Alguns fatores fazem com que uma transferência seja considerada bombástica, independentemente do esporte em que aconteça o negócio. Nome do atleta envolvido, cifras desembolsadas pelo contratante e a rivalidade entre os times em uma negociação costumam dar o tom do impacto de uma mudança de um jogador. É assim no futebol, no basquete, na NFL.

Na NBA, por exemplo, algumas dessas condições fizeram com que a ida de LeBron James do Cleveland Cavaliers para o Miami Heat, em 2010, alterasse o funcionamento da liga. A transferência, da forma que se deu e pelo que representava, transformou a franquia de Miami nos anos seguintes.

Também não era à toa, tratava-se da aquisição do maior jogador de basquete do mundo da atualidade, que deixava a equipe de Ohio (Estado em que nasceu), então sua única equipe desde a estreia na NBA, em 2003.

À época, o anúncio causou um verdadeiro alvoroço nos torcedores de Cleveland. A camisa 23, antes adorada, foi queimada em um gesto de protesto por boa parte da torcida, insatisfeita e se sentindo traída com a decisão de LeBron James.

Esses fatores, capazes de mexer até mesmo com o imaginário da população fã de basquete, transformaram esta escolha de James em uma das mais impactantes da liga de todos os tempos.

Abaixo, relembre transferências recentes e importantes, que mexeram com o ‘rumo’ da NBA.

LeBron muda de Cleveland para Miami

media

A ida de LeBron para o Heat abalou para valer a idolatria que Cleveland havia pelo craque. O astro protagonizou um ato imperdoável, na visão dos torcedores dos Cavaliers, que não queriam mais saber do número 23 a partir de 2010. As camisas queimadas simbolizam a revolta que a transferência causou na cidade.

A mudança para o Heat, aliás, foi tão surpreendente que a liga foi bastante impactada. Na temporada 2010/11, a audiência da NBA disparou por causa da negociação. Ela aumentou 30% de um ano para o outro, com cinco jogos entrando para o top-10 dos mais vistos de toda a história do campeonato.

Seja pela novidade ou até pelo ódio que a saída de LeBron gerou, o Heat se transformou em uma ‘bomba de audiência’. Comandado por ele e outros nomes de qualidade, como Dwyane Wade e Chris Bosh, a franquia teve um crescimento de 70% na audiência em 2010/11.

O anúncio da mudança, vale destacar, fez com que Cleveland ficasse ainda mais revoltada com o jogador. LeBron fez um leilão e anunciou a decisão de ir para o Heat em um programa de TV, criado especialmente para comunicar a troca. O programa, chamado de “A Decisão”, ficou uma hora no ar e consagrou a famosa frase “estou levando meu talento para o sul da Flórida”, do próprio camisa 23.

Esportivamente falando, LeBron James desfrutou da mudança. Conquistou seus dois primeiros títulos da NBA pela franquia de Miami (em 2012 e 2013, consecutivamente) e se consolidou como maior da geração norte-americana no basquete.

Mas ele não deu um ponto sem nó. Ciente de que tinha uma dívida com a equipe de Ohio e com o Estado onde nasceu e começou na NBA, James retornou para a sua casa, em 2014. Ele havia prometido que voltaria para vencer um título e conseguiu, em 2016, vencendo de forma impressionante o Golden State Warriors.

Durant escolhe jogar nos Warriors

media

Em 2016, a decisão mais esperada da pré-temporada da NBA era sobre o futuro de Kevin Durant. O astro, então com 27 anos, escolheu o Golden State Warriors depois de oito temporadas defendendo o Oklahoma City Thunder. Com o camisa do OKC, chegou a uma final da NBA, perdida justamente para o Heat de LeBron e Bosh, e foi eleito MVP em 2014.

A decisão de ir para o time mais badalado da liga mexeu com todas as expectativas, e o anúncio de Durant se deu por meio de artigo no site “The Players Tribune”.

"De longe, estas foram as semanas mais desafiadoras da minha vida profissional. Entendi cognitivamente que eu estava enfrentando uma encruzilhada na minha evolução como jogador e como homem, e que isso veio com escolhas excepcionalmente difíceis. O que eu realmente não entendi, no entanto, foi a gama de emoções que eu senti durante o processo. A prioridade que eu coloquei para mim ao tomar essa decisão foi ter como base o potencial do meu crescimento como jogador -- o que sempre me colocou na direção certa”, escreveu o jogador em parte do artigo para justificar a mudança de ares.

Irving chega com expectativa nos Celtics

media

O Boston Celtics anunciou, em 2017, uma grande contratação para a temporada da NBA. Era o armador Kyrie Irving, que deixava o Cleveland Cavaliers para jogar na franquia mais vitoriosa da liga. A negociação bombástica fez o time com mais títulos do basquete norte-americano (17 troféus, ao lado dos Lakers) ceder três jogadores à equipe de Ohio. Dois deles, importantes peças em qualquer elenco: Isaiah Thomas e Jae Crowder. O terceiro envolvido foi o pivô Anter Zizic.

“Kyrie é um dos melhores pontuadores da NBA. Ele provou que está em sua melhor fase, jogando as finais da NBA nos últimos três anos”, declarou Danny Ainge, presidente dos Celtics, quando anunciou a contratação do atleta à época.

Westbrook deixa OKC após 11 anos

media

Após 11 temporadas no Oklahoma City Thunder, Westbrook decidiu mudar de equipe e mexeu com as estruturas da NBA. O MVP de 2016 foi envolvido em negócio que o levou para o Houston Rockets, no ano passado. Chris Paul, outro nome importante da liga, mudou-se para OKC na negociação. À época, Westbrook estava insatisfeito com a saída de Paul George e largou o barco em Oklahoma.

A troca, no entanto, não fez bem a Westbrook, envolvido em novo acordo no início deste mês. O MVP de 2016 irá defender o Washington Wizards no próximo ano, com John Wall e mais uma escolha do Draft indo para o Thunder.

A temporada 2020/21 do melhor basquete do mundo já começou e está a todo vapor! Quem levará a melhor na temporada regular? Torça pelos maiores astros do esporte e faça suas apostas na NBA!