Tem muita gente por aí que pode até ter vontade de fazer uma tatuagem, mas nunca teve coragem. Agora, já imaginou ser tatuado por um robô? Você ficaria mais tranquilo ou mais nervoso? É bom pensar sobre isso, porque robôs tatuando humanos não são mais uma suposição, mas uma certeza.

Parece surreal, mas de fato aconteceu. O feito foi parte de uma ação publicitária da empresa de telefonia T-Mobile Netherlands e, nele, a atriz Stijn Fransen teve seu braço marcado permanentemente pelo tatuador Wes Thomas - tudo remotamente e por intermédio de robôs muito bem treinados! Confira tudo sobre o acontecimento:

Robô tatuador: como foi possível

Uma espécie de ritual do processo de se tatuar é o contato entre o artista e o cliente. Mas, nesse caso, a atriz Stijn Fransen e o tatuador Wes Thomas nunca se encontraram - limitando o contato a videochamadas para combinar o design e conversar sobre a experiência, mas só. O resto ficou a cargo do robô, que levou um tempo considerável para ficar pronto.

Durante seis semanas, o tecnólogo Noel Drew trabalhou no braço robótico que foi o responsável por tatuar a pele de Fransen. Para isso, ele teve que levar em conta várias coisas: o robô precisaria ter uma estrutura próxima da mão do artista, acompanhar os movimentos dele de forma sincronizada, assim como respeitar a anatomia do corpo humano e ter uma pressão perfeita - não muito leve nem muito forte.

Para se ter uma noção, algumas etapas desse processo contaram com trilhas de desenvolvimento em software e hardware, assim como prototipagem e várias impressoras 3D rodando sem parar todos os dias da semana para produzir peças. Em outras palavras, foram necessários inúmeros testes para avançar com o projeto que, apesar de ter seus percalços, foi bem sucedido.

Se você está se perguntando como exatamente foram realizadas as provas, não se preocupe: nenhum humano ou animal estava do outro lado da agulha, mas sim abóboras e tomates - vários deles. Neles, a delicadeza desses alimentos e as suas curvas foram essenciais para ajustar a pressão da máquina, por exemplo. Afinal, o nosso corpo não é uma folha de papel e, por isso, não é uma tela simples para um artista trabalhar. Vale lembrar que a dificuldade da área do corpo que será tatuada, inclusive, é um fator levado em consideração ao realizar o orçamento de uma tatuagem.

Para se certificar que o braço robótico se adequasse aos movimentos e precisão de Wes Thomas, foi utilizado um sensor que acompanhava o tatuador enquanto ele fazia o desenho com uma caneta 3D. Nesse sensor foi acoplada a máquina de tatuagem, que enviou as informações via 5G para o robô responsável pelo processo final. 

O projeto contava com um sistema contra falhas que incluía comandos via softwares e botões manuais de parada, estes segurados tanto pelo tecnólogo como pela própria atriz a ser tatuada caso algo saísse do controle. Como o maior receio era que a máquina pressionasse demais o braço de Fransen e a machucasse, também foi utilizado um potenciômetro linear industrial de alta precisão, aparelho que pode limitar o fluxo de corrente elétrica em um circuito, por precaução.

O resultado você confere abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=GSbaqCe747Q

5G e machine learning: entenda as tecnologias por trás do projeto

Nada dessa ação seria possível sem duas tecnologias que prometem revolucionar o mundo como conhecemos hoje: 5G e machine learning. Cada uma tem suas particularidades, entenda um pouco sobre cada uma:

5G: o mundo conectado

Você já deve ter ouvido falar do 5G, que é a próxima geração de internet móvel, sucessora do 4G. Diferente da irmã mais velha, ela tem muito mais velocidade e estabilidade - o suficiente para expandir absurdamente as tecnologias que dependem do uso de internet para funcionar.

Para ficar mais claro: hoje há diversos objetos físicos que funcionam com base na rede de internet. No entanto, como o 4G tem capacidades limitadas, o potencial desses objetos também era restrito. O que muda com a chegada do 5G, que promete fazer com que casas e cidades inteligentes sejam uma realidade. Quer saber mais sobre o 5G? Confira mais na nossa matéria!

É exatamente essa velocidade e estabilidade que o 5G é capaz de fornecer que fez com que a ação da T-Mobile Netherlands fosse possível. Afinal, somente com uma internet com conexão absurdamente boa que uma tatuagem poderia ser feita remotamente em total sincronia. 

Machine learning: máquinas que aprendem

Machine learning ou aprendizado de máquina é uma área dentro da inteligência artificial que possibilita que máquinas sejam capazes de aprender. Funciona assim: ao serem instruídos para realizarem uma tarefa, algoritmos de machine learning são capazes de analisar os dados disponibilizados e, então, criar soluções possíveis. Ao longo desse processo, a máquina entende os caminhos certos a serem seguidos e dispensa a necessidade de todos os seus comandos precisarem ser programados previamente.

Pode soar um pouco assustador máquinas que aprendem sozinhas, mas essa tecnologia já está entre nós faz tempo. Por exemplo, sabe como a Netflix escolhe as indicações de filmes e séries de acordo com o seu gosto? Por meio de machine learning, ou seja, testando várias recomendações e entendendo as suas preferências. É claro que machine learning não se resume a filtragem de informações no streaming, ela também é chave para avanços como carros autônomos, nos quais cada batida ou barbeiragem que o veículo faz é internalizado como um erro e assim por diante.

Você se tatuaria com um robô? Apesar de ser uma arte permanente, essa experiência é no mínimo inusitada e divertida. Por falar em diversão, você também pode aproveitar para conhecer nossa página com slots online e fazer suas apostas. Confira!