Todo grande filme de ação precisa de um vilão à altura de seu herói protagonista. Sem um vilão realmente convincente, qualquer filme corre o sério risco de virar um pastelão maniqueísta daqueles que não empolgam a crítica e fatalmente fracassam nas bilheterias.

Há casos, no entanto, em que o vilão é tão bom, mas tão bom, que o filme só é bom por causa dele! Em alguns destes filmes, sequer lembramos dos nomes dos mocinhos, mas o dos vilões, não esqueceremos jamais.

Vamos tentar ranquear os 10 maiores vilões do cinema, avaliando seu impacto na cultura pop, as reações que podem causar na plateia e, claro, as ações que lhes renderam o papel de malfeitores supremos.

10 - Alien

media Créditos: reprodução do filme Alien: Covenant

Eis aqui um caso em que o filme não é apenas melhor por conta do vilão. O filme É sobre o vilão!

A saga de Alien chegou aos cinemas em 1979 com um longa revolucionário em termos de tecnologia e em termos de medo causado.

Mas sejamos justos. Ao longo da saga, a heroína Ripley, vivida por Sigourney Weaver ficou quase tão grande quanto o xenomorfo espacial, mas apenas quase. E não se engane, pois Weaver não é a protagonista de nenhum dos filmes, pois este é o papel do nosso vilão.

O medo que ele causa nas plateias até hoje é algo difícil de se replicar. Seus jeitos sempre grotescos e violentos de matar suas vítimas, tudo sempre mostrado em detalhes, é um dos elementos que torna este vilão tão especial.

9 - Voldemort

media Créditos: reprodução dos filmes da saga Harry Potter

Alguns dizem que o nome de Voldemort foi inspirado pelo decadente personagem de Edgar Allan Poe, M. Valdemar. Na realidade, porém, era J.K. O amor de Rowling pelo francês que resultou no apelido, que significa "fuga da morte". "Eu precisava de um nome que evocasse poder e exotismo", disse ela em 2009.

Essas duas palavras resumem muito bem o Supremo Comensal da Morte. Exótico, porque ele é uma mistura arrepiante de homem e cobra, nariz de fenda e sangue frio. Poderoso, porque seu domínio da magia negra é tão completo que ele pode voar sem uma vassoura. Você sente a presença dele em todas as sombras da tela. Seja qual for o nome dele, há uma razão para ninguém ousar dizer isso.

8 - Anton Chigurh

media Créditos: reprodução do filme Onde Os Fracos Não Têm Vez

Quando Javier Bardem aceitou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em 2018, agradeceu aos irmãos Coen, especificamente por colocar em sua cabeça "um dos cortes de cabelo mais horríveis da história". Em “Onde Os Fracos Não Têm Vez” não seria a última vez que Bardem misturaria cabelos esquisitos e vilania extrema (Skyfall, Piratas do Caribe 6), mas ele nunca superou a malevolência de Anton Chigurh, o assassino de cartéis que usa uma pistola de parafuso para executar suas vítimas como se fossem gado, e tira ou poupa vidas ao capricho de um sorteio. É uma reviravolta verdadeiramente assustadora, humana e ainda desumana.

7 - Kylo Ren

media Créditos: reprodução da saga Star Wars

Em um universo que tem grandes vilões, é natural que alguns deles estejam em nossa lista. Kylo Ren é o vilão da nova geração de Star Wars e como desempenhou seu papel.

Seu arco é muito semelhante ao de Darth Vader, que em 3 filmes vai de vilão implacável à redenção pelo amor, mas a redenção obviamente chega apenas nos momentos finais da vida do vilão, assim como no caso de seu avô.

Mas a coisa fica realmente interessante quando vemos o trabalho feito por Adam Driver, um ator fascinante que foi capaz de transformar o garoto emo mimado do começo de “Despertar da Força” e transformá-lo, ainda neste mesmo filme, em um vilão sanguinário e obstinado, capaz de assassinar o próprio pai a sangue frio. Adicione à sua lista maléfica alguns planetas destruídos, a tentativa de assassinato da própria mãe (esta não tanto a sangue frio), suas tentativas de manipular Rey e mais uma série de torturas, e você consegue compreender como ele era malvado.

6 - Hans Landa

media Créditos: reprodução do filme Bastardos Inglórios

Vamos começar pelo óbvio: nazista. Não há nazista na história que não seja um vilão maquiavélico. E no longa “Bastardos Inglórios” de Quentin Tarantino, vemos um nazista chamado de “caçador de judeus” fazer as coisas mais malvadas possíveis enquanto é caçado por um pelotão de elite composto por soldados judeus.

A interpretação de um nazista sarcástico e que consegue misturar graça e violência rendeu a Christoph Waltz um Oscar e uma performance marcante, que até hoje é referência em filmes sobre nazismo e até mesmo na carreira de Waltz, que ganhou outros prêmios da academia por outras performances deslumbrantes, mas dificilmente mais incríveis do que essa.

