Em League of Legends (LoL) existe uma tática muito comum utilizada durante a fase de pick e bans (draft) das equipes em partidas competitivas, que é a escolha de picks flex, garantindo mais liberdade aos jogadores e também deixa o seu time definir qual será o duelo inicial das fases de rotas.

Para entender um pouco como funciona a seleção de pick flex, entenda o conceito e veja alguns exemplos de como são aplicados em partidas competitivas.

Pick flex

Um campeão pode se tornar um pick flex quando ele consegue ser eficiente em duas ou mais rotas e, por isso, costumam ser campeões que estão mais fortes no meta. Para entrar nessa categoria, o campeão precisa ter algumas forças, como domínio e controle de rota, alto potencial de dano ou defesa e também boas lutas.

No competitivo, esse pick flex é muito utilizado no lado vermelho no draft, já que o lado vermelho revela o time inteiro primeiro e o lado azul tem uma última escolha para dar counter no oponente de rota – mas não limitado apenas nesse lado. Quando um pick flex é escolhido, ele deixa tudo ainda mais complicado para o oponente e permite que a sua equipe escolha quem eles querem enfrentar.

Alguns exemplos mais comuns são:

  • Akali (topo e meio)

  • Diana (meio e selva)

  • Galio (topo, meio e suporte)

  • Lucian (atirador, meio e topo)

  • Senna (atirador e suporte)

  • Seraphine (atirador, suporte e meio)

  • Sett (caçador, meio e topo)

  • Viego (topo, caçador e meio)

De todos esses exemplos, o mais comum atualmente é o Viego, disponível desde a atualização 11.2 mas que ainda está muito fora da curva de força. Por conta disso, muitas equipes competitivas optam por escolhê-lo do lado vermelho pela força e flexibilidade de rota, deixando o oponente de mãos atadas para tentar pará-lo.

Exemplos competitivos

Com as ligas profissionais voltando à ativa para o 2º split, alguns exemplos começaram a aparecer na primeira semana de partidas. No 2º jogo da série entre Bilibili Gaming e EDward Gaming⁠ (EDG), pelo 2º Split da LoL Pro League (LPL) na China, a EDG mostrou muito bem como usar e ainda do lado azul (que escolhe depois no draft).

Com a Bilibili escolhendo Nocturne como primeiro pick, a EDG mostrou um Lee Sin, que atualmente é comum na rota superior. Na segunda fase de banimentos, a Bilibili focou a rota do meio, pensando que era a escolha que a EDG ainda tinha a fazer, porém eles guardaram o último pick para uma Akali no topo e jogou o Lee Sin no meio, deixando a Akali e Lee em um duelo favorável em suas rotas contra Nocturne e Zoe.

Essa inteligência estratégica da EDward Gaming foi crucial para a vitória no no Jogo 2, já que com o empate levaram para o terceiro jogo e venceram a série. A Akali da EDG conseguiu neutralizar completamente o Nocturne e terminou com um saldo de 2/0/7 (abates/mortes/assistências).

Além disso, Lee Sin conseguiu ter mais impacto no duelo contra a Zoe que a Akali contra Nocturne. O principal ponto é que Lee Sin consegue perseguir a Zoe mesmo se ela usar a ultimate para causar pokes (danos de longa distância) e, por ela ter pouca resistência, ele consegue desviar do dano dela e ainda voltar para eliminá-la. Tanto que Lee Sin ficou com um saldo de 6/1/9 e foi crucial para trazer vantagem para a rota inferior, que carregou o jogo.

Como usar na SoloQ

Diferente do competitivo, que existe uma comissão técnica por trás dessas estratégias, as partidas ranqueadas, também chamadas de SoloQ, são pessoas totalmente desconhecidas que são selecionadas aleatoriamente e jogam em busca de subir de nível. Jogadores do Ferro até o Diamante podem jogar em dupla e essa é a maneira de usar a escolha flex.

Dessa forma, você pode jogar com um amigo e escolher rotas que possibilitam isso, como Topo/Meio e Topo/Selva, para trabalhar o pick entre si – pois dificilmente você conseguirá convencer uma pessoa desconhecida de fazer isso. Vocês dois também precisam dominar o campeão que desejam fazer isso, pois não adianta escolher um Renekton como flex para um dos jogadores se o outro não sabe jogar com o campeão.

A melhor maneira para começar é com opções no topo e meio, pois são as duas rotas mais flexíveis para isso e possuem uma grande variedade de opções relativamente fáceis para começar, como Renekton, Jayce, Viego, Gragas, Lee Sin, Pantheon e até Malphite. Assim que o primeiro é escolhido, o ideal é deixar o oponente continuar com o draft para mostrar a escolha, deixando para vocês a opção de manter a escolha ou trocar a rota do campeão.

Além disso, é importante acompanhar o cenário competitivo para ter inspirações de táticas e ver quais são os campeões mais contestados, seja por banimento ou por escolha. Além do Campeonato Brasileiro de LoL (CBLOL), é recomendado ver as ligas LPL da China, LoL Korean League (LCK) e LoL European Championship (LEC), que são as regiões de elite do cenário competitivo.

Vale lembrar que a 2º etapa das competições de League of Legends voltaram à ativa em junho, com o CBLOL no dia 5, LPL no dia 7 e LCK no dia 9 e a LEC no dia 11 de junho. As transmissões podem ser vistas no canal oficial do LoL Esports, que possui a grade de todas as regiões e também os links das streams.

Acompanhe o competitivo para ver táticas, aprender um pouco com elas e também ganhar ainda mais conhecimento para caprichar nas suas apostas. Visite a página de bets LoL e divirta-se!