerfs de Rumble. Com 169 vezes em que foi escolhida e 71 banimentos (42% de presença), ela é menos banida e tem um potencial de crescer muito rápido por ser uma assassina mágica, tanto que muitas vezes ela carrega o time com a mínima vantagem obtida com o erro do oponente.

Por fim, Xin Zhao é o grande nome da selva e está na terceira colocação por ter sido escolhido 159 vezes, mas em contrapartida é um dos líderes de vetos com 222 banimentos (67% de presença). O campeão recebeu um nerf na atualização 11.14 justamente por ser dominante em todas os níveis e competitivamente muito difícil de lidar, pois tem muito dano, tem lentidão e um avanço forte para eliminar atiradores e magos. Mesmo assim, ele certamente será escolhido pelo nerf ter sido baixo, apenas alguns segundos a mais na habilidade do W.

Meio

A rota do meio é a mais diversa e por isso Sylas lidera com 98 vezes em que foi escolhido e 93 banimentos (34% de presença). Muito da força desse campeão vem da sua ultimate, que rouba a habilidade inimiga e devolve com um dano muito maior que a original. Por ser uma resposta comum para escolhas fortes do meta para qualquer equipe durante o draft, Sylas acaba tendo um baixo número de banimentos.

Por outro lado, a Akali foi escolhida 92 vezes e segue com 324 banimentos (73% de presença). De longe, essa é a escolha mais forte na rota do meio e é temida pela maioria das equipes, principalmente por ser difícil de lidar e a invulnerabilidade da campeã, principalmente nas mãos de profissionais, se torna uma arma imbatível. Um exemplo é a taxa de vitória de 60%, sendo a maior entre os campeões de todas as rotas com mais de 100 escolhas.

E Sett aparece mais uma vez, com 90 vezes em que foi escolhido e 185 banimentos (48% de presença no meio). Essa dobradinha de ser escolhido com frequência no topo e meio vem pela segurança que o campeão traz no draft, permitindo que a equipe defina o melhor combate para Sett ter vantagem e acelerar a partida. Diferente do topo, no meio o campeão tem muito mais abertura para fazer roaming e participar de lutas por objetivos de início de jogo (Arauto e 1º Dragão).

Atirador

Entre os atiradores, Ezreal foi o que mais apareceu com 261 vezes em que foi escolhido e 140 banimentos (70% de presença). O campeão estava forte por conta da sinergia com o Ruptor Divino, que traz um ótimo início de partida pela receita e o pico de força era com dois itens baratos, Ruptor e Muramana. Velocidade de crescimento, dano, habilidades de reposicionamento e capacidade de derreter tanques fez o Ezreal ser uma escolha sólida por muito tempo, inclusive ainda sendo viável após a redução de dano bônus do Ruptor Divino para campeões de longo alcance.

Já o Varus está em segundo lugar pela popularidade nas ligas da China e Coréia do Sul, que totalizam sozinhas 100 escolhas. No total, o campeão foi escolhido 182 vezes e recebeu 229 banimentos (72% de presença) e é uma escolha bem segura por ter variedades de builds, com destaque para a popular build rápida de letalidade que se destaca pelo baixo custo.

Em 3º lugar aparece a Kai’sa, com 164 vezes em que foi escolhida e 62 banimentos (40% de presença). Mesmo com baixa presença (resultado de bans e picks somados), ela é a terceira mais escolhida justamente por ser uma opção viável e capaz de lidar com o atual meta de engage junto com campeões já citados em outras rotas. Um outro benefício é a pressão de rota, pois ela tem ótimas trocas no 2vs2 da rota inferior.

Suporte

Chegando nos suportes, a Leona aparece com 198 escolhas e 137 banimentos (59% de presença). A campeã é de longe a escolha mais sólida para a rota, consegue proteger o atirador, tem muito controle de grupo, um ótimo engage e sobrevive muito bem em lutas estendidas, além de ser uma campeã “playmaker” que se sobressai quando escolhida pelos profissionais.

Nautilus aparece em seguida, em 192 vezes ele foi escolhido e recebeu 132 banimentos (57% de presença). Ele possui características parecidas com a de Leona, porém foi muito afetado pelos nerfs e acaba sendo uma escolha de resposta em uma tentativa de bater de igual com a campeã.

Por fim, Thresh apareceu 130 vezes e conta com 279 banimentos (72% de presença). O motivo de receber tantos banimentos vem da pressão que o campeão aplica tanto em rota quanto em momentos de teamfight. Analisando os outros campeões fortes de outras rotas, todos são relativamente fáceis de matar caso recebam um controle de grupo e Thresh é um dos melhores para fazer esses pickoffs. Além disso, ele possui a lanterna que ajuda a reposicionar um aliado, habilidade que continua forte mesmo com as chuvas de wards que tentam parar a habilidade.

Todos esses campeões são as principais escolhas do meta ao redor do mundo. Se você acompanha esses torneios, é uma ótima ideia testar esses campeões em seus jogos para aproveitar do atual ponto de força de cada um.

Além disso, acompanhe as partidas competitivas das principais ligas regionais nos canais oficiais da Riot Games.

Fique de olho no cenário competitivo de League of Legends, que possui torneios em diversas regiões do mundo com metas locais. Aproveite o conhecimento adquirido, visite a página bets LoL e faça suas apostas!