5 - Hannibal Lecter

media Créditos: reprodução do filme Silêncio Dos Inocentes

Brian Cox e Mads Mikkelsen fizeram trabalhos memoráveis na pele canibal de Robert Harris, mas Anthony Hopkins fez de Hannibal uma lenda. A maioria dos grandes vilões é definida por suas ações, mas a quietude de Hopkins é o que é tão perturbador. Olhando a agente Starling, de Jodie Foster, através do vidro reforçado, ele retira suas camadas com palavras suaves. Os atos horríveis de Lecter são mais implícitos do que os mostrados, mas sua língua é tão violenta quanto uma lâmina ou uma bala. Um pouco diluído pelo Hannibal de Ridley Scott e pelo Dragão Vermelho de Brett Ratner, Lecter continua sendo um inimigo cativante e assustador.

4 - Hans Gruber

media Créditos: reprodução do filme Duro de Matar

"Vou contar até três. Não haverá quatro”. Possivelmente a combinação mais perfeita de voz e rosto colocada na tela para um vilão, Alan Rickman trouxe algo muito especial para Hans Gruber. Um vilão culto e conivente que poderia improvisar e mudar a situação, mesmo quando seu plano original foi comprometido por um policial desagradável e descalço da polícia de Nova York (John McClane, de Bruce Willis), Gruber se envolve na história do cinema.

Claro que ele recebeu um diálogo verdadeiramente memorável dos escritores Jeb Stuart e Steven E. de Souza, mas sua entrega é precisa, demonstrando seu treinamento teatral e apenas dá mais peso a tudo o que Hans diz. E todos os grandes vilões precisam de uma derrota nobre; poucos caem de um prédio do jeito que Gruber segue.

3 - Loki

media Crédito: reprodução do filme Thor: Ragnarok

Os fãs de Vingadores devem estar pensando “como assim não é o Thanos?”. Mas calma, que a gente explica.

Mesmo no MCU, um lugar repleto de heróis memoráveis e espirituosos, há uma chance de um vilão causar mais impacto. Isso aconteceu com o filho adotivo de Asgard, o amargo e intrometido Loki de Tom Hiddleston. Ele esteve ótimo no Thor original, iluminava momentos no fraco “Mundo Sombrio”, mas realmente brilhou em todos os filmes dos Vingadores em que aparece.

Tanto Hiddleston quanto os criadores cinematográficos de Loki entenderam o poder do clássico britânico "trapaceiro" - ele é de outro reino, não se esqueça - do vilão e com Whedon ele também brilhou de forma mais cômica. As piadas funcionaram, sua punição ("deus insignificante") foi divertida e ele vem com uma história de fundo adequada e um arco de personagem que sempre foi interessante e cativante mesmo no Thor: Ragnarok, cheio de piadas.

2 - Coringa

media Créditos: reprodução do filme O Cavaleiro Das Trevas

Desde suas raízes em quadrinhos como um maníaco, através da encarnação levada às telas de cinema e TV por Cesar Romero, O Coringa sempre foi uma figura divertida. Tim Burton e Jack Nicholson encontraram alguns tons mais escuros na reinvenção cinematográfica de 1989, mas não é difícil argumentar que Chris Nolan e Heath Ledger encontraram a forma perfeita para o personagem quando ele entrou no universo cinematográfico do Cavaleiro das Trevas em 2008.

O Coringa de Ledger é uma coisa feia cheia de beleza, um homem que fará qualquer coisa para alcançar seus objetivos e, parafraseando as palavras de Alfred de Michael Caine, só quer ver o mundo queimar.

O personagem, inclusive, é um de menos de uma dezena na história do cinema a ser presenteado com dois prêmios Oscar para intérpretes diferentes, já que Ledger ganhou seu Oscar postumamente e Joaquin Phoenix venceu no ano passado por seu retrato cru e espetacular em “Coringa”.

A lista de maldades do Coringa, independente de quem o esteja interpretando, é extremamente longa e ainda mais sádica, o transformando em um personagem que é perfeito para qualquer tempo em que vivemos, sempre questionando a moralidade de uma sociedade que o deixou louco de um jeito ou de outro.

1 - Darth Vader

media Créditos: reprodução da saga Star Wars

Não poderia ser outro. Se tem um vilão que atravessa gerações com o mesmo impacto que teve em 1977 é o lorde Sith que age como mão do imperador em toda a saga original de Star Wars, além do spin-off Rogue One.

Vader explodiu Alderaan em seus primeiros momentos em tela, dando um cartão de visitas para lá de maquiavélico, mas ele mesmo diz que “o poder de destruir planetas não é nada perto do poder da força”.

Sua roupa toda preta, com uma máscara respiradora escondendo um corpo desfigurado pelo fogo e marcas de batalha adicionam um ar de mistério e perversão em seu personagem, assim como a voz de James Earl Jones. Nem mesmo a história da vida de Vader antes de se tornar um Jedi do lado sombrio da força, ainda como Anakyn Skywalker, foram capazes de derrubar o mito de Darth Vader, um vilão capaz de enforcar seus adversários a distância e responsável pela morte de Obi-Wan Kenobi.

Acesse nosso cassino online para se divertir sem sair de casa!