Em 2 de novembro de 1990, Denver Nuggets e Golden State Warriors entraram em quadra para mais um compromisso da temporada regular da NBA. Poderia ser só mais uma partida das inúmeras já realizadas na maior liga de basquete do mundo, mas o duelo ficou eternizado pelo jogo aberto e muito criativo na frente. No final do tempo regulamentar -- não houve prorrogação -- 162 a 158 para os Warriors, com 320 pontos combinados.

Levando em consideração apenas as partidas que terminaram sem os acréscimos da prorrogação, em caso de empate, este é o jogo com mais pontos na história da NBA. Sem nenhuma pretensão, a noite de 2 de novembro de 1990 entrou para a história da liga norte-americana.

Partida histórica abria temporada da NBA

Era a noite de abertura da temporada 1990/1991 da NBA, e a torcida do Denver Nuggets estava empolgada para rever o time após o hiato entre um campeonato e outro. Na McNichols Sports Arena, em Denver, no Colorado, 9.838 espectadores acompanharam o duelo que ficou para sempre na memória do basquete norte-americano.

Tratando-se de um jogo recorde de pontos, esqueça as defesas. Elas tiveram papel de coadjuvante naquele dia, fazendo uma avaliação generosa. Indo para o ataque, os Warriors chamavam mais a atenção do público que acompanhava basquete à época.

A franquia tinha um trio badalado, formado por Chris Mullin, Tim Hardaway e Mitch Richmond e popularmente conhecido nos Estados Unidos por ‘Run TMC’. Em quadra, os atletas se destacaram e foram protagonistas do jogo sem prorrogação com a maior pontuação na história da NBA.

Nuggets x Warriors: quais foram as escalações em 1990?

O jogo histórico entre Nuggets e Warriors era um dos destaques da noite de abertura da NBA naquela temporada, muito porque os times tinham atletas renomados. Abaixo, veja como cada equipe entrou em quadra, ou seja, o quinteto titular.

Atuando em casa, o Denver Nuggets foi para a primeira rodada da temporada 1990/91 com Orlando Woolridge, Todd Lichti, Blair Rasmussen, Theodore Roosevelt Dunn e Michael Adams.

Por outro lado, os Warriors do trio badalado tinham o seguinte time titular: Chris Mullin, Tim Hardaway, Mitch Richmond, Tom Tolbert e Alton Lister.

NBA – Warriors 162 x 158 Nuggets: números

Cestinha do jogo

O cestinha do jogo com mais pontos na história da NBA foi Chris Mullin, grande estrela dos Warriors e do trio TMC, com 38 pontos. O craque acertou 16 de 25 arremessos em quadra, registrando um aproveitamento de 64% na noite. Ele também teve bom desempenho nos lances livres: 6 acertos em 8 tentativas (75%).

Pelo lado da franquia mandante, Orlando Woolridge foi o destaque. O atleta quase igualou o desempenho do astro rival, anotando 37 pontos. Ele, porém, teve pior aproveitamento (11 de 22 arremessos, totalizando 50%). Em lances livres, Woolridge teve uma atuação inspirada: 15 de 20 chutes, com 75% de aproveitamento.

Trio fez 99 pontos

O lendário trio Chris Mullin, Tim Hardaway, Mitch Richmond liderou as ações ofensivas, combinando para 99 pontos. Mullin, o cestinha, fez 38 pontos e foi o melhor do jogo com, ainda, nove rebotes, cinco assistências e cinco roubadas de bola. Hardaway registrou um duplo-duplo de 32 pontos e 18 assistências, enquanto Richmond marcou 29 pontos.

No geral, os Warriors acertaram 63 de 109 arremessos (57,8% de aproveitamento), mas cederam muitos contra-ataques ao adversário. Isso também contribuiu para a alta de pontos: foram 22 erros de passe e contragolpes dados aos Nuggets, um número muito elevado para a média da NBA.

Com espaço, os Nuggets tiveram sete jogadores com mais de dois dígitos em pontuação. Além de Orlando Woolridge (37 pontos), o armador reserva Walter Davis se destacou, com 33 pontos.

Muitas faltas também justificam 320 pontos

Claro que defesas vulneráveis explicam diretamente uma partida que termina com mais de 300 pontos na NBA. Mas, para o duelo entre Nuggets e Warriors, que terminou com 320 pontos no tempo regulamentar, há outros elementos para justificar o recorde. Os 22 erros de ataque que geraram contragolpes aos donos da casa (turnovers), por exemplo, são um indicativo.

Outra característica peculiar da partida foi o número de faltas. Era a única maneira de ambas as equipes atingirem o recorde de pontos sem prorrogação. Foram incríveis 38 faltas para cada time no jogo, que acabou sendo arrastado pelas diversas paralisações. Os Warriors chutaram 49 bolas da linha do lance livre (acertaram 34, ou 69,4%), enquanto os Nuggets derrubaram 40 bolas de suas 55 tentativas (72,7%).

Para os Warriors, os 162 pontos de 2 de novembro de 1990 estão como a segunda maior pontuação da franquia na NBA. Houve um jogo com 169 pontos, em 1962, que supera o feito.

Já o Denver Nuggets fez outras quatro exibições melhores do que naquela partida, de 158 pontos, ofensivamente falando. O recorde do time é 184 pontos, em 1983.

NBA: com prorrogação, recorde é outro

Os 162 a 158 do Golden State Warriors contra o Denver Nuggets em 1990 estão para sempre na história da NBA como o jogo de maior pontuação no tempo regulamentar (sem prorrogação). Mas, quando a estatística engloba todos os jogos oficiais, os 320 pontos combinados no Colorado são apenas o quarto maior em uma partida da NBA.

E qual é o maior da história, então? Segundo registros da própria liga, foi em outro jogo dos Nuggets, em 13 de dezembro de 1983. O Detroit Pistons venceu a franquia de Denver após três prorrogações pelo placar de 186 a 184. O duelo tem, até hoje, os seguintes recordes: maior número de pontos anotados por um único time e o maior número de pontos combinados (370).

A temporada do melhor basquete do mundo está rolando e você tem acesso aos jogos na Betway. Visite o nosso site e aproveite para fazer apostas NBA